Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Dúvidas de vocabulário
  4. Avisou que ou avisou de que?

Avisou que ou avisou de que?

Avisou que... Avisou de que... Ambas as circunstâncias revelam particularidades linguísticas que norteiam o sistema do qual fazemos uso. O não conhecimento das regras desse sistema, muitas vezes, nos coloca em xeque em determinadas situações, de forma embaraçosa.

O fato é que nos encontramos inseridos nesse referido sistema e, a fim de haver uma articulação das nossas ideias de modo que a interlocução seja efetivamente materializada, precisamos ter domínio das regras prescritas pela variante padrão. Assim sendo, um dos aspectos mais recorrentes diz respeito à regência verbal. Ou seja, para que possamos fazer uso das formas verbais de forma adequada, temos de compreender a relação que essas estabelecem com os elementos que as acompanham, isto é, com seus respectivos complementos. Sendo assim, ocupemo-nos em desvendar algumas particularidades relativas aos dois casos já mencionados – alvos de nossa discussão. Para tanto, tomemos como exemplo o seguinte enunciado: 

O diretor avisou aos professores de que não haveria aula no dia seguinte. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Pois bem, em se tratando do verbo avisar, ele pode ser transitivo direto e indireto. Vejamos:

a) Avisar alguma coisa a alguém:

O diretor avisou aos professores que não haveria aula no dia seguinte.

Temos assim o objeto indireto (aos professores) e o objeto direto (que não haveria aula no dia seguinte)

b) Avisar alguém de alguma coisa:

O diretor avisou os professores de que não haveria aula no dia seguinte.

Analisando, temos:

O objeto direto (os professores) e o objeto indireto (de que não haveria aula no dia seguinte)

Partindo de tais pressupostos, percebe-se um desvio em relação à transitividade verbal, cuja ocorrência nos remete a uma reformulação do discurso que nos serviu de exemplo, assim materializada:

O diretor avisou aos professores que não haveria aula no dia seguinte.

Ou

O diretor avisou os professores de que não haveria aula no dia seguinte.

Avisou que ou avisou de que são circunstâncias relacionadas à regência verbal, na qual podemos notar a dupla transitividade do verbo avisar
Avisou que ou avisou de que são circunstâncias relacionadas à regência verbal, na qual podemos notar a dupla transitividade do verbo avisar
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Assuntos relacionados
Quando usar o pronome oblíquo ou pessoal do caso reto?
Entre mim e você ou entre eu e você?
Saiba quando usar o pronome oblíquo e quando usar o pronome pessoal do caso reto!
Flagrante ou fragrante?
Saiba o significado e o modo correto de usar cada termo!
A correta utilização acerca dos termos “de o /do”
Interaja-se acerca de suas particularidades!
A flexão encontra-se condicionada ao contexto
Eles estão alertas ou alerta? – Alertando sobre as diferenças
Confira todas elas, em apenas um clique!
Somente duas construções são consideradas corretas: pisar a grama e pisar na grama
Pisar à grama, na grama ou a grama?
Pisar à grama, na grama e a grama são expressões cotidianas que geralmente suscitam questionamentos. Caso você tenha dúvidas, clique e confira as dicas!
Eficácia e eficiência se distinguem quanto ao significado, sobretudo em esse tratando do campo da Administração
Eficiência e Eficácia
Eficácia e eficiência, sobretudo em se tratando do campo da Administração, apresentam sentidos distintos. Clique aqui e não deixe de conhecê-los!
Não se esqueça de que as expressões frente a e face a necessitam de algumas adequações linguísticas
Frente a e Face a: adequações linguísticas
Confira acerca de algumas adequações linguísticas relativas às expressões frente a e face a, bastando para isso apenas um clique!
Até e até a, de acordo com a norma culta, são expressões consideradas adequadas
Até e Até a
“Até” e “até a” são duas expressões consideradas corretas, segundo o padrão formal da linguagem.