Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História Geral
  3. Imperialismo
  4. Guerra dos Boxers

Guerra dos Boxers

A Guerra dos Boxers foi um conflito ocorrido na China entre os anos de 1899 e 1900, onde um violento grupo nacionalista lutava contra a presença dos estrangeiros em seu território. Inconformados com a inapetência do poder imperial em conter a intervenção imperialista no país, um grupo de lutadores da China desenvolveu uma sociedade secreta, conhecida como “A Sociedade dos Punhos Harmoniosos e Justiceiros”, para lutar contra os imperialistas.

Com o apoio velado das autoridades locais, os boxers empreenderam as suas primeiras ações realizando pequenos atos de vandalismo ao cortar linhas telegráficas, destruir ferrovias e perseguir os missionários cristãos. Em suma, apesar de uma organização incipiente, os participantes dessa revolta atacavam tudo aquilo que poderia representar a dominação dos ocidentais em seu país. Paulatinamente, o triunfo das primeiras ações impeliu o planejamento de ataques com maior gravidade.

O crescimento da situação hostil obrigou as nações imperialistas a organizarem um exército que desarticularia as ações violentas organizadas pelos boxers. Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra, França, Japão, Itália e Rússia cederam soldados para tomar a cidade de Pequim, o principal foco dos conflitos. A invasão estrangeira – ocorrida no final de maio de 1900 – foi logo respondida com um novo ataque dos boxers à pista de corrida dos estrangeiros e o isolamento do bairro das Embaixadas.

Enquanto os civis estrangeiros e os cristãos tentavam se refugiar da onda de ataques, os vários representantes políticos da autoridade estrangeira resistiam à espera de uma forte reprimenda contra os chineses. Entre os meses de julho e agosto, as tropas estrangeiras lutaram contra os boxers e os membros do exército imperial que apoiavam o levante. Percebendo o recuo dos chineses, as nações imperialistas fizeram uma série de exigências em troca da preservação dos territórios.

No dia 7 de setembro de 1901, a Paz ou Protocolo de Pequim oficializou os acordos que puseram fim à Guerra dos Boxers. Derrotado, o governo chinês se viu obrigado a pagar uma pesada indenização em ouro e liberar novos portos às embarcações estrangeiras. Além disso, os imperialistas impuseram a sua autoridade na capital do país e proibiram os chineses de importarem armamentos. Nas décadas seguintes, apesar do fracasso, outros levantes determinaram o fim da dominação estrangeira na China.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Rainer Sousa
Mestre em História

A ação dos “boxers” chineses foi violentamente reprimida pelas nações imperialistas.
A ação dos “boxers” chineses foi violentamente reprimida pelas nações imperialistas.
Publicado por: Rainer Gonçalves Sousa
Assuntos relacionados
A ação imperialista impôs uma série de violências e atrocidades contra as populações africanas.
Imperialismo na África
A dominação neocolonialista ao longo do século XIX.
A Guerra do Ópio foi um grande marco da ação imperialista britânica na China.
Guerra do Ópio
A disputa de interesses entre a China e os imperialistas britânicos.
A miséria de alguns países tem relação íntima com a ação imperialista.
As consequências do Imperialismo
Os problemas enfrentados pelas regiões e países marcados pela intervenção neocolonial.
Os cipaios se voltaram contra as exigências impostas pelas autoridades britânicas na Índia.
A Revolta dos Cipaios
O confronto entre os soldados indianos e as autoridades britânicas.
O fim da colonização na Argélia foi marcado pelo conflito entre franceses e os membros do FLN.
Descolonização da Argélia
O processo que culminou no fim da dominação francesa naquele país.
O imperialismo (XIX) é a principal causa da miséria econômica de países africanos e asiáticos atualmente
Darwinismo social e imperialismo no século XIX
Saiba como os europeus legitimaram, por meio do darwinismo social, o imperialismo no século XIX, dominando e conquistando os continentes africano e asiático.