Whatsapp icon Whatsapp

Por que, por quê, porque e porquê: como usar?

Em português, há quatro formas escritas para indicar ou solicitar o motivo de algo: “por que”, “por quê”, “porque” e “porquê”. Há diferenças no uso de cada uma delas.
Quatro pessoas com expressão de dúvida em relação ao uso dos quatro porquês.
Os termos “por que”, “por quê”, “porque” e “porquê” são usados de maneiras diferentes.

Por que, por quê, porque ou porquê? Na língua portuguesa, há quatro formas escritas dos porquês, e cada uma delas é usada em contextos diferentes:

  • Por que: usado em perguntas diretas quando não aparece ao final da sentença e em frases declarativas para expressar dúvida em relação ao motivo. Também pode ser usado como sinônimo de “pelo qual” ou de “por qual”.

  • Por quê: usado em perguntas diretas ou para expressar dúvidas em frases declarativas, mas apenas quando aparece ao final da sentença.

  • Porque: usado para indicar o motivo, a razão de algo, geralmente em frases declarativas. É uma conjunção.

  • Porquê: usado como sinônimo de “motivo”. É um substantivo.

Leia também: Bem vindo ou bem-vindo?

Resumo sobre o uso dos porquês

Porquês

Significado

Exemplo de uso

Por que

por qual motivo
por qual razão

Por que meus primos não chegaram ainda?

pelo qual
pela qual
pelos quais
pelas quais

Esse é o motivo por que você não deve falar com estranhos.

por qual

Por que rota devemos seguir agora?

Por quê

por qual motivo
por qual razão

Ouvimos a bronca sem saber por quê.

Porque

pois
já que
visto que

Falo isso porque me importo com você.

Porquê

motivo
razão
causa

Qual é o porquê de toda essa festa?

Quando se usa o “por que”?

O termo “por que”, escrito separado e sem acento, é usado para expressar dúvida a respeito de um motivo. Por isso, é mais comum seu uso em perguntas diretas. Veja:

Por que você não me falou nada?

Porém esse termo também pode ser usado em frases declarativas, sem ser uma interrogação direta, contanto que continue expressando dúvida acerca do motivo. Veja no seguinte caso:

Não sei por que isso acontece.

Nessa frase, apesar de se tratar de uma afirmação, há dúvida em relação à causa de algo acontecer, logo, usa-se “por que” separado e sem acento.

Além disso, o termo “por que” pode ser usado com significado de “pelo qual” e suas variantes (“pela qual”, “pelos quais” ou “pelas quais”). Observe os exemplos a seguir e note que “por que” pode ser substituído, em cada caso, por uma variante de “pelo qual”:

O caminho por que passamos era estreito.

A estrada por que passamos era estreita.

Os caminhos por que passamos eram estreitos.

As estradas por que passamos eram estreitas.

Ainda, o termo “por que” pode ser usado com significado de “por qual”. Veja:

Por que entrada ele passou?

Você conseguiu o documento por que via?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como substituir o “por que”?

O termo “por que” pode ser substituído por expressões como “por qual motivo” e “por qual razão”, entre outras. Veja:

Por qual motivo você não me falou nada?

Não sei por qual razão isso acontece.

Quando se usa o “por quê”?

O termo “por quê”, separado e com acento circunflexo na vogal E, é usado nos mesmos casos que o termo “por que”, sem acento, mas com uma diferença: o “por quê” com acento aparece apenas ao final da sentença.

Porém, da mesma forma, ele expressa dúvidas em relação a um motivo. A única diferença é a sua posição na sentença. Observe o mesmo exemplo:

Você não me falou nada por quê?

Assim, mesmo em frases declarativas, o “por quê” com acento também aparece, mas encerrando a sentença. Veja:

Isso acontece, mas não sei por quê.

Como substituir o “por quê”?

Por se tratar de uma mera diferença na posição do termo no enunciado, “por quê” pode ser substituído da mesma forma que “por que”. Veja nos exemplos:

Você não me falou nada por qual motivo?

Isso acontece, mas não sei por qual razão.

Veja também: Volta às aulas ou volta as aulas?

Quando se usa o “porque”?

A palavra “porque”, escrita junto e sem acento, é uma conjunção usada para indicar o motivo de algo. Assim, costuma ser usada em frases declarativas, afirmativas. O “porque” conecta duas palavras ou duas orações, estabelecendo relação de explicação entre elas. Veja no exemplo:

Eu não entreguei o projeto porque não o acabei a tempo.

É possível que a conjunção “porque” apareça também em perguntas diretas. Nessas exceções, isso ocorre quando “porque” não expressa dúvida em relação a algo, e sim uma explicação para algo que está posto dentro da pergunta feita. Veja:

Você acha que ele fez isso porque não conseguiu encontrar ninguém antes?

Na pergunta acima, “porque” é escrito junto por relacionar “ele fez isso” a “não conseguiu encontrar ninguém antes”, estabelecendo entre essas duas orações uma relação de causa.

Como substituir o “porque”?

A palavra “porque” pode ser substituída por expressões como “pois”, “já que” e “uma vez que”, entre outras relacionadas. Veja:

Eu não entreguei o projeto, uma vez que não o acabei a tempo.

Você acha que ele fez isso, pois não conseguiu encontrar ninguém antes?

Quando se usa o “porquê”?

A palavra “porquê”, escrita junto e com acento circunflexo na vogal E, é um substantivo que significa “motivo”, “razão”. Assim, é usada como sinônimo dessas palavras. Diferentemente do “por quê” separado e com acento, o “porquê” junto pode aparecer em qualquer posição do enunciado. Observe:

Eu não sei o porquê de tanto choro!

Por se tratar de um substantivo, é uma palavra que varia em número, podendo aparecer no singular e no plural. Além disso, pode ser acompanhada de artigos, numerais ou pronomes.

Não conheço os porquês dela para fazer tanto mistério...
Eu vou dar dois porquês de não falar com ele.
Não há nenhum porquê de não irmos à festa!

Como substituir o “porquê”?

Por ser um substantivo, a palavra “porquê” tem alguns sinônimos que a substituem: “motivo”, “razão” e “causa”, entre outros.

Eu não sei a causa de tanto choro!
Não conheço as razões dela para fazer tanto mistério...
Eu vou dar dois motivos para não falar com ele.
Não há nenhuma razão para não irmos à festa!

Mais exemplos de frases com os porquês

Por que não tentamos ligar para elas?
Eu ainda não entendi por que precisamos terminar desse jeito...
Tivemos que nos mudar, mas meus pais ainda não explicaram direito por quê.
Essas situações não têm como nem por quê.
Sou assim porque minha família é agitada.
Será que ele ficou bravo porque falamos daquele dia?
Ele não fala mais comigo, e eu não sei o porquê.
Mas tem algum porquê para essa confusão toda?

Saiba também: Mecher ou mexer?

Exercícios resolvidos sobre o uso dos porquês

Questão 1

(FCC)

Texto “Pessimismo e otimismo”, de Sérgio Ruiz Taborda, para resolução de uma questão da FCC sobre o uso dos porquês.

Está correta a forma de ambos os elementos sublinhados na frase:

A) Ela não nos disse por que razão tornou-se uma otimista; e se ela tornar ao seu pessimismo, será que nos explicará por quê?

B) A razão porque muitos se tornam pessimistas está no mundo violento de hoje; por quê outra razão haveriam de se desenganar?

C) “Por que sim”: eis como respondem os mais impacientes, quando lhes perguntamos porque, de repente, se tornaram otimistas.

D) Sem mais nem porquê, ele passou a ver o mundo com outros olhos, dizendo que isso aconteceu por que encontrara a verdade na religião.

E) Não sei o por quê do seu pessimismo; porque você não me explica?

Resolução:

Alternativa A

O primeiro “por que” pode ser substituído por “por qual”, enquanto o segundo pode ser substituído por “por qual motivo”, expressando dúvida e aparecendo ao final da sentença.

Questão 2

(IBFC)

Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas:

I. Não entendemos _______ ele agiu de forma tão agressiva.

II. É bonito o ideal _____ você luta.

A) por que - por que

B) por que - porque

C) porque - por que

D) porque – porque

Resolução:

Alternativa A

O primeiro “por que” expressa dúvida e pode ser substituído por “por qual motivo”. O segundo “por que” pode ser substituído por “pelo qual”. Assim, nenhum deles é escrito junto. 

Publicado por Guilherme Viana
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Acima ou a cima?
Descubra qual é a diferença entre a palavra “acima” e a expressão “a cima”, ambas existentes na língua portuguesa. Entenda quando usar cada uma delas.
As terminações “-IZAR” e “-ISAR” – características relevantes
Constate acerca de alguns pressupostos a elas relacionados!
Jeito ou geito?
Descubra se essa palavra é escrita com a letra j ou g. Entenda o que é homofonia e como isso induz a dúvidas de ortografia como essa.
Ortoepia e prosódia
Saiba um pouco mais sobre as características que elas se referem!
Ortografia: Emprego do s, z, e, i, g, j, x e ch.
Normas práticas para algumas grafias.
Palavras homógrafas, homófonas e homônimos perfeitos
Entenda o significado desses termos e não tenha mais dúvidas!
Por ora e por hora
Por ora e por hora mesmo apresentando semelhanças, divergem quanto ao significado. Por ora significa por agora; e por hora significa a cada hora.
Quis ou quiz?
Saiba quando usar “quis” ou “quiz”. Entenda o significado dessas palavras. Veja exemplos do uso de cada um desses termos. Faça exercícios para fixar o conteúdo.
Se não ou senão?
Quando e como usar tais termos? Saiba mais aqui!
Senão ou se não?
Entenda quais são as diferenças no uso da palavra “senão” e da expressão “se não”. Aprenda por que eles não devem ser confundidos, e pratique com exercícios.
Serrar ou cerrar?
Entenda qual é a diferença entre os verbos “serrar” e “cerrar”. Saiba quando utilizar um ou outro. Veja também alguns exemplos do uso dessas duas palavras.
Sessão, seção ou cessão?
O uso das palavras sessão, seção e cessão geram muitas dúvidas. Clique aqui e aprenda usá-las de forma correta!
video icon
"Matemática do Zero | Classificação de triângulos" escrito sobre fundo azul
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Classificação de triângulos
Nessa aula veremos que um triângulo pode ser classificado quanto às medidas dos lados (isósceles, equilátero e escaleno) e quanto às medidas dos ângulos (acutângulo, retângulo e obtusângulo).