Whatsapp icon Whatsapp

Aliança para o Progresso e o anticomunismo

John F. Kennedy idealizou a Aliança para o Progresso como forma de conter o avanço soviético no continente americano.*
John F. Kennedy idealizou a Aliança para o Progresso como forma de conter o avanço soviético no continente americano.*

A Aliança para o Progresso foi um projeto político executado pelo governo dos Estados Unidos durante a presidência de John F. Kennedy. O objetivo era integrar os países da América nos aspectos político, econômico, social e cultural frente à ameaça soviética, vista como um regime comunista no continente.

A preocupação com o avanço soviético se dava principalmente depois que a Revolução Cubana tomou rumos que desagradavam ainda mais os capitalistas estadunidenses, como a cooperação recebida da URSS a partir de 1961. Era necessário para os capitalistas e seus governos na América Latina diminuir as desigualdades sociais e combater a miséria existente no continente. Criava-se assim uma imagem de que os EUA estavam à frente dessas iniciativas para evitar que as notícias de melhorias sociais conseguidas nos países da esfera de influência soviética que chegavam às populações exploradas da América Latina pudessem aproximá-las dos ideais da URSS.

A Carta de Punta del Este, criada em agosto de 1961, era o delineamento do projeto da Aliança para o Progresso, conclamando os dirigentes latino-americanos a criarem planos de desenvolvimento nacional que seriam auxiliados pelo governo estadunidense. Participaram da elaboração das ações a serem adotadas pela Aliança para o Progresso nomes como o de Juscelino Kubitschek, pelo Brasil, e Raúl Prebisch, pela Argentina.

Em discurso, John F. Kennedy conclamava “todos os povos do hemisfério a juntar-se em uma nova Aliança para o Progresso, um vasto esforço cooperativo, sem paralelo em sua magnitude e nobreza de propósitos, para satisfazer as necessidades básicas dos povos americanos por casa, trabalho e terra, saúde e escola”. Propunha ainda que “a República Americana” desse “início a um plano de 10 anos para as Américas, um plano para transformar os anos 60 na década do desenvolvimento”1.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os planos dariam ênfase à educação, saúde, habitação e teriam como entidade articuladora da Aliança a USAID – United States Agency for International Development. Mais de 80 bilhões de dólares deveriam financiar o projeto, com os EUA disponibilizando para os países participantes cerca de 20 bilhões.

Apesar do discurso de auxílio humanitário, o objetivo principal era garantir que o avanço soviético fosse contido, além de proporcionar uma abertura ao investimento das empresas de capital estadunidense nos países latino-americanos. No contexto da Guerra Fria e da Revolução Cubana, a Aliança para o Progresso era a cartada jogada pelos EUA para propagandear os ideais econômicos e culturais do capitalismo ocidental.

* Créditos da Imagem: catwalker e Shutterstock.com

––––––––––––––

[1] MATOS, E. A. O PROGRAMA "ALIANÇA PARA O PROGRESSO": O DISCURSO CIVILIZADOR NA IMPRENSA E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO PARANÁ – BRASIL. In: SIMPOSIO INTERNACIONAL PROCESO CIVILIZADOR, 11., 2008, Buenos Aires. Anais... Buenos Aires: Universidad de Buenos Aires, 2008. p. 360.

Publicado por Tales dos Santos Pinto

Artigos Relacionados

A ação dos caudilhos demonstra a fragilidade das instituições políticas na América.
Caudilhismo
A experiência que marca o desenvolvimento político da América Hispânica.
O Destino Manifesto motivou os norte-americanos a expandirem seus domínios a oeste das Treze Colônias.
Destino Manifesto
Acesse o site e conheça mais sobre o Destino Manifesto. Veja de que forma essa doutrina influenciou a expansão territorial dos Estados Unidos rumo ao Oeste.
James Monroe foi presidente dos EUA e estabeleceu uma doutrina que promoveu a não interferência europeia no continente americano, no século XIX.
Doutrina Monroe
Acesse o site e conheça mais sobre a Doutrina Monroe. Veja quais foram os seus objetivos e acompanhe as suas consequências na política americana do século XIX.
Subcomandante Marcos, líder do Exército Zapatista de Libertação Nacional.
Exército Zapatista de Libertação Nacional
Lutas revolucionárias, América Latina, revoltas populares, História da América Latina, México, Revolução Mexicana de 1910, Francisco Pancho Villa, Emiliano Zapata, Exército Zapatista de Libertação Nacional, EZLN, subcomandante Marcos, Chiapas, massacre da Aldeia de Acteal, NAFTA.
Fernão de Magalhães, apesar de idealizar a volta ao mundo, morreu durante a expedição, não conseguindo chegar a seu destino
Fernão de Magalhães e a volta ao mundo
Conheça mais sobre a viagem de Fernão de Magalhães e a primeira circum-navegação do globo.
Bolívar, grande líder das independências americanas.
Independência da América Espanhola
Confira os principais acontecimentos que causaram a independência da América Espanhola.
Josef Stalin foi o líder político da URSS por quase 30 anos.
Josef Stalin
Saiba quem foi e o que fez Josef Stalin, líder da URSS que construiu um vasto império à custa da vida de milhões de pessoas.
Revolução Mexicana de 1910: Emiliano Zapata e os camponeses
Revolução Mexicana de 1910
Saiba mais sobre a Revolução Mexicana (um movimento que reivindicava a reforma agrária no México) e os seus líderes camponeses, Emiliano Zapata e Pancho Villa.
Socialismo
Conheça um pouco mais sobre o socialismo, seu surgimento, suas vertentes, características e experiências históricas.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas