Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Genética
  4. Código genético

Código genético

Seguindo o mesmo princípio, a partir da comparação de como se estabelece a comunicação entre as pessoas, bem como a divulgação e armazenamento do conhecimento, é possível entender o funcionamento do mecanismo que controla a duplicação do material genético ou replicação da molécula de DNA (ácido desoxiribonucleico).

Quando associamos os símbolos do alfabeto (as letras), para formar as palavras e expressá-las com coerência, seja através do diálogo ou pela escrita, fazemos uso da combinação de elementos que irão transmitir o pensamento e as opiniões.

Da mesma forma ocorre com a molécula de DNA, cujo código se estabelece pela complementaridade de compostos orgânicos, entre as bases nitrogenadas púricas e pirimídicas. No entanto, para termos de compreensão didática, são representadas respectivamente por letras: A - adenina e G - guanina (bases purinas), T - timina e C - citosina (bases pirimidinas).

Assim como na linguagem, os textos necessitam de coesão gramatical entre as palavras, o DNA também requer de coesão química entre bases que constituem os dois filamentos da molécula. Este é o código, com poucos elementos, mas com diversas combinações, o responsável por formar os genes dos cromossomos de todas as espécies viventes.

Quando os genes são ativados, inicia-se o mecanismo de transcrição (formação de moléculas de RNA: ribossômico, transportador e mensageiro), prosseguindo com o processo de tradução (síntese de proteínas), forma pela qual o DNA coordena todo o metabolismo celular.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A leitura biológica desse código, juntamente aos fatores ambientais, determina as características de um indivíduo: a estatura, a cor da pele e dos olhos, o tipo de cabelo e até algumas doenças congênitas ou predisposições.

Portanto, um simples código com quatro caracteres possibilita uma enorme variedade de arranjos, sujeitos à quantidade e ordenamento de bases nitrogenadas, formando um gene e esse manifestando uma característica.

A especial molécula da Vida
A especial molécula da Vida
Publicado por: Krukemberghe Divino Kirk da Fonseca Ribeiro
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

Sabemos que o código genético nada mais é do que a relação entre as trincas de bases encontradas no RNA mensageiro e os aminoácidos sintetizados. Existem 64 trincas diferentes (códons), que sintetizam apenas 20 aminoácidos. Sendo assim, um aminoácido é codificado por diferentes códons. Graças a essa particularidade, dizemos que o código genético é:

a) redundante.

b) universal.

c) específico.

d) incompleto.

Questão 2

O código genético é constituído por 64 códons, que são formados por três bases nitrogenadas. A grande maioria dos códons codifica aminoácidos, com exceção dos chamados códons de parada, que sinalizam apenas o fim da síntese de uma proteína. Marque a alternativa em que estão indicados os códigos de parada.

a) UAA, AUG e UAG.

b) AAA, AUU e UUA.

c) UAA, UAG e UGA.

d) AUU, UAA e UUG.

e) UCA, UCU e CAG.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Antes da descoberta dos tipos sanguíneos muitos acidentes fatais ocorreram
Sistema ABO e as possíveis transfusões sanguíneas
Conheça mais sobre o sistema ABO e quais são as possíveis transfusões sanguíneas que podem ser feitas entre os grupos sanguíneos.
A diferença partenogênica mediante indução nutritiva.
Partenogênese
Um tipo de reprodução assexuada formando organismos haplóides.
O DNA é o ácido nucleico que contém as informações de cada indivíduo
Dogma Central da Biologia Molecular
Entenda o que é o Dogma Central da Biologia Molecular e suas características.
O fundamento genético aplicado ao Sistema MN.
Sistema MN
Clique aqui e conheça as principais características do sistema MN.
A pelagem de coelhos, um caso de polialelia.
Alelos Múltiplos
Quando para uma mesma característica, existem mais de dois genes alelos atuantes.
O embaralhamento dos “fatores” hereditários.
Permutação
Troca de segmentos correspondentes entre cromossomos homólogos.
Falsos O têm, na verdade, sangue do tipo A, B ou AB.
Efeito Bombaim – Falso O
Exceção que ocorre em menos de 1% da população.