Whatsapp icon Whatsapp

Detectores de Partículas

A identificação e, muitas vezes, a visualização de partículas subatômicas são possíveis graças a um aparelho conhecido como Detector de Partículas.
Acelerador de Partículas
Acelerador de Partículas

Detectores de partículas são aparelhos que identificam partículas subatômicas, tornando-as muitas vezes visíveis, ou seja, são baseados na transferência de parte ou toda a energia de radiação para a massa do detector, onde é convertida em uma forma mais acessível à percepção humana.
Para se deter partículas radioativas, a única possibilidade é usando paredes de chumbo, e os principais métodos de detecção desse tipo de radiação são:
• as chamadas câmaras de Wilson (que realizam um traçado do trajeto dessas partículas radioativas num gás saturado de vapor de água, onde os íons são produzidos com um feixe de raios X, ou gama, que são emitidos por uma fonte radioativa);
• os contadores de Geiger-Müller (responsável pela origem da cadeia de ionização que indicará a quantidade ou a presença de radiação através de um sinal audível), e alguns outros detectores que determinam o número dessas partículas


Contador de Geiger-Mülller - Aparelho que serve para medir a radiação emitida por uma fonte radioativa, utilizando a propriedade da ionização (retirada de elétrons) que a radiação possui.

Na física nuclear, a câmara de ionização funcionou como um dos primeiros detectores, que são aparelhos responsáveis pela medição da ionização de uma partícula incidente, além de serem capazes de identificar a passagem de partículas por meio de pulsos de carga elétrica, produzida nos dispositivos de detecção.


Câmara de Ionização

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Existem também outros tipos de detectores de partículas capazes de permitir a observação da trajetória percorrida, são os chamados detectores de trajetórias.
• Câmaras de emulsões nucleares - são parecidas com as câmeras fotográficas, mas com o diferencial de serem ativadas com partículas carregadas.
• Câmaras de Bolhas - permitem a visualização das trajetórias de partículas emitidas pelos materiais radioativos, e são feitas de uma cavidade cujo volume pode ser controlado por um pistão.
• Câmaras de Centelas - partículas que possuem um alto índice de energia, ionizam o ar e o gás que estão entre as placas carregadas.
• Câmara de faíscas - passagem de uma partícula carregada através de duas placas metálicas colocadas em um meio gasoso e muito próximas uma da outra, a câmara de faíscas faz saltar uma faísca (centelha) entre essas placas. A associação de vários pares dessas placas permite a determinação da trajetória da referida partícula.
• Contador de cintilação - contadores nos quais a partícula carregada, ao atravessar o material cintilante sólido ou líquido, provoca a emissão de fótons que se converterão em elétrons em razão do efeito fotoelétrico.
• Partículas Neutras - diferentes das partículas carregadas, que são mais fáceis de se identificar, as neutras precisam sofrer algum tipo de reação que ionize o material.

Por Talita A. Anjos
Graduada em Física
Equipe Mundo Educação
 

Publicado por Talita Alves dos Anjos

Artigos Relacionados

O encontro entre partícula e antipartícula gera liberação de uma grande quantidade de energia
Antimatéria
Clique aqui para saber mais sobre a antimatéria e as possibilidades de uso de tecnologias com antielétrons e antiprótons.
video icon
Português
Tempos primitivos
Para estudarmos a formação dos tempos verbais, precisamos entender os mecanismos de conjugação a partir de formas primitivas e derivadas. Então, vamos começar? Assista a esta videoaula para aprender um pouco mais sobre os tempos primitivos.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
videoaula brasil escola
Química
Cinética química
Se ainda tem dúvidas quanto a velocidade das reações, essa videoaula é para você!
video icon
videoaula brasil escola
Português
Redação
Entenda como realizar argumento por causa e consequência com a nossa aula.
video icon
videoaula brasil escola
História
Crise de 1929
A quebra da bolsa de valores de Nova Iorque afetou não só os EUA, como o mundo. Entenda!