Whatsapp icon Whatsapp

Avisou que ou avisou de que?

Avisou que ou avisou de que são circunstâncias relacionadas à regência verbal, na qual podemos notar a dupla transitividade do verbo avisar
Avisou que ou avisou de que são circunstâncias relacionadas à regência verbal, na qual podemos notar a dupla transitividade do verbo avisar

Avisou que... Avisou de que... Ambas as circunstâncias revelam particularidades linguísticas que norteiam o sistema do qual fazemos uso. O não conhecimento das regras desse sistema, muitas vezes, nos coloca em xeque em determinadas situações, de forma embaraçosa.

O fato é que nos encontramos inseridos nesse referido sistema e, a fim de haver uma articulação das nossas ideias de modo que a interlocução seja efetivamente materializada, precisamos ter domínio das regras prescritas pela variante padrão. Assim sendo, um dos aspectos mais recorrentes diz respeito à regência verbal. Ou seja, para que possamos fazer uso das formas verbais de forma adequada, temos de compreender a relação que essas estabelecem com os elementos que as acompanham, isto é, com seus respectivos complementos. Sendo assim, ocupemo-nos em desvendar algumas particularidades relativas aos dois casos já mencionados – alvos de nossa discussão. Para tanto, tomemos como exemplo o seguinte enunciado: 

O diretor avisou aos professores de que não haveria aula no dia seguinte. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Pois bem, em se tratando do verbo avisar, ele pode ser transitivo direto e indireto. Vejamos:

a) Avisar alguma coisa a alguém:

O diretor avisou aos professores que não haveria aula no dia seguinte.

Temos assim o objeto indireto (aos professores) e o objeto direto (que não haveria aula no dia seguinte)

b) Avisar alguém de alguma coisa:

O diretor avisou os professores de que não haveria aula no dia seguinte.

Analisando, temos:

O objeto direto (os professores) e o objeto indireto (de que não haveria aula no dia seguinte)

Partindo de tais pressupostos, percebe-se um desvio em relação à transitividade verbal, cuja ocorrência nos remete a uma reformulação do discurso que nos serviu de exemplo, assim materializada:

O diretor avisou aos professores que não haveria aula no dia seguinte.

Ou

O diretor avisou os professores de que não haveria aula no dia seguinte.

Publicado por Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos Relacionados

Até e Até a
“Até” e “até a” são duas expressões consideradas corretas, segundo o padrão formal da linguagem.
video icon
Texto"Matemática do Zero | Soma dos ângulos internos de um polígono convexo" em fundo azul.
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Soma dos ângulos internos de um polígono convexo
Nessa aula demonstrarei a soma dos ângulos internos de um triângulo para generalizar a fórmula da soma dos ângulos internos de um polígono convexo qualquer.