Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Fisiologia
  4. Fermentação lática no músculo

Fermentação lática no músculo

A fermentação lática nas células musculares é um processo que ocorre de forma alternativa, frente a situações em que o organismo não realiza respiração aeróbia. Considerado um artifício metabólico de curto prazo, ativado quando o organismo é submetido a um intenso esforço físico em condições de baixa oxigenação muscular.

Durante a atividade motora (contrações musculares) em condições de anaerobismo, inicialmente as células catabolizam parcialmente a molécula de glicose (não aproveitando todo o potencial energético deste monossacarídeo), processada em duas moléculas de ácido pirúvico, fornecendo uma quantidade pequena de Adenosina Trifosfato (2 moléculas de ATP), produzindo também duas moléculas de NADH2 (enzima aceptora de hidrogênio).

Em continuidade ao processo catabólico, cada ácido pirúvico em reação com as moléculas de NADH2, dão origem a duas moléculas de ácido lático, restituindo as enzimas e liberando mais 06 moléculas de ATP para o funcionamento celular.

Naturalmente, por meio do mecanismo aeróbio, são produzidas 38 moléculas de ATP. Contudo, por meio do mecanismo anaeróbio, são ofertadas apenas 08 moléculas de ATP.

Porém, a desvantagem anaeróbia em relação à aeróbia, consiste não somente a quantidade de ATP, mas aos efeitos fisiológicos causados. Em decorrência a extensos períodos de atividade fermentativa (exercícios físicos prolongados), as células musculares passam a conter uma concentração muito elevada de ácido lático, prejudicando o funcionamento da célula.

Entre os efeitos provocados em defesa do metabolismo, o organismo passa a sentir dor e fadiga muscular, causada por uma contração arrítmica (gradativa ou repentina) atuando com sinal de alerta, induzindo o fim da atividade para repouso e restabelecimento da capacidade fisiológica do órgão.

Isso ocorre à medida com que o excesso de ácido lático se difunde para o fígado, onde é convertido em ácido pirúvico e posteriormente em glicose armazenada na forma de glicogênio, sendo a conversão denominada de gliconeogênese.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
O esforço físico e a concentração de ácido lático na musculatura.
O esforço físico e a concentração de ácido lático na musculatura.
Publicado por: Krukemberghe Divino Kirk da Fonseca Ribeiro
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Aparelho bucal das borboletas (probóscide).
Aparelho bucal dos insetos
De acordo com a formação e posição do aparelho bucal dos insetos, eles podem ser subdivididos. Saiba mais!
Na embolia pulmonar, trombos instalam-se na artéria pulmonar ou em um de seus ramos.
Embolia pulmonar
Amplie seus conhecimentos sobre embolia pulmonar, uma situação ocasionada pela obstrução da artéria pulmonar e que pode levar à morte, se não tratada adequadamente.
Somente as ostras são capazes de formarem as pérolas
Formação de uma pérola
Clique aqui e descubra como ocorre a formação das pérolas em algumas espécies de ostras.
ATP é uma sigla utilizada para denominar a molécula de adenosina trifosfato
ATP
Compreenda o que é ATP (adenosina trifosfato) e entenda a importância dessa molécula para as células de todos os seres vivos.
Esquema da anatomia interna de um anelídeo, evidenciando um segmento do sistema digestivo e circulatório.
Respiração e circulação dos anelídeos
O transporte de nutrientes e gases através do sistema circulatório.
A Síndrome do Intestino Irritável acomete mais mulheres jovens
Síndrome do intestino irritável
Saiba mais sobre causas, sintomas e formas de tratamento da síndrome do intestino irritável.