Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Geografia
  3. Geografia Física do Brasil
  4. Hidrelétricas no Brasil

Hidrelétricas no Brasil

As hidrelétricas no Brasil correspondem a 90% da energia elétrica produzida no país. A instalação de barragens para a construção de usinas iniciou-se no Brasil a partir do final do século XIX, mas foi após a Segunda Grande Guerra Mundial (1939-1945) que a adoção de hidrelétricas passou a ser relevante na produção de energia brasileira.

Apenas de o país apresentar o terceiro maior potencial hidráulico do mundo (atrás apenas de Rússia e China), o Brasil importa parte da energia hidrelétrica que consome. Isso porque a maior hidrelétrica das Américas e segunda maior do mundo, a Usina de Itaipu, não é totalmente brasileira. Por se encontrar na divisa do país com o Paraguai, 50% da produção da usina pertence ao país vizinho que, na incapacidade de consumir esse montante, vende o excedente para os brasileiros. Além do mais, o Brasil também compra energia produzida pelas hidrelétricas argentinas de Garabi e Yaceritá.

Muitos analistas destacam a desnecessidade da importação de energia elétrica para completar o abastecimento do país e culpam a falta de investimento, uma vez que o país só aproveita 25% do potencial hidráulico existente. Por outro lado, a construção de usinas esbarra em questões burocráticas – como o orçamento e planejamento administrativo – e em questões ambientais, pois, como veremos adiante, a construção de barragens para a produção de energia pode causar danos ao meio ambiente.

A produção de energia elétrica no Brasil é realizada através de dois grandes sistemas estruturais integrados: o sistema Sul-Sudeste-Centro-Oeste e o sistema Norte-Nordeste, que correspondem, respectivamente, por 70% e 25% da produção de energia hidrelétrica no Brasil.

A partir de 1990, houve uma redução no investimento em construções de hidrelétricas no país. Com isso, em 1995, ocorreu um amplo processo de privatização do setor elétrico, com a perspectiva de que tal medida proporcionasse ampliação de investimentos nesse setor. Entretanto, tais expectativas não foram atendidas e as consequências foram os sucessivos apagões e o estabelecimento de uma crise energética no Brasil, que culminou no racionamento de energia realizado em 2001.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Posteriormente, o governo brasileiro ampliou a realização de estudos e de projetos para a ampliação de usinas hidrelétricas no país, acarretando para a construção, principalmente, de usinas de pequeno porte distribuídas por todo o país. A preferência na construção de pequenas usinas se deve ao fato de que essas geram menos impactos ambientais.

Vantagens e desvantagens da produção de energia em hidrelétricas

Existe uma série de vantagens e desvantagens na construção de barragens para a geração de energia a partir das hidrelétricas. Dessa forma, cabe ao governo e à população do país pesar os pontos positivos e negativos para avaliar a necessidade da expansão desse tipo de política energética.

Entre as vantagens, podemos citar, primeiramente, que a água é um recurso renovável – desde que seja garantida a preservação das nascentes dos rios. Em segundo lugar está o fato de que o seu custo é bem inferior ao de outros tipos de usinas, como as termelétricas, as eólicas e as nucleares. Além disso, as hidrelétricas não acarretam para a geração de poluentes na atmosfera, a exemplo das termelétricas.

Entre as desvantagens, assinala-se o espaço ocupado pelo represamento de rios para a construção das barragens (observe a figura abaixo). Esse espaço pode se dar em áreas de reservas florestais, ricas em fauna e flora, que contribuem para a manutenção da vida em determinadas áreas. Além disso, a área ocupada pode ser habitat de comunidades indígenas e populações tradicionais, que veem nesse espaço não somente um local de moradia, mas também um espaço afetivo, longe do qual dificilmente irão se adaptar.

A construção de hidrelétricas requer o represamento de água em grandes extensões de área
A construção de hidrelétricas requer o represamento de água em grandes extensões de área

Usina de Itaipu, maior usina das Américas e segunda maior do mundo
Usina de Itaipu, maior usina das Américas e segunda maior do mundo
Publicado por: Rodolfo F. Alves Pena
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Fitogeografia do Brasil
Conheça aqui mais sobre a diversidade da fitogeografia do Brasil, que estuda a relação entre clima, relevo e vegetação da região.
O Brasil vive, atualmente, uma de suas maiores crises de água
Crise da água no Brasil
Entenda a questão da crise de água no Brasil a partir do levantamento de seus principais fatores, causas e consequências.
Fontes renováveis de energia são consideradas matrizes alternativas inesgotáveis de energia que provocam menos danos ao meio ambiente.
Fontes renováveis de energia
Aprenda um pouco mais sobre as fontes renováveis de energia, que representam opções alternativas à matriz energética baseada no uso de combustíveis fósseis, utilizada no mundo todo. As fontes renováveis de energia causam menos danos ao meio ambiente, porém seu uso requer tecnologias que o viabilizem.
Lei de Faraday
Você sabe o que é a lei de Faraday? Saiba o que é fluxo magnético, e confira a fórmula da força eletromotriz induzida e exercícios sobre indução eletromagnética.
O planeta Terra apresenta uma grande variedade de biomas
Biomas
Clique aqui e conheça os biomas aquáticos e terrestres do planeta Terra!
Artesanatos feitos com a fibra do babaçu.
Mata dos cocais
Mata dos cocais, O que é mata dos cocais, Onde desenvolve a mata dos cocais, A importância social da mata dos cocais, Os principais tipos de vegetais da mata dos cocais.