Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História Geral
  3. Idade Antiga
  4. Roma Antiga
  5. Surgimento de Constantinopla

Surgimento de Constantinopla

A partir do século II d. C., o Império Romano começou a esboçar sua fragilidade decorrente das guerras civis, das disputas internas pelo poder político e das invasões externas de estrangeiros. No presente texto analisaremos os fatores que suscitaram o surgimento da cidade de Constantinopla no século IV d. C.

 No ano de 330, Constantinopla foi construída pelo imperador Constantino. A cidade (atual cidade turca de Istambul) se encontra localizada no estreito de Bósforo, entre o Oriente e o Ocidente, na confluência de importantes rotas comerciais.

Inicialmente, a construção de Constantinopla (pelo imperador Constantino, no ano de 330) e, posteriormente, a divisão do Império em duas partes (executada pelo imperador Teodósio, em 395) tinham como principal objetivo evitar, controlar e manter a preponderância do Império Romano.

A construção de Constantinopla foi realizada no local onde existira a cidade grega de Bizâncio. Constantino, na época, comprometeu-se com o desenvolvimento cultural, artístico e social da cidade. O imperador deslocou pinturas e esculturas de diferentes regiões do mundo para a cidade. Arquivos e documentos da Antiguidade Clássica (Grécia) foram preservados e incorporados às bibliotecas, passando a fazer parte dos seus acervos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Constantinopla, por se localizar em estratégica rota comercial, ficou conhecida como uma cidade cosmopolita, com influências culturais tanto do Ocidente quanto do Oriente. No século VI d. C., a cidade viveu seu apogeu e sua população chegou a aproximadamente 1 milhão de pessoas.

No ano de 395, tentando controlar a crise, o imperador romano Teodósio dividiu o império em duas partes: o Império Romano do Ocidente, com a capital em Milão; e o Império Romano do Oriente, cuja capital era Constantinopla. Além disso, Teodósio entregou o Império dividido para seus dois filhos: Honório e Arcádio.

Assim, o Império Romano do Ocidente foi governado inicialmente por seu filho Honório; enquanto Arcádio governou o Império Romano do Oriente, cuja capital, Constantinopla, foi erguida para contemplar a nova capital do Império Romano, isto é, para ser a Nova Roma.

Antiga capital do Império Romano do Oriente, Constantinopla (atual Istambul, capital da Turquia)
Antiga capital do Império Romano do Oriente, Constantinopla (atual Istambul, capital da Turquia)
Publicado por: Leandro Carvalho
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

A cidade de Constantinopla, atual Istambul, foi construída no século IV pelo imperador Constantino, o Grande, com o objetivo de ser o novo centro do Império Romano. O lugar escolhido para a sua construção foi:

a) a antiga Tessalônia

b) a antiga Corinto

c) a ilha de Creta, no mar Egeu

d) a antiga Bizâncio

e) o antigo Vale dos Reis, no Egito

Questão 2

Leia o texto abaixo e, em seguida, assinale a alternativa correta.

“Depois, quando as muralhas ficaram concluídas, o imperador pôs-se a recrutar habitantes. Por meio de alforrias, da libertação de cativos e com promessas feitas aos traficantes das costas do Mediterrâneo, em breve conseguiu uma multidão, sofrivelmente mista, que abarrotou de alimentos e de espetáculos. A seguir, convenceu os nobres, os ricos e os senadores a virem instalar-se junto dele. Conta-se que doze diplomatas romanos, que regressavam de uma embaixada na Pérsia após dezesseis meses de ausência, foram chamados ao Palácio. – quando regressais a Roma?, perguntou-lhes o imperador. – Não estaremos lá antes de dois meses. – Estais enganados! Digo-vos que esta mesma noite estareis em casa. E, com grande espanto, os embaixadores foram levados pelos oficiais às ordens a residências completamente novas, copiadas exatamente, até o detalhe, daquelas que ocupavam nas margens do Tibre.” (DANIEL-ROPS. A Igreja dos Apóstolos e dos Mártires. Quadrante: São Paulo, 2014. pp. 430-31).

A partir do texto do historiador Daniel-Rops, que descreve os primeiros anos da reforma de Bizâncio, podemos afirmar que Constantino, com seu gesto, quis dizer aos embaixadores que:

a) eles não poderiam mais voltar para a Pérsia.

b) eles não mais exerceriam as funções de embaixadores.

c) Bizâncio havia se tornado a “Nova Roma”.

d) Bizâncio era a nova embaixada para eles.

e) Bizâncio era agora uma satrapia persa.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Constantino I foi o fundador do Império Bizantino
Império Bizantino
Saiba o que foi o Império Bizantino, que durou do século IV ao século XV, e entenda a sua importância para o período da Idade Média e início da Idade Moderna.
Guerras Púnicas, o conflito entre romanos e cartagineses.
Guerras Púnicas
Guerras Púnicas, Antigüidade, História Antiga, Cartago, disputas comerciais, Numídia, Sicília, Messina, Cipão, Aníbal Barca, punições militares, Norte da África, expansão romana, império romano.
As revoltas plebéias transformaram as instituições políticas romanas.
Revoltas Plebéias
Roma, Roma Antiga, Antigüidade Ocidental, República Romana, Revoltas Plebéias, Lei das Doze Tábuas, Monte Sagrado, Lei Licínia Sextia, magistratura romana, tribunos da plebe.
Império Romano
Veja como o Império Romano expandiu seu território pela Europa até o Oriente Médio. Acompanhe o desenrolar das sucessivas crises que lavaram o império ocidental ao fim.
Cristãos perseguidos pelas autoridades romanas.
Cristianismo Primitivo
Cristianismo, Cristianismo Primitivo, Idade Antiga, Jesus, Judaísmo, universalismo, escravismo, crise do império romano, profetas cristãos, discípulos cristãos, oficialização do cristianismo, criação da Igreja.
Júlio César, Pompeu e Crasso: os generais responsáveis pela formação do Primeiro Triunvirato.
Primeiro Triunvirato
Os três primeiros generais que se uniram para tomar o poder em Roma.
Escultura em relevo do imperador Teodósio assistindo a uma disputa no Hipódromo de Constantinopla
Revolta de Nika
Saiba o que foi e os motivos que levaram à ocorrência da Revolta de Nika em Constantinopla.
A invasão dos Hérulos decretou o fim do Império Romano, em 476.
Crise do Império Romano
Roma Antiga, Império Romano, Crise do Império Romano, Crise do Escravismo, Cristianização de Roma, retração comercial, sistema de arrendamento, invasões bárbaras, tetrarquia, Diocleciano, Constantino, divisão do Império Romano, hérulos, fim do império romano, Idade Média.