Whatsapp icon Whatsapp

O conceito relacionado à gramática – ampliando noções

Ao indagarmos alguém acerca de sua concepção no que tange à gramática, logo a resposta que se obtém é o conjunto de regras que nos induz a escrever corretamente. Contudo, vale mencionar que tal conceito deve ser entendido num sentido mais amplo, a começar por aquele retratado pelo dicionário Aurélio:

Estudo ou tratado dos fatos da linguagem, falada e escrita, e das leis naturais que a regulam.


Mediante tal afirmação, temos um adjetivo que nos evoca a um importante questionamento: se é natural, por que então se relaciona a regras preconcebidas? A verdade é que nada tem de naturais, pois essas regras advêm de fatores extrínsecos à atividade comunicativa, representadas por um conjunto de normas ao qual nos encontramos totalmente submetidos, sobretudo no que tange a situações formais de interlocução.


Tal aspecto passou tão somente a se perdurar, visto que a própria escola se incumbe de disseminá-lo ao trabalhar os fatos linguísticos de forma isolada, como, por exemplo: não é permitido iniciar frases com pronomes oblíquos átonos, o verbo sempre concorda com o sujeito que o antecede, acentuam-se todas as proparoxítonas, entre outros conceitos.


Desse modo, voltemos à questão das leis naturais. Todo falante, desde sua tenra idade, já possui um conhecimento acerca dos fatos que norteiam a linguagem. Mesmo não sabendo explicitá-los de modo efetivo, já os utiliza a fim de interagir com seus semelhantes. Assim sendo, surge-nos a importância de reconhecer a existência de outros tipos de gramática, além da modalidade tida como convencional. Uma refere-se à gramática internalizada, que nada mais é do que esta que acabamos de mencionar, ou seja, aquela intrínseca ao falante desde o nascimento, e ele, com a convivência social, vai ampliando sua capacidade comunicativa.


Há também a chamada gramática descritiva, que tem por finalidade descrever as regras de como uma língua é usada pelos seus falantes e escritores. Tal modalidade, ao invés de descrever regras, procura verificar as uniformidades ou diferenças existentes nos diversos registros de uma determinada língua. Por último, temos a gramática normativa, que pauta-se pelo conjunto de normas e regras a serem seguidas pelos seus usuários, tendo em vista a noção de certo ou errado.


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras
Publicado por Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos Relacionados

Curiosidades relacionadas ao português brasileiro e ao europeu
Confira-as em apenas um clique!
Linguagem, língua e fala
Elementos inerentes a todo ato comunicativo. Conheça suas características!
Ilustração conceitual traz homem com lupa deitado sobre livro
Oração
Descubra o que é oração e quais são os tipos existentes. Saiba também quais são as diferenças entre oração, frase e período.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas.