Whatsapp icon Whatsapp

Distrito Diamantino

O controle e a riqueza gerada com a extração de diamantes na região de Minas Gerais.
O controle e a riqueza gerada com a extração de diamantes na região de Minas Gerais.

No início do século XVIII, a descoberta de ouro na região de Minas Gerais estabeleceu a busca por novas áreas que pudessem conter aquele mesmo tipo de riqueza pioneiramente encontrada pelos bandeirantes. Na verdade, além de outras regiões ricas em ouro, o desenvolvimento da atividade mineradora também abriu espaço para a descoberta de regiões ricas em pedras preciosas.

Segundo alguns registros, a descoberta de diamantes teria acontecido na mesma época em que as primeiras jazidas de ouro teriam sido conhecidas pela Coroa Portuguesa. No entanto, a oficialização desse evento aconteceu somente em 1729. No mês de julho daquele ano, o governador Lourenço de Almeida enviou algumas pedras para o governo de Portugal pensando que tinha encontrado diamantes na Comarca de Serro Frio.

Diferentemente da atividade aurífera, os portugueses tiveram grandes dificuldades para evitar a ação de contrabando dos diamantes encontrados nessa região. Afinal de contas, era impossível fundir as pedras preciosas e, desse modo, impor a mesma cobrança de impostos que era reservada ao ouro. Com isso, o governo de Portugal determinou que todos os mineradores da região fossem imediatamente expulsos dali e demarcou a região do chamado Distrito Diamantino.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em um primeiro momento, o governo lusitano determinou que fosse promovido o arrendamento da região diamantífera para as mãos de contratadores. Nessa modalidade de contrato, os contratadores forneciam, antecipadamente, o pagamento de uma quantia em troca da exploração dos diamantes naquela localidade. Com isso, a Coroa esperava adiantar o lucro com a atividade e evitar problemas com o contrabando de pedras.

Tal modelo de funcionamento e arrecadação veio a funcionar entre as décadas de 1740 e 1770. No ano seguinte, o governo português decidiu reformular o processo de extração das pedras preciosas com a criação da Real Extração, uma espécie de empresa que cuidaria diretamente dessa atividade. Realizando a extração de forma direta, a metrópole esperava ampliar seus ganhos em um período em que as minas de diamante apresentavam sinais de esgotamento.

Por Rainer Sousa
Mestre em História
Equipe Mundo Educação

Publicado por Rainer Gonçalves Sousa

Artigos Relacionados

A expansão para o Sul
O processo de ocupação e conquista da região sul do território brasileiro.
Atividades complementares da economia colonial
Brasil Colônia, Atividades no Brasil Colonial, Atividades complementares na colônia, atividades secundárias, atividades acessórias, pecuária, fumo, algodão, mandioca, drogas do sertão.
Escravidão no Brasil
Leia este texto e aprenda mais sobre a escravidão no Brasil. Veja sobre a origem dessa instituição, conheça os grupos escravizados e entenda como foi proibida.
Os diferentes tipos de escravo no Brasil
As variadas tarefas e condições assumidas pelo escravo no Brasil.
Portugueses e indígenas: encontro ou desencontro de culturas?
O Brasil foi descoberto ou conquistado pelos portugueses? O primeiro contato entre portugueses e indígenas foi marcado pelo encontro ou desencontro de culturas? Veja aqui.
Reformas Pombalinas
Marquês de Pombal, período pombalino, Sebastião José de Carvalho, Dom José I, despotismo esclarecido, Tratado de Methuen, capitanias hereditárias, Conselho Ultramarino, Erário Régio, mão-de-obra indígena, Companhia de Jesus, jesuítas.
video icon
Professor ao lado do escrito "Qual a diferença entre discurso e texto?".
Português
Qual a diferença entre discurso e texto?
Todo texto é um discurso. Mas e o contrário? Todo discurso é um texto? Nesta aula vamos acabar de vez com essa confusão e deixar bem claro quem é quem no universo textual.