Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química nuclear
  4. Acelerador de partículas

Acelerador de partículas

O texto “Radioatividade Artificial” mostrou que para que ocorra uma transmutação, isto é, para que núcleos estáveis de elementos naturais se transformem em núcleos de outros elementos químicos, é necessário que ocorra um bombardeamento desse núcleo estável com determinadas partículas.

Entre essas partículas-projéteis, os nêutrons se mostram muito eficientes, pois como eles não possuem carga elétrica, eles não sofrem influência do núcleo, que é positivo. Assim, os nêutrons não sofrem ação dos campos elétricos dos átomos e seguem seu trajeto sem perder energia.

No entanto, as outras partículas (alfa, próton, dêuteron) possuem carga positiva, igual à do núcleo. Portanto, ocorre uma repulsão e quanto maior o número atômico do elemento (quanto maior o número de prótons), maior será a carga positiva e maior será a força de repulsão.

Para vencer essa repulsão, as partículas-projéteis precisam ser aceleradas a velocidades muito altas.  Isso é feito no acelerador de partículas.

Definição conceitual de acelerador de partículas

Essas partículas são obtidas por meio da emissão natural de elementos radioativos e depois da sua aceleração no aparelho. Os principais tipos de aceleradores são: Gerador de van de Graaf, Acelerador linear e Cíclotron de Lawrence.

  • Cíclotron de Lawrence: a seguir vemos a figura de Ernest O. Lawrence e, no canto inferior direito, vemos o primeiro acelerador de partículas (cíclotron).

Lawrence e seu acelerador de partículas (cíclotron)

O nome cíclotron significa “canhão circular”, pois ele é formado por duas partes na forma de D, que são eletrodos ocos, separados por um espaço intermediário. Dessa forma, juntos parecem uma circunferência.

Seu funcionamento ocorre da seguinte maneira: quando uma partícula é lançada no espaço entre os eletrodos, ela é alternadamente atraída por um e repelida pelo outro, pois eles são alimentados por uma corrente alternada de alta frequência que faz com que eles fiquem ora carregados positivamente ora negativamente. Com isso, a trajetória circular da partícula é acelerada cada vez mais, transformando-se em trajetória em espiral, até que ela é lançada por uma fenda em direção ao núcleo-alvo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Esquema do funcionamento do cíclotron de Lawrence

  • Gerador de van de Graaf: o processo de funcionamento desse equipamento é chamado de “efeito de ponta”. As pontas, que são os pentes metálicos, estão ligadas a uma cúpula metálica com uma correia de borracha isolante que serve de meio para os elétrons, que são retirados do pente 1 e capturados pelo pente 2.

Com isso, a cúpula vai se carregando positivamente e seu campo elétrico torna-se extraordináriamente alto. As pontas ficam ao redor de uma saliência pontiaguda de um corpo condutor. Os íons positivos estão na fonte do tubo e com a força do campo elétrico eles são, então, repelidos violentamente na direção do alvo.

Esquema do funcionamento de um gerador de van de Graaf

  • Acelerador linear: as partículas passam pelo interior de cilindros ocos sucessivos, que são alimentados por uma corrente elétrica de alta voltagem e frequência muito elevadas. Por exemplo, quando a fonte emite partículas com carga positiva, o primeiro cilindro torna-se fortemente carregado negativamente, atraíndo as partículas. Quando elas estiverem na metade do cilindro, ele torna-se positivo e elas são repelidas para o segundo cilindro que está carregado negativamente. E isso continua de modo sucessivo, até que as partículas adquiram a aceleração desejada.

Acelerador de partículas linear

O maior acelerador de partículas do mundo é o LHC (Large Hadron Collider), situado em Genebra, Suíça. Para saber mais sobre esse acelerador, leia o texto “O maior acelerador de partículas do mundo”.

Por meio do uso desses aceleradores, já foi possível produzir vários elementos transurânicos, isto é, com número atômico maior que o do urânio (Z > 92), em laboratório. Entre eles estão o netúnio (Np), o plutônio (Pu), o amerício (Am), o cúrio (Cm), o berquélio (Bk), o califórnio (Cf), o einstênio (Es) e o férmio (Fm).

Para aumentar a velocidade das partículas que bombardearão o núcleo de um elemento, usa-se um acelerador de partículas
Para aumentar a velocidade das partículas que bombardearão o núcleo de um elemento, usa-se um acelerador de partículas
Publicado por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça
Assuntos relacionados
Tsar Bomba (réplica) no Museu de Bombas Atômicas de Sarov
Variantes da bomba atômica
Conheça os tipos de reação nuclear
Frederic Soddy estudou as emissões alfa e criou a primeira lei da radioatividade, que leva seu nome
Primeira Lei de Soddy
Conheça a lei de Soddy, que constitui a primeira lei da radioatividade, cujo enunciado explica a transformação que ocorre quando um átomo emite partículas alfa.
O encontro entre partícula e antipartícula gera liberação de uma grande quantidade de energia
Antimatéria
Clique aqui para saber mais sobre a antimatéria e as possibilidades de uso de tecnologias com antielétrons e antiprótons.
Os elementos transurânicos possuem número atômico maior que o do Urânio
Elementos transurânicos
Conheça a sigla, nome, número atômico, características e história dos elementos químicos de número atômico maior que 92, os elementos transurânicos.
Representação do fracionamento de um átomo por uma partícula em uma reação nuclear em cadeia
Determinando a partícula em uma reação nuclear
Clique e aprenda a determinar o tipo de partícula utilizada em uma reação nuclear artificial ou natural.
Usina Nuclear: fonte de energia do futuro.
Usinas Nucleares em alta
Conheça as expectativas para impulsionar a produção de energia nuclear.
Quais as vantagens da fusão nuclear?
Energia do futuro
Saiba mais sobre a fusão nuclear.