Whatsapp icon Whatsapp

As Primeiras Cidades

As cidades coloniais refletiam a concepção de exploração colonial dos portugueses.
As cidades coloniais refletiam a concepção de exploração colonial dos portugueses.
Para alguns leigos no assunto, o processo de desenvolvimento dos primeiros núcleos urbanos no Brasil somente aconteceu com a anterior ocupação do espaço rural brasileiro. Contudo, apesar de sermos marcados por uma economia agroexportadora, percebemos historicamente que a formação dos núcleos urbanos foi o primeiro modelo de ocupação do espaço colonial.

Essa característica tem muito a ver com a função que as cidades tinham para o projeto de dominação colonial implantado pelos lusitanos. A cidade servia, fundamentalmente, como um centro irradiador da cultura europeia. Ao mesmo tempo, deveria oferecer o suporte necessário para que as instituições políticas e militares portuguesas pudessem melhor orientar o controle dos territórios explorados.

Tomada essa primeira característica, notamos que os primeiros núcleos de ocupação urbana se concentraram nas regiões litorâneas. Essa escolha visava facilitar o escoamento dos produtos e riquezas que eram exportadas para o Velho Mundo. Com o passar do tempo, graças à ação dos jesuítas e a descoberta de metais preciosos, notamos que outras cidades passaram também a se estabelecer pelo interior.

Ao contrário dos espanhóis, que se preocupavam em reproduzir os meios de ocupação do espaço da metrópole na colônia, os portugueses optaram por um processo de urbanização de pouca intervenção. Com isso, percebemos que várias cidades coloniais obedecem ao relevo natural, provocando um traçado desordenado que se estendia de acordo com as necessidades imediatas de uso do espaço.

Contrastando com a imagem desalinhada, devemos destacar que as cidades desse período aglomeravam as instituições que deveriam garantir o estabelecimento dos interesses metropolitanos. As igrejas, as fortificações, os centros administrativos e os redutos militares ocupavam uma posição de destaque, pois reafirmavam a presença e o domínio lusitano.

No século XVIII, conforme anteriormente citado, vemos que o espaço colonial brasileiro já contava com algumas cidades detentoras de um grande número de habitantes. Pelos fins desse período, cidades como Salvador e Rio de Janeiro já abrigavam populações superiores à faixa dos 40.000 habitantes. Na região nordeste, locais como São Luis e Recife ultrapassavam a marca dos 20.000 moradores.

A desordem que caracteriza os núcleos urbanos coloniais explica muito das péssimas condições de higiene da época e tem relação com outros problemas urbanos da atualidade. Somente no século XIX, percebemos que outros modelos de ocupação e ordenamento das cidades viriam a modernizar este quadro. Atualmente, muitas dessas cidades coloniais integram o patrimônio histórico e cultural da nossa nação.


Por Rainer Sousa
Mestre em História
Publicado por Rainer Gonçalves Sousa
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

A expansão territorial e os tratados de limites
Os acordos que redimensionaram o território brasileiro.
Escravidão no Brasil
Leia este texto e aprenda mais sobre a escravidão no Brasil. Veja sobre a origem dessa instituição, conheça os grupos escravizados e entenda como foi proibida.
Os negros no Brasil Colonial
Saiba como se deu a escravidão de negros no Brasil Colonial. Clique aqui e conheça mais sobre a história de nosso país!
video icon
Professor ao lado do escrito "Qual a diferença entre discurso e texto?".
Português
Qual a diferença entre discurso e texto?
Todo texto é um discurso. Mas e o contrário? Todo discurso é um texto? Nesta aula vamos acabar de vez com essa confusão e deixar bem claro quem é quem no universo textual.