Até e Até a

Você vai até ou você pode também ir até a?

Com base nesse questionamento, constataremos a partir de agora os traços que norteiam ambas as expressões, no sentido de deixar você, caro usuário (a), a par de todos eles e, sobretudo, a fim de utilizá-las de forma adequada:

Munidos do conceito de que a preposição “até” é usada para ligar termos em uma determinada oração, constatemos alguns exemplos, dispostos a seguir:

Vamos juntos até o supermercado.
Conversando, caminhamos até o colégio.

Feita tal constatação, partiremos então rumo a mais uma descoberta: você sabia que a preposição “até” pode vir acompanhada de outra? Que no caso é a preposição “a”? Analisemos mais alguns exemplos:

Fomos juntas até à igreja.
Prosseguimos caminhando até ao departamento de pessoal.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como podemos perceber, trata-se do emprego da crase, o qual dependerá dos nossos conhecimentos relacionados à transitividade verbal, ou seja, se o verbo pede complemento ou não, como em:

1º exemplo: fomos juntas até a algum lugar – à igreja
2º exemplo: prosseguimos caminhando até a algum lugar – ao departamento pessoal.

Há, ainda, outro aspecto que se atribui à palavra em questão: é que “até” pode funcionar também como advérbio, equivalente à ideia de “ainda”, “mesmo”. Observe o enunciado a seguir:

Posso até pedir-lhe desculpas, mas não me esquecerei do ocorrido.

Notamos, nesse caso, que o “até”, apesar de funcionar como partícula de realce, ou seja, não ser assim tão necessário, confere um caráter enfático à ideia transmitida.

Até e até a, de acordo com a norma culta, são expressões consideradas adequadas
Até e até a, de acordo com a norma culta, são expressões consideradas adequadas
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Assuntos relacionados
Em face de ou face a?
Há alguma expressão incorreta?
Processo de migração no mundo
Emigração, imigração ou migração?
Saiba de forma simples e resumida o significado de cada um dos termos!
Avisou que ou avisou de que são circunstâncias relacionadas à regência verbal, na qual podemos notar a dupla transitividade do verbo avisar
Avisou que ou avisou de que?
As expressões avisou que e avisou de que caracterizam a dupla transitividade do verbo avisar.
Somente duas construções são consideradas corretas: pisar a grama e pisar na grama
Pisar à grama, na grama ou a grama?
Pisar à grama, na grama e a grama são expressões cotidianas que geralmente suscitam questionamentos. Caso você tenha dúvidas, clique e confira as dicas!