Whatsapp icon Whatsapp

Recursos estilísticos da poesia: figuras de linguagem

Os recursos estilísticos utilizados na poesia, demarcados pelas figuras de linguagem, conferem mais expressividade à mensagem
Os recursos estilísticos utilizados na poesia, demarcados pelas figuras de linguagem, conferem mais expressividade à mensagem

A poesia precisa comover, despertar emoções, enlevar. Assim, fazendo valer tais intenções, o poeta dispõe de recursos diversos, haja vista que na linguagem não há limites nem objeções.

Relacionadas a esse assunto, estão as figuras de linguagem, envolvidas no estilo de quem realiza um trabalho especial com a linguagem, dado o perfil conotativo que assumem os textos pertencentes ao gênero lírico.

Norteados pelo objetivo de ressaltar acerca dos traços que demarcam esses recursos, passaremos a estabelecer familiaridade com algumas dessas figuras de linguagem, as quais representam o aspecto em questão. Podemos destacar:

Metáfora

De forma literal, o poema em questão representa tal recurso estilístico:

Metáfora

Uma lata existe para conter algo

Mas quando o poeta diz: "Lata"
Pode estar querendo dizer o incontível

Uma meta existe para ser um alvo
Mas quando o poeta diz: "Meta"
Pode estar querendo dizer o inatingível

Por isso, não se meta a exigir do poeta
Que determine o conteúdo em sua lata
Na lata do poeta tudonada cabe
Pois ao poeta cabe fazer
Com que na lata venha caber
O incabível

Deixe a meta do poeta, não discuta
Deixe a sua meta fora da disputa
Meta dentro e fora, lata absoluta
Deixe-a simplesmente metáfora

                                       Gilberto Gil

Constatamos que o autor estabelece uma relação de semelhança entre a “lata”, objeto concreto, e a capacidade artística do poeta.

Antítese

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

                                                  Camões

Inferimos que há um jogo de contraste entre palavras opostas, tais como: contentamento/descontente/ dói/ não se sente/não querer/mais que bem querer...

Prosopopeia ou personificação

A Estrela

Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
Na minha vida vazia.

Era uma estrela tão alta!
Era uma estrela tão fria!
Era uma estrela sozinha
Luzindo no fim do dia.

Por que da sua distância
Para a minha companhia
Não baixava aquela estrela?
Por que tão alto luzia?

E ouvi-a na sombra funda
Responder que assim fazia
Para dar uma esperança
Mais triste ao fim do meu dia.

                                   Manuel Bandeira

Notamos que ao dar voz à estrela (um ser inanimado com características humanas), o autor, na última estrofe, retrata de forma magistral o recurso em questão.

Eufemismo

Consoada

Quando a Indesejada das gentes chegar
(Não sei se dura ou caroável),
talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
- Alô, iniludível!
O meu dia foi bom, pode a noite descer.
(A noite com os seus sortilégios.)
Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
A mesa posta,
Com cada coisa em seu lugar.


                                                   Manuel Bandeira

Constatamos que Manuel Bandeira suaviza seu discurso por meio de um recurso denominado eufemismo, no intento de se referir à morte (demarcada pelo vocábulo “indesejada”).

Estes foram apenas alguns dos recursos empregados na linguagem poética, os quais tendem a conferir maior ênfase à mensagem, tornando-a mais expressiva.

Publicado por Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos Relacionados

  A representação da realidade por meio da linguagem encenada
A Linguagem Teatral
Conheça mais sobre as origens deste gênero literário.
As variadas formas de intertextualização
Clique aqui e aprenda dois exemplos comuns de intertextualização!
A função poética pode ser encontrada nos textos literários e também nas artes plásticas
Função poética
As diferentes funções da linguagem: Conheça a subjetividade e a beleza encontradas na função poética.
Ele é mais conhecido como humorista do Porta dos Fundos, mas seus trabalhos de sucesso não param por aí, pois Gregório Duvivier é também poeta.
Gregório Duvivier: humorista, roteirista e escritor
Conheça um pouco mais sobre Gregório Duvivier, um artista múltiplo!
A linguagem literária pode ser encontrada em diversos gêneros: poemas, crônicas, contos, entre outros que permitam a liberdade criativa
Linguagem literária
Literatura e Arte: Conheça os principais elementos encontrados na composição da linguagem literária.
Verso, estrofe e rima
Entenda o que são versos, estrofes, rimas e suas classificações. Aprenda também o que é sílaba poética e como fazer a escansão ou metrificação dos poemas.
video icon
Português
Locuções interjetivas
Constituídas por duas ou mais palavras que formam uma expressão com valor de interjeição, as locuções interjetivas expressam exaltação, sentimentos e emoções dos falantes. Nesta videoaula, analisaremos o sentido com que são empregadas essas palavras. Confira!

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
videoaula brasil escola
Química
Cinética química
Se ainda tem dúvidas quanto a velocidade das reações, essa videoaula é para você!
video icon
videoaula brasil escola
Português
Redação
Entenda como realizar argumento por causa e consequência com a nossa aula.
video icon
videoaula brasil escola
História
Crise de 1929
A quebra da bolsa de valores de Nova Iorque afetou não só os EUA, como o mundo. Entenda!