Bíblia

Em seu significado original, o termo bíblia vem da palavra grega “biblos” que significa “papel, livro, papiro” e pode ser utilizado para todo e qualquer conjunto de textos sagrados que contém os ensinamentos fundamentais de qualquer tipo de religião. Entretanto, o uso desse termo acabou sendo também utilizado para se nomear o principal livro adotado pelas religiões cristã e judaica. Contendo sessenta e seis livros, a Bíblia é tida como uma das publicações mais vendidas ao redor do mundo.

Estes livros são organizados em duas partes distintas: Antigo Testamento, também conhecidas como as “Escrituras Hebraicas” e adotadas por praticantes do judaísmo e do cristianismo; e do Novo Testamento, ou “Escrituras Gregas”, que agrega os textos escritos pelos apóstolos que seguiram a Jesus Cristo no século I. Os judeus não reconhecem essa parte final da Bíblia e somente os cristãos a consideram de fundamental importância na elaboração de seus princípios religiosos.

No campo da prática religiosa judaico-cristã, a leitura da Bíblia tem função primordial no conhecimento das orientações e valores de ambas as denominações. O valor sagrado atribuído à Bíblia se deve à crença de que as suas narrativas teriam sido diretamente inspiradas por Deus aos homens. Por tal razão, apesar das várias divergências interpretativas, a Bíblia assume uma função doutrinadora essencial e ficou também conhecida como a “Palavra de Deus”.

Pesquisas históricas apontam que a elaboração do texto bíblico foi provavelmente realizada no período situado entre 1200 e 1100 a.C.. Nessa época, os feitos dos primeiros patriarcas hebreus e o desenvolvimento da civilização hebraica foram temas centrais das primeiras páginas do texto bíblico. Antes desse período, a indefinição da escrita entre os hebreus estabeleceu o desenvolvimento de uma tradição oral repassada para várias gerações.

As primeiras versões escritas da Bíblia surgiram durante o governo do rei Davi (1025 – 985 a.C.) e foram desenvolvidas graças ao trabalho dos escribas que se detinham à tarefa de reproduzir várias cópias do texto bíblico. Por volta do século VIII a.C., o surgimento dos profetas trouxe outra característica à criação dos outros textos bíblicos. A conservação do que era dito por tais lideranças religiosas ganhava um registro escrito por meio do trabalho de recolhimento e conservação dos discípulos.

Por volta do século II a.C., praticamente todos os livros que compunham o Antigo Testamento estavam devidamente acabados. Poucos anos depois da morte de Jesus Cristo, a disseminação da religião cristã trouxe à tona a necessidade de se preservar e copiar os relatos proferidos pelos discípulos e outros seguidores que falaram sobre o tempo em que Cristo viveu. Dessa forma, seriam elaborados os Evangelhos, que foram seguidos pelos outros livros que comporiam o Novo Testamento.

Mesmo sendo um dos mais conhecidos livros em todo o planeta, com uma impressão média de 20 milhões de exemplares ao ano, devemos salientar que alguns críticos levantam o fato dela também ser um dos “best-sellers” menos lidos ao redor do mundo. Além disso, os judeus e as diversas denominações cristãs empregam o uso de versões diferentes da Bíblia que geralmente se distinguem pelo número de livros utilizados.

Apesar de ter uma função de natureza essencialmente religiosa, a Bíblia não deve ser simplesmente ignorada para o desenvolvimento de estudos de natureza científica. Para a História, tomando as limitações necessárias à leitura de qualquer fonte documental, esse conjunto de livros serve como uma rica fonte de compreensão dos hebreus, do pensamento filosófico antigo e outras populações que habitaram a região do Oriente Médio.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Rainer Sousa
Mestre em História

A Bíblia é adotada como livro sagrado por diferentes denominações religiosas.
A Bíblia é adotada como livro sagrado por diferentes denominações religiosas.
Publicado por: Rainer Gonçalves Sousa
Assuntos relacionados
Os símbolos foram se desenvolvendo até formarem os primeiros alfabetos da Antigüidade.
Origem da Escrita
Escrita, origem da escrita, sistemas representativos, sistemas pictóricos, hieróglifos, chineses, egípcios, fenícios, mesopotâmicos, sistema fonético, silabas, desenvolvimento da escrita, línguas latinas, vogais, greco-romanos.
Mapa Antigo do Continente Africano antes da chegada dos europeus
África: Continente com ou sem “História”?
A negação do passado intelectual na História da África.
Estátuas de grifos em São Petersburgo, na Rússia
Grifos
Saiba mais sobre os grifos, animais também conhecidos como os cães de guarda de Zeus.
O conflito entre judeus e palestinos marca um dos mais delicados eventos da civilização hebraica.
Hebreus - Monarquia, Diáspora e Reunificação
Hebreus, História hebraica, povo hebraico, História Antiga, civilização oriental, Saul, Davi, Salomão, Templo de Jerusalém, Reino de Israel, Reino de Judá, Nabucodonosor, Cativeiro da Babilônia, Ciro I, Alexandre, Império Romano, Diáspora, Segunda Guerra Mundial, Holocausto Nazista, Estado de Israel.
Hamurábi sistematizou um conjunto de leis escritas válido em todo Império Babilônico.
O código de Hamurábi
O conjunto de leis escritas que organizou o Império Babilônico.
A Epopeia de Gilgamesh retratou um episódio de dilúvio semelhante à história de Noé
A Epopeia de Gilgamesh e o dilúvio
Conheça a Epopeia de Gilgamesh e a origem do dilúvio bíblico.