Whatsapp icon Whatsapp

Coeficiente de Atrito

O riscar de um fósforo
O riscar de um fósforo
Podemos dizer que as forças de atrito são inevitáveis no nosso cotidiano. Caso não conseguíssemos vencê-las, elas fariam com que todos os objetos que estivessem em movimento, em todas as direções, parassem.

Mas, por outro lado, se não tivesse atrito, os carros não poderiam andar e nós não poderíamos sequer segurar um lápis para escrever. Podemos dizer que, sem o atrito, um prego seria inútil.

Assim, podemos dizer que atrito são forças de contato entre duas superfícies. Para verificar a existência dessas forças, podemos fazer o seguinte teste: coloque um livro sobre a mesa e empurre-o. Podemos ver que o livro se movimenta por um breve tempo, ou seja, ele percorre um pequeno espaço. Ele não continua a movimentar-se pelo fato de haver atrito entre a superfície da mesa e o livro.

Na figura abaixo temos um livro em repouso sobre uma mesa. Atuando sobre ele há somente a força gravitacional que está equilibrada com a força normal. Caso exerçamos sobre ele uma força F, tentando movê-lo para a esquerda, em resposta surge uma força de atrito f para a direita, que equilibra a força que aplicamos. Chamamos essa força de força de atrito estático (fs). O livro permanece imóvel.

Livro em repouso sobre uma mesa
Livro em repouso sobre uma mesa

Mas à medida que vamos aumentando a intensidade da força aplicada sobre o livro, de modo que ele comece a se movimentar, sofrendo uma aceleração para a esquerda, a força de atrito que se opõe ao movimento nessa nova situação é chamada de força de atrito cinético (fc).

Livro em movimento sobre uma mesa
Livro em movimento sobre uma mesa

Assim, podemos dizer que a intensidade da força de atrito cinético, que atua sobre corpos que estão se movendo, é menor do que a intensidade máxima da força de atrito estático, que atua sobre objetos em repouso.

Podemos então determinar tanto o módulo da força de atrito estático quanto o módulo da força de atrito cinético. As forças de atrito dependem da força normal e também do coeficiente de atrito. Dessa forma, temos:


Onde:

µs é o coeficiente de atrito estático
µc é o coeficiente de atrito cinético

Não podemos nos esquecer de que os coeficientes µs e µc são adimensionais, ou seja, não possuem unidade de medida.

Por Domiciano Corrêa Marques da Silva
Graduado em Física


Publicado por Domiciano Correa Marques da Silva
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

O formato mais aerodinâmico para vencer os efeitos da força de resistência do ar é o de gota d'água
A força de atrito do ar sobre carros
Entenda o que entra em jogo quando se trata de calcular a força de resistência do ar.
Colisão unidimensional entre o corpo A e o corpo B
Colisões unidimensionais
Estudo da dinâmica das colisões unidimensionais.
O simples ato de caminhar só é possível por causa da força de atrito
Força de Atrito
Clique aqui e veja a definição de força de atrito, conheça seus tipos e saiba como ela é calculada.
Galileu Galilei, o pai da experimentação
Um físico chamado Galileu Galilei
Conheça um pouco da história do físico que revolucionou a Física.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.