Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História do Brasil
  3. Brasil Colônia
  4. Os jesuítas no Brasil

Os jesuítas no Brasil

Ao pisar no Brasil, a primeira ação tomada pelo navegador Pedro Álvares Cabral e seus tripulantes foi organizar uma missa que comemorava a chegada em novas terras. Nesse simples gesto, percebemos que os europeus não tinham somente um projeto de caráter econômico no Brasil. Sendo nação de forte fervor religioso católico, Portugal trouxe membros da Ordem de Jesus que teriam a incumbência de ampliar o número de fiéis no Novo Mundo.

O alvo primordial dessa conversão seriam os índios, que desde as primeiras anotações feitas por Pero Vaz de Caminha são descritos como povos inocentes que iriam se converter sem maiores problemas. A relação entre Estado e Igreja nessa época era próxima, na medida em que ambas empreendiam medidas que colaboravam com seus interesses mútuos. Enquanto os jesuítas tinham apoio na catequização dos nativos, o Estado contava com auxílio clerical na exploração do território e na administração.

Sob tal aspecto, devemos relembrar que o interesse da Igreja em ocupar e evangelizar o Novo Mundo se dava também pelas várias transformações ocorridas na Europa do século XVI. Nessa época, as religiões protestantes surgiam como uma alternativa ao milenar poderio religioso católico. Para reagir à significativa perda de fiéis, a Igreja aprovou a concepção da Ordem de Jesus, criada em 1534 por Inácio de Loyola, com objetivo de pregar o cristianismo nas Américas.

Seguindo atribuições diretas do rei Dom João III, o governador-geral, Tomé de Sousa, chegou ao Brasil em 1549 trazendo vários padres jesuítas que deveriam propagar a fé católica. Fundando colégios e missões pelo litoral e interior do Brasil, os jesuítas passaram a não só tratar da conversão dos nativos, bem como a administrar as principais instituições de ensino da época e auxiliar os mais importantes órgãos de administração e controle da metrópole.

Mesmo salientando o apoio oficial, não podemos deixar de falar dos conflitos que envolveram os jesuítas e os colonizadores. Nas primeiras décadas da colonização, a enorme dificuldade para se obter mão de obra escrava africana motivou vários colonos a buscarem a força de trabalho compulsória dos índios. Logo de início, os jesuítas se opuseram a tal prática, já que a transformação dos índios em escravos dificultava imensamente o trabalho de evangelização.

Na segunda metade do século XVIII, a presença dos jesuítas no Brasil sofreu um duro golpe. Nessa época, o influente ministro Marquês de Pombal decidiu que os jesuítas deveriam ser expulsos do Brasil por conta da grande autonomia política e econômica que conseguiam com a catequese. A justificativa para tal ação adveio da ocorrência das Guerras Guaraníticas, onde os padres das missões do sul armaram os índios contra as autoridades portuguesas em uma sangrenta guerra.

Apesar desse episódio, a herança religiosa dos jesuítas ainda se encontra manifesta em vários setores da nossa sociedade. Muitas escolas tradicionais do país, bem como várias instituições de ensino superior espalhadas nos mais diversos pontos do território brasileiro, ainda são administradas por setores dirigentes da Igreja Católica. Somente no século XIX, foi que as escolas laicas passaram a ganhar maior espaço no cenário educacional brasileiro.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Rainer Sousa
Mestre em História

A ação dos jesuítas garantiu a expansão do catolicismo ao longo do território brasileiro.
A ação dos jesuítas garantiu a expansão do catolicismo ao longo do território brasileiro.
Publicado por: Rainer Gonçalves Sousa
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Alguns fatos indicam que não foram os portugueses os primeiros europeus a chegar às terras brasileiras.
Conquista ou descobrimento do Brasil?
A chegada de Cabral representou o descobrimento do Brasil ou a conquista de um novo território? Entenda os fatos relacionados ao encontro dos portugueses com as terras brasileiras e com os povos que aqui viviam.
Representação da chegada do governador Tomé de Sousa à Bahia.
Governos gerais
Brasil Colônia, Administração Colonial, Colonização do Brasil, Governos Gerais, governador-geral, ouvidor-mor, capitão-mor, provedor-mor, Duarte da Costa, Tomé de Souza, Mem Sá, Invasão Francesa.
Diversos tratados negociaram a redefinição dos limites do território brasileiro.
A expansão territorial e os tratados de limites
Os acordos que redimensionaram o território brasileiro.
Estátua de Raposo Tavares, um dos principais bandeirantes paulistas
14 de novembro – Dia do Bandeirante
Fique sabendo por que o Dia do Bandeirante é comemorado em 14 novembro e que relação essa data tem com a cidade de Santana de Paranaíba.
Zumbi dos Palmares (1655-1695) foi um dos líderes do Quilombo dos Palmares e coordenou a resistência do quilombo até a sua destruição, em 1694.*
Quilombo dos Palmares
Clique e acesse para saber mais sobre a história do Quilombo dos Palmares. Entenda como surgiu, como era a vida nesse quilombo e como foi o seu fim.
O curupira é personagem de uma lenda do folclore brasileiro que surgiu nos povos indígenas e que foi relatada, pela primeira vez, no século XVI.
Curupira
Clique para saber mais sobre a lenda do curupira! Aprenda sobre a origem dessa lenda e qual é o significado do nome desse ser do folclore brasileiro.
As Grandes Navegações resultam de uma série de interesses que marcaram a Europa.
Grandes Navegações
As motivações que impulsionaram a aventura européia pelos mares e oceanos.
As drogas do sertão: diversificação das atividades coloniais.
Atividades complementares da economia colonial
Brasil Colônia, Atividades no Brasil Colonial, Atividades complementares na colônia, atividades secundárias, atividades acessórias, pecuária, fumo, algodão, mandioca, drogas do sertão.
Os motins do Maneta tomaram de assalto a cidade de Salvador.
Motins do Maneta
Motins do Mante, Motim do Maneta, Motim Patriota, Salvador, Rio de Janeiro, pacto colonial, Guerra de Sucessao Espanhola, João de Figueiredo da Costa, Manuel Dias Figueiras, René Duguay-Trouin, Domingos da Costa Guimarães, Luís Chafet, Domingos Gomes.
Maurício de Nassau foi responsável pela condução de boa parte das ações coloniais holandesas.
Colonização Holandesa
As ações tomadas pela Holanda no tempo em que dominou parte do território brasileiro.
Os feitos de Calabar incitam um acalorado debate historiográfico.
Domingos Fernandes Calabar
Um das mais polêmicas figuras da história colonial brasileira.
A “brecha camponesa” contribuiu na diminuição dos conflitos entre escravos e senhores.
Brecha Camponesa
A prática que concedia pequenos lotes de terra aos escravos.
Ao longo de três séculos, cerca de 5 milhões de africanos foram desembarcados no Brasil como escravos.
Diferenças entre escravidão indígena e escravidão africana
Leia este texto e aprenda mais sobre a escravização de indígenas e de africanos no Brasil. Entenda as particularidades de cada uma e saiba quando terminaram.