Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Ecologia
  4. Biodiversidade e Classificação

Biodiversidade e Classificação

A classificação biológica das espécies foi proposta inicialmente em 1735 pelo naturalista Carl Von Linnée (conhecido por Lineu), sistematizando em seu livro Sistema Naturae, a ordenação dos seres vivos em grupos hierárquicos. Até essa data, não havia uma forma específica, com critérios adequados, utilizada para agrupar os mais distintos organismos de acordo com as semelhanças anatômicas.

Em decorrência da enorme biodiversidade, e a parâmetros antagônicos quanto à identificação e descrição de novas espécies, foi necessária a reformulação da organização de Lineu para um modelo de classificação mais coeso. A partir de então surgiu o sistema moderno, relacionando os seres vivos de acordo com o parentesco evolutivo, a similar composição química e a estrutura genética.

Associada ao sistema de classificação onde as principais categorias taxonômicas são: reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie, foi estabelecida uma forma uniformizada e simplificada (universal), estipulando normas que regulam a atribuição de nomes científicos às espécies biológicas, denominada de nomenclatura binária.

Por esse sistema, o nome científico de um organismo, sempre composto por dois termos, portanto binomial, exprime através da primeira palavra o gênero a que pertence o organismo estudado, cabendo à segunda palavra designar a espécie desse.

Exemplo: Canis familiares e Canis lupus, respectivamente cães e lobos.
Ambas as denominações compartilham o mesmo gênero, contudo, são espécies distintas.

A nomenclatura também indica que a referência ao gênero (epíteto genérico), deve conter inicial maiúscula e o epíteto específico com letras minúsculas. Além disso, a escrita obrigatoriamente necessita ser latinizada (referendada em latim) e destacados do texto onde aparecerem, sendo impressos em itálico ou sublinhados.

Exemplos:
Drosophila melanogaster ou Drosophila melanogaster (mosca comum encontrada sobrevoando bananas).
As categorias taxonômicas: reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie, com ênfase no gênero Canis.
As categorias taxonômicas: reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie, com ênfase no gênero Canis.
Publicado por: Krukemberghe Divino Kirk da Fonseca Ribeiro
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios

Questão 1

Em toda a história da humanidade ficou nítida a necessidade constante de agrupar os objetos e organismos. Na Biologia, é comum o agrupamento dos seres vivos em categorias taxonômicas. Entre essas categorias, marque aquela que representa o grupo mais abrangente.

a) Classe.

b) Espécie.

c) Filo.

d) Gênero.

e) Reino.

Questão 2

Os nomes científicos dos seres vivos são escritos com base em um conjunto de regras proposto por Carl von Linné. A respeito dessas regras, marque a alternativa incorreta:

a) Todos os nomes científicos devem ser escritos em latim ou latinizados.

b) Quando se referir às subespécies, a nomenclatura será trinomial.

c) O nome científico é composto por dois nomes: gênero e epíteto específico.

d) O nome científico nunca deve ser destacado do texto.

e) O nome do autor pode ser colocado logo após o nome da espécie.

Mais Questões
Assuntos relacionados
A destruição de habitat é uma das causas da perda da biodiversidade
Causas da perda de biodiversidade
Conheça as principais causas da perda de biodiversidade e a importância da conservação de espécies.
O que é biodiversidade?
Você sabe o que é biodiversidade? Clique aqui, conheça melhor esse conceito e entenda a importância de preservar-se as espécies de um ecossistema.
Perereca <i>Dendropsophus nanus</i> vocalizando. Fotografia: Fabrício Hiroiuki Oda.
Comunicação em Anfíbios Anuros (Sapos, Rãs e Pererecas)
Saiba como anfíbios anuros minimizam perdas energéticas ao utilizarem a vocalização em suas interações sociais.
Na imagem, podemos ver um exemplo de protocooperação entre uma ave e um animal
Relações ecológicas interespecíficas
As relações ecológicas interespecíficas são classificadas em harmônicas e desarmônicas dependendo do tipo de relação que as espécies estabelecem entre si.