Whatsapp icon Whatsapp

Poder Moderador

O Poder Moderador, o quarto poder no Império Brasileiro, era exercido apenas pelo imperador e tinha o objetivo de harmonizar os outros poderes.
O estadista francês Benjamin Constant foi um dos inspiradores do Poder Moderador
O estadista francês Benjamin Constant foi um dos inspiradores do Poder Moderador
  • O que era o Poder Moderador?

O Poder Moderador, no contexto do Império Brasileiro – que durou de 1824 a 1889 –, era um dos poderes constituintes do Brasil, isto é, juntamente aos poderes legislativo, executivo e judiciário, era a base da legitimidade política e da soberania brasileira. Era, portanto, um quarto poder, considerado por seus ideólogos um “poder neutro”, responsável por “harmonizar” os demais e atribuído apenas ao imperador.

A Constituição de 1824, primeira Carta Magna brasileira, definiu deste modo o Poder Moderador, em seu art. 98: O Poder Moderador é a chave de toda a organização política e é delegado privativamente ao imperador, como chefe supremo da nação e seu primeiro representante, para que incessantemente vele sobre a manutenção da independência, equilíbrio e harmonia dos demais poderes políticos.”

O imperador também era o chefe do Poder Executivo (isso pode ser lido no art. 102 da Constituição de 1824) e exercia esse poder por meio de seus ministros de Estado. Contudo, isso não queria dizer que o imperador tivesse função ativa entre os ministros, mas que sua autoridade de monarca prevalecia sobre os cargos administrativos. O imperador era encarado como o primeiro “defensor da Nação”, a primeira autoridade vigilante dos fundamentos desta. A fonte de seu poder era sagrada e inviolável, por isso, ele poderia interferir nos demais poderes, em especial no Executivo.
 

  • Características do Poder Moderador

Um dos mais famosos teóricos do Poder Moderador no Brasil, o Visconde do Uruguai, em seu Ensaio do Direito Administrativo, diz que: “O poder Moderador não tem por fim, nem tem nas suas atribuições meios para constituir nada novo. Não é poder ativo. Somente tem por fim conservar, moderar a nação, restabelecer o equilíbrio, manter a independência e harmonia dos demais poderes, o que não poderia fazer se estivesse assemelhado, refundido e na dependência de um deles.” [1]

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O fato de não ser um poder ativo configurava o poder moderador como “neutro”, isto é, como o próprio nome indica, “moderava” o sistema de poderes, a fim de manter o equilíbrio e não permitir que um se superpusesse ao outro e degenerasse em tirania. Para tanto, ao imperador, o Poder Moderador concedia a faculdade de interferir pontualmente nos outros três poderes, como explicita o art. 101 da Constituição de 1824. Segundo esse artigo, o imperador exerce o Poder Moderador:

1)“Nomeando os Senadores” (em caráter vitalício); (…) 6) “Nomeando e demitindo livremente os Ministros de Estado”; 7) “Suspendendo Magistrados, nos casos do art. 15”; 8) “Perdoando e moderando as penas impostas aos réus condenados por sentença”; 9) “Concedendo a anistia em caso urgente, e que assim aconselhem a humanidade e o bem do Estado”.

A inspiração para o Poder Moderador veio do pensamento de estadistas franceses como Benjamin Constant e Clermont Tornnerre, cujas ideias circularam na França na época da Restauração da Casa de Bourbon, após a derrocada do Império Napoleônico. Um dos responsáveis diretos pela inserção do Poder Moderador na Constituição Imperial do Brasil foi o estadista José Bonifácio de Andrada e Silva.

A ideia do Poder Moderador só se enfraqueceu no Brasil a partir de 1847, quando D. Pedro II concordou com a criação da Presidência do Conselho de Ministros, que foi formalizada pelo decreto de 20 de junho do mesmo ano. Com esse decreto, o Brasil passou a ser de fato uma monarquia parlamentarista, com certa autonomia por parte do poder Executivo.

NOTAS

[1] URUGUAI, Visconde do, 1807-1866. CARVALHO, José Murilo. (org./ intro.). Visconde do Uruguai: Ensaio sobre o Direito Administrativo. São Paulo: Ed. 34, 2002. p. 353.

Publicado por Cláudio Fernandes
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Dom Pedro I deteve a criação de uma constituição liberal no Brasil.
Assembleia Constituinte
Em março de 1824, Dom Pedro I outorgou a primeira constituição do Brasil.
Constituição de 1824
Conheça a história da Constituição de 1824, a primeira Carta brasileira. Entenda também por que ela foi outorgada, e não promulgada.
Com a independência, d. Pedro foi coroado imperador do Brasil e tornou-se d. Pedro I.[1]
Independência do Brasil
Acesse para saber como foi o processo de independência do Brasil. Entenda suas causas, seus principais acontecimentos e suas consequências.
video icon
Matemática
Polígonos regulares circunscritos
Nesta aula veremos o que é um polígono regular circunscrito e seus principais elementos. Trabalharemos um quadrado circunscrito na circunferência, um triângulo equilátero circunscrito na circunferência e um hexágono regular circunscrito na circunferência.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas.