Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História Geral
  3. Idade Moderna
  4. Invenção da Imprensa

Invenção da Imprensa

A Invenção da Imprensa pelo alemão Gutenberg ocorreu no século XV e resultou em uma grande revolução que transformou a cultura e a sociedade europeia durante a Modernidade.

Entre as grandes invenções da modernidade, está, seguramente, o telescópio, desenvolvido por Galileu Galilei. Essa invenção foi responsável pela mudança radical no modo de observação astronômica até então vigente. De igual modo, podemos dizer que houve, com a invenção da máquina de imprensa pelo alemão Johann Gutenberg (1398-1468), uma mudança radical na forma de se ler e de se divulgar escritos (panfletos, jornais ou livros). A invenção da máquina de imprensa possibilitou a formação das comunidades de leitores (grandes massas de leitores que tinham acesso a livros até então de escassa circulação), bem como a formação de um aparato comercial em torno da leitura – algo que começou a aparecer no século XVIII.

A imprensa de Gutenberg foi desenvolvida entre os anos de 1439 e 1440 a partir da confecção e combinação de tipos móveis (símbolos gráficos moldados em chumbo), que eram passados em tinta à base de óleo de linhaça e impressos em papel por meio de uma prensa movimentada por uma barra de madeira. Sabe-se que esse tipo de impressão com tipos móveis não é originalmente uma invenção de Gutenberg. Na China do século XI, o inventor Bi Sheng, já havia conseguido fazer algo semelhante. Outros modelos também haviam sido desenvolvidos na Europa medieval, mas o de Gutenberg foi o que obteve maior sucesso e tornou-se plenamente viável.

O sucesso da imprensa de Gutenberg começou sobretudo com sua impressão de cópias da Bíblia, ainda na década de 1440. Mas a utilização da imprensa tornou-se realmente intensa no século seguinte, com a Reforma Protestante empreendida por Martinho Lutero. Os panfletos luteranos, que começaram a ser veiculados em 1517, passaram a ser rodados nas máquinas de imprensa (réplicas do modelo de Gutenberg) dos vários principados alemães simpáticos à causa reformista. Essa disseminação dos escritos de Lutero por meio da impressa começou uma revolução sem precedentes na prática da leitura, haja vista que, antes disso, a demora em se fazer uma cópia à mão de um documento era enorme. Com a impressa, centenas eram feitas em um único dia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A tradução que Lutero fez da Bíblia, do latim para o alemão, também foi impressa nos modelos da imprensa de Gutenberg. Isso ajudou ainda mais na disseminação da leitura e na proliferação do protestantismo na Europa, tornando esses dois fatos históricos correlacionados: a Reforma e a Imprensa, como bem destaca os historiadores Peter Burke e Asa Briggs:

Depois que as igrejas protestantes se estabeleceram, elas começaram a transmitir suas tradições por intermédio da educação das crianças. Peças, pinturas e impressos agora eram rejeitados em favor da palavra, fosse ela escrita ou falada, Bíblia ou sermão. Por outro lado, na primeira geração ([…] décadas de 1520 e 1530), os protestantes se baseavam no que pode ser chamado de 'ofensiva da mídia', não somente para comunicar suas próprias mensagens, mas também para enfraquecer a Igreja Católica, ridicularizando-a, usando o repertório tradicional do humor popular para destruir o inimigo pelo riso.[1]

NOTAS

[1] BURKE, Peter e BRIGGS, Asa. Uma história social da mídia: de Gutenberg à Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

Johann Gutenberg foi o responsável pela invenção da imprensa no século XV
Johann Gutenberg foi o responsável pela invenção da imprensa no século XV
Publicado por: Cláudio Fernandes
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

A imprensa de Gutenberg, além de tornar mais ágil o processo de reprodução de determinado texto, também desencadeou algumas transformações, tais como:

a) o arrefecimento do movimento cristão protestante no século XVI.

b) a supervalorização dos códices escritos à mão, já que os livros impressos não caíram no gosto do público.

c) o retorno à leitura em praças públicas para ouvintes, de modo que só a pessoa que dominava a tecnologia dos tipos móveis conseguia imprimir e ler os livros.

d) a possibilidade de formação de comunidades de leitores, já que livros, panfletos e jornais começaram a ser reproduzidos em massa e em língua vernácula.

e) o aumento do analfabetismo na Europa.

Questão 2

(UFRGS) A partir da impressão em metal, concebida pelo alemão Gutenberg, começam a multiplicar-se os textos e obras literárias. A esse respeito, considere as seguintes afirmações.

I. A imprensa permitiu a difusão da Bíblia em línguas vernaculares, reduzindo o papel desempenhado pelo clero.

II. Na obra Don Quijote de La Mancha, Miguel de Cervantes criou uma sátira aos ideais da cavalaria medieval.

III. Luís Vaz de Camões, em sua obra Os Lusíadas, inspirada na viagem de Vasco da Gama, narra os feitos marítimos portugueses.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas I e II.

e) I, II e III.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Cordéis expostos em Olinda, Pernambuco.
Literatura de cordel
Entenda como a literatura de cordel chegou ao Brasil e se fez como resistência da cultura regional. Leia sobre seus principais autores e características.
A Reforma Luterana promoveu a criação de uma nova denominação cristã na Europa.
Reforma Luterana
Reforma Protestante, Martinho Lutero, Luteranismo, Wittenberg, Sacro Império Germânico, papa Leão X, Dieta de Worms, Wartburg, anabatistas, Filipe Melanchthon, 95 teses, Paz de Augsburg.
Gravura de Thomas Müntzer (1488-1525)
Thomas Müntzer e a Reforma Protestante
Conheça os posicionamentos religiosos de Thomas Müntzer e sua participação nas lutas dos camponeses alemães no século XVI.
Jan Huss sendo queimado em uma fogueira, em representação do século XV
Jan Huss e os primórdios da Reforma
Conheça as principais ideias de Jan Huss e os motivos que o levaram a ser queimado na fogueira.
John Wycliffe é considerado um dos precursores da Reforma Protestante na Europa
John Wycliffe, precursor da Reforma
Saiba quem foi John Wycliffe e que importância ele teve para as teses reformistas do cristianismo.