Muro de Israel

Ao fim da Segunda Guerra Mundial, a Inglaterra, sensibilizada com a causa judaica durante o Holocausto, propôs a divisão da Palestina em duas partes: uma pertencente aos árabes; e a outra, aos judeus. No ano de 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) aceitou a proposta inglesa e dividiu a Palestina. No ano seguinte, em 1948, foi criado o Estado de Israel, com capital em Jerusalém.

Os palestinos que viviam em Jerusalém foram “empurrados” para os guetos da cidade, ocupando a parte oriental da região. A proposta inglesa e o acatamento dessa proposta pela ONU não levaram em consideração as possíveis divergências religiosas, políticas e econômicas que a divisão da Palestina poderia causar.

Desde a criação do Estado de Israel, em 1948, até os dias atuais, a região de Jerusalém vem sendo palco de intermináveis choques culturais e identitários, que foram desencadeando massacres, guerras e intolerâncias contra o povo palestino.

O muro de Israel começou a ser construído em 2004. A primeira etapa da construção visou segregar Israel da região norte da Cisjordânia. Várias regiões sofreram com o levantamento do muro: algumas vilas ficaram sem regiões agrícolas e algumas cidades foram isoladas, não pertencendo nem a Israel e nem à Cisjordânia.

A principal justificativa da construção do muro de Israel foi o discurso da segurança, de acordo com o qual Israel isolaria os palestinos, evitando possíveis ataques a Jerusalém. O Muro de Israel possui enormes dimensões, com uma extensão de 721 km, 8 metros de altura, trincheiras com 2 metros de profundidade, arames farpados e torres de vigilância a cada 300 metros – tudo isso para ser intransponível.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Foram construídos dois muros: um muro que cercou as fronteiras da cidade de Jerusalém, bloqueando a passagem livre dos palestinos para a parte ocidental de Jerusalém; e o outro muro foi construído externamente, onde Israel visou cercar e controlar suas colônias na faixa de Gaza.

No ano de 2004, o Tribunal Internacional de Justiça declarou a ilegalidade do muro e acusou a obra de separar e isolar aproximadamente 450 mil pessoas. Além disso, segundo o Tribunal, algumas partes do muro invadem territórios palestinos. Entretanto, autoridades políticas de Israel, sempre que são questionadas a respeito da construção do muro, alegam que o muro trouxe diminuição dos conflitos e afirmam que não pensam em retirar o muro de forma alguma.

No lado palestino, o muro passou a ser alvo de diversos artistas e várias partes do muro foram ilustradas com desenhos. Um artista que se destacou foi o britânico Banksy: ele desenhou uma série de ilustrações satirizando a obra que segregou os palestinos dos israelenses.  

Os desenhos de Banksy no Muro foram realizados no lado palestino. As ilustrações satirizam a política do Estado de Israel
Os desenhos de Banksy no Muro foram realizados no lado palestino. As ilustrações satirizam a política do Estado de Israel

Enquanto isso, o povo palestino se encontra enclausurado entre os enormes paredões de concretos e continua reivindicando a efetivação do Estado palestino, que até hoje não existe.

A segregação e o isolamento das pessoas são as principais consequências do Muro de Israel
A segregação e o isolamento das pessoas são as principais consequências do Muro de Israel
Publicado por: Leandro Carvalho
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
O campo de concentração de Auschwitz é um dos maiores símbolos do horror nazista, um exemplo claro do que é o totalitarismo.
Totalitarismo
Clique neste link e entenda o conceito de totalitarismo, onde e quando ele ocorreu e quais suas principais características.
Monumento a Martin Luther King em memorial de Washington, que leva seu nome.*
Martin Luther King e a luta pela igualdade
Uma das principais lideranças da luta por direitos civis nos EUA, Martin Luther King é um dos principais ícones do movimento negro.
Bandeira da Palestina à esquerda e de Israel à direita
O conflito entre Israel e Palestina
Tire todas as suas dúvidas sobre o conflito entre Israel e Palestina e aprofunde os seus estudos com as principais informações sobre essa importante questão geopolítica atual.
Vista do Muro do México entre San Diego e a cidade de Tijuana
Muro do México
Entenda o que é o Muro do México e as razões que motivaram os Estados Unidos a erguerem essa barreira.
As Olimpíadas de Munique ficaram marcadas pelo terrível ataque promovido pelo grupo Setembro Negro
Atentado terrorista nas Olimpíadas de Munique
Veja como ocorreu o atentado terrorista nas Olimpíadas de Munique e quais foram as suas consequências.
Símbolo distintivo do Mossad, o serviço secreto israelense
Mossad – Serviço Secreto Israelense
Saiba o que é o Mossad e que importância ele teve para o Estado de Israel durante as décadas que se passaram após a Segunda Guerra Mundial.
A Primeira Guerra árabe-israelense ocorreu na segunda metade da década de 1940
Primeira Guerra árabe-israelense
Saiba como ocorreu a Primeira Guerra árabe-israelense e o que ela significou para a região do Oriente Médio após a Segunda Guerra Mundial.
Vladimir Lenin foi um dos principais articuladores da Revolução Russa
Revolução Russa
Conheça as principais características da Revolução Russa e entenda a importância que esse acontecimento teve no início do século XX.
Congresso de Viena, reunião em prol da restauração das monarquias européias.
Congresso de Viena
Congresso de Viena, Restauração Monárquica, Talleyrand, princípio de legitimidade, Império Austríaco, Rússia, Finlândia, Polônia, Bessarábia, Inglaterra, Holanda, Confederação Germânica, Santa Aliança, socialismo, liberalismo, fim das monarquias.
Erwin Rommel sentiu na pele as contradições da campanha militar nazista.
Erwin Rommel
Erwin Rommel, Segunda Guerra Mundial, Adolf Hitler, Füher, Juventude Hitlerista, Ataques de infantaria, Afrika Korps, Claus von Stauffenberg, Ernst Maisel, Wihelm Burgdorf.
O Congo ainda sofre com problemas gerados por sua trágica herança colonial.
A independência do Congo Belga
O turbulento processo de autonomia de um país assolado pela ação colonialista.
A integração comercial da África com o capitalismo intensificou-se, sobretudo, a partir do século XVIII.
Integração comercial da África no mercado capitalista
Saiba mais sobre a forma em que se deu a integração comercial da África no mercado capitalista.