Barata

As baratas apareceram sobre a face da terra há aproximadamente 400 milhões de anos e, em nosso país, são conhecidas 644 espécies, sendo que a maioria habita ambientes de floresta. Aproximadamente cinco espécies desses insetos estão associados a ambientes urbanos e, portanto, presentes em habitações humanas de diversas regiões do globo terrestre. Veja como é classificação desse pequeno animal:

Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Blattodea
Família: Blattidae
Gênero: Periplaneta
Espécie: Periplaneta americana


A barata de esgoto, ou barata voadora, Periplaneta americana, é uma das espécies domésticas mais comuns em nosso país. Esse animal pode viver em vários ambientes, preferindo locais mais isolados, quentes e úmidos. Rodapés, rachaduras, cantos, frestas, ralos e caixas de gordura de nossas casas podem abrigar esses seres cuja presença não é muito bem-vinda.

Esses animais são mais ativos no período noturno, quando saem de seus abrigos em busca de alimento, geralmente rico em açúcar e/ou gordura, embora fiações, caixas e roupas também possam fazer parte da dieta, para nossa infelicidade. Surpreendentemente, indivíduos dessa espécie têm condições de ficar até 15 dias sem se alimentar.

Corpo oval e achatado, com aproximadamente 50 mm de comprimento, coloração que pode variar entre os tons negro e pardo, cabeça curta, antenas e olhos grandes e compostos fazem parte da morfologia desse animal.

Quanto à reprodução, as baratas depositam aproximadamente 15 ovos em uma cápsula denominada ooteca, podendo carregá-la por até 24 horas, depositando-a em abrigos geralmente quentes e úmidos. O período de incubação é de aproximadamente 30 dias, até que nasçam as ninfas, as quais são desprovidas de asas e sexualmente imaturas. Leva-se entre 9 e 19 meses até que um indivíduo esteja completamente desenvolvido em sua forma adulta, sendo que este terá condições de viver por até três anos, dando origem a um valor médio de 800 indivíduos durante esse período.

As baratas são responsáveis pela transmissão de uma gama de doenças: gastroenterites, como salmoneloses e disenterias; infecções, alergias, verminoses, micoses e amebíase. O controle dessas espécies, retirando seus possíveis abrigos e fontes de alimentação, é necessário. Medidas de higiene como isolar o lixo, manter quintal capinado e sem lixo, eliminar frestas, vãos, rodapés e batentes, conservar os alimentos em embalagens seguras e fazer a aplicação de inseticidas são alguns exemplos do que pode ser feito para controlar a proliferação desse inseto. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

As baratas apresentam-se nas cores marrom escuro e preto brilhante.
As baratas apresentam-se nas cores marrom escuro e preto brilhante.
Publicado por: Mariana Araguaia de Castro Sá Lima
Assuntos relacionados
Leoa e leão. Elas tendem a ser menores, e são desprovidas de juba.
Leão (Panthera leo)
Você sabia que o leão tem capacidade de alcançar 50 km/h quando corre? Confira aqui mais sobre esses mamíferos!
<i>Camelus ferus</i>: espécie que se encontra criticamente em perigo.
Camelo (Gênero Camelus)
Animais que acompanham a nossa espécie desde os tempos mais pretéritos.
A lagosta é um tipo de artrópode do grupo dos crustáceos
Principais diferenças entre os grupos de artrópodes
Conheça as principais diferenças entre os grupos de artrópodes e aprenda a identificar melhor os animais pertencentes a esse filo.
Os efeitos dos inseticidas podem explicar por que as baratas morrem de barriga para cima.
Por que as baratas morrem de barriga para cima?
Afinal, por que as baratas morrem de barriga para cima? O Mundo Educação traz a resposta para você!
Corais: organismos formados por colônias de cnidários.
Corais (Classe Anthozoa)
Clique aqui e conheça as características dos corais e sua importante função ecológica.
A superpopulação de pombos urbanos é um problema de saúde pública
Pombo doméstico (Columba livia)
Um pouco sobre a biologia dos pombos domésticos e o porquê de serem um problema de saúde pública.