Guerrilha

A guerrilha teve sua origem, tal como a conhecemos, no início do século XIX, na Espanha.

É muito comum, quando ouvimos a palavra “guerrilha”, pensar em imagens como a de membros das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), em Che Guevara e nos demais membros da Revolução Cubana ou, no caso brasileiro, de Carlos Marighella. Contudo, a expressão “guerrilha” remonta ao início do século XIX e, desde então, ela tem sido usada para descrever fenômenos de resistência armada em situações políticas e históricas bastante diversas.

A palavra guerrilha vem do espanhol guerrilla, que significa “guerra pequena, de pequeno porte”. Essa expressão passou a ser empregada no contexto de resistência da população espanhola contra a invasão napoleônica entre o fim da década de 1800 e o início da década de 1810. Como é sabido, o Império Napoleônico promoveu guerras em praticamente todo o continente europeu contra as nações que se opuseram ao seu projeto político. A Espanha, inicialmente, colaborou com Napoleão, mas depois rompeu relações e teve seu território ocupado, assim como Portugal. A guerrilla foi a principal forma de resistência a essa ocupação.

- Principais características da Guerrilha

As principais características da guerrilha são, segundo o principal teórico a respeito desse assunto, o filósofo político Carl Schmitt: 1) a irregularidade do tipo de combate feito pelo guerrilheiro; 2) a capacidade de mobilidade; 3) o compromisso político; e 4) o caráter telúrico (ligação íntima com o meio – seja ele urbano, seja rural – no qual a guerrilha se forma). O caráter irregular da guerrilha deriva do fato de seu corpo de agentes não ser formado totalmente por militares profissionais, mas por pessoas comuns, comprometidas com uma causa política definida e que recebem treinamento básico para luta armada. Esse treinamento inclui táticas de sobrevivência (por isso a ligação telúrica) e de ação, como emboscadas, ataque surpresa, atentados, etc.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Durante a Segunda Guerra Mundial e mesmo antes dela (como na Guerra Civil Espanhola), também se tornaram comuns as práticas guerrilheiras em quase todo o continente europeu. O nome usualmente empregado naquele contexto para definir os guerrilheiros era “partisan”, isto é, membro de uma tropa irregular. Na Guerra Fria, as revoluções comunistas que estouraram no Sudeste Asiático e em Cuba, bem como outras tentativas revolucionárias citadas em nosso parágrafo de abertura, valeram-se das táticas de guerrilha.

A figura do guerrilheiro popularizou-se no cenário político do século XX
A figura do guerrilheiro popularizou-se no cenário político do século XX
Publicado por: Cláudio Fernandes
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

Leia o texto e, em seguida, assinale a alternativa correta.

O caráter informal, dinâmico, flexível e mutável do combate irregular tem contrariado o cientificismo acadêmico, frustrando as experiências daqueles que procuram, em vão, por padrões doutrinários rígidos, aplicáveis com a mesma abrangência ancorada na guerra irregular. A dificuldade em se redigir conceitos didáticos que se encaixem integralmente em contextos históricos muito distintos motivou o surgimento, ao longo do tempo, de uma série de termos e definições de uso comum, como “pequena guerra” (kleinkrieg), “guerra de partisans” (partisan warfare), “guerra não convencional” (unconventional warfare), “guerra irregular” (irregular warfare) e “conflito de baixa intensidade” (CBI), para citar alguns exemplos. (VISACRO, Alessandro. Guerra Irregular: terrorismo, guerrilha e movimentos de resistência ao longo da história. São Paulo: Contexto, 2009. p. 222).

Partindo do trecho acima, é possível afirmar que se enquadram na categoria de “guerra irregular” ou “guerrilha”:

a) o EI (Estado Islâmico) e as Suhoputnye voyska Rossiyskoy Federatsii (Forças Terrestres da Federação Russa).

b) as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e a Guerrilha do Araguaia

c) o Exército Napoleônico e as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia)

d) o EI (Estado Islâmico) e o Tzahal (Exército de Defesa de Israel)

e) a FAB (Força Aérea Brasileira) e RAF (Royal Air Force britânica)

Questão 2

A palavra guerrilha deriva do espanhol guerrilla, que se disseminou no país ibérico no contexto da:

a) Guerra de Sucessão Espanhola

b) Guerra dos Cem Anos

c) Resistência espanhola à invasão napoleônica

d) Guerra Civil Espanhola

e) Primeira Guerra Mundial

Mais Questões
Assuntos relacionados
Retrato de Pol Pot, o líder do Khmer Vermelho que promoveu o genocídio cambojano entre 1975 e 1979 *
Pol Pot, o ditador cambojano
Acesse neste link a informações sobre a vida de Pol Pot, responsável por ter promovido o genocídio de 1,5 milhão de cambojanos.
Museu em Phnom Penh, capital do Camboja, relembra as vítimas do genocídio cambojano *
Genocídio cambojano
Conheça a utopia agrária imposta pelo governo comunista de Pol Pot no Camboja que resultou no genocídio cambojano entre 1975 e 1979.
FARC: movimento revolucionário armado de inspiração comunista.
FARC
Conflitos internacionais, crise sul americana, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, diplomacia, Manuel Marulanda, Tiro Certo, Pastrana, FARC, tensão na América do Sul.
A Guerrilha do Araguaia optou pela luta armada como meio de combate à Ditadura Militar.
Guerrilha do Araguaia
O movimento revolucionário que lutou contra a Ditadura Militar no interior do Brasil.
Vietnã (1964-1975): paz e guerra
Guerra do Vietnã
Saiba como os Estados Unidos foram derrotados pelos vietcongues durante a Guerra do Vietnã (1964 – 1975).