Whatsapp icon Whatsapp

Primeira geração do Romantismo brasileiro

O nacionalismo ufanista, o indianismo e a valorização da natureza são as principais características da primeira geração do Romantismo brasileiro.
Gonçalves Dias foi o principal poeta da primeira geração do Romantismo brasileiro
Gonçalves Dias foi o principal poeta da primeira geração do Romantismo brasileiro

O Romantismo no Brasil surgiu poucos anos após a independência política, alcançada no ano de 1822. A autonomia em relação à colônia fez surgir nos escritores brasileiros um sentimento de nacionalismo, gerando um movimento anticolonialista em defesa da criação de uma literatura que enfim retratasse nossa cultura, história e língua de maneira fidedigna.

Podemos dizer, portanto, que o Romantismo foi um movimento de reação à tradição clássica, uma vez que contestou os modelos literários europeus que não retratavam nossas raízes históricas, linguísticas e culturais. Dessa maneira, o nacionalismo é uma característica fundamental da primeira geração do Romantismo brasileiro, sobretudo na poesia, que tradicionalmente é dividida em três diferentes fases. Seu marco inicial foi a publicação de Suspiros Poéticos e Saudades (1836), do escritor Gonçalves de Magalhães (1811-1882).

As principais características da primeira geração do Romantismo brasileiro são:

Exaltação da natureza e da liberdade:

Os românticos utilizavam a exaltação da natureza e da liberdade como um mecanismo para fugir da realidade, objetivo alcançado quando o escritor voltava-se para paisagens novas, como a selva brasileira. Esse novo espaço possibilitou a criação de uma poesia voltada para o índio e para a natureza brasileira, poesia expressa em uma linguagem simples e acessível, cujo principal representante foi Gonçalves Dias.

Canção do exílio

(Gonçalves Dias)

Minha terra tem palmeiras, 
Onde canta o Sabiá; 
As aves, que aqui gorjeiam, 
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas, 
Nossas várzeas têm mais flores, 
Nossos bosques têm mais vida, 
Nossa vida mais amores.

Em  cismar, sozinho, à noite, 
Mais prazer eu encontro lá; 
Minha terra tem palmeiras, 
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores, 
Que tais não encontro eu cá; 
Em cismar sozinho, à noite
Mais prazer eu encontro lá; 
Minha terra tem palmeiras, 
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra, 
Sem que eu volte para lá; 
Sem que desfrute os primores 
Que não encontro por cá; 
Sem qu'inda aviste as palmeiras, 
Onde canta o Sabiá.  

Indianismo:

O índio foi escolhido como um dos símbolos da nacionalidade brasileira. O negro, vindo de outro continente, não podia ser considerado como um típico brasileiro, tampouco o homem branco, identificado como o colonizador português. A figura do homem nativo substituiu o herói medieval europeu em nossa literatura: o índio era visto como o “bom selvagem”, cujo comportamento era idealizado.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Canção do Tamoio

(Gonçalves Dias)

I
Não chores, meu filho:
Não chores, que a vida
É luta renhida:
Viver é lutar.
A vida é combate,
Que os fracos abate,
Que os fortes, os bravos,
Só pode exaltar.

II
Um dia vivemos!
O homem que é forte
Não teme da morte;
Só teme fugir;
No arco que entesa
Tem certa uma presa,
Quer seja tapuia,
Condor ou tapir.
(...)
III
Domina, se vive;
Se morre, descansa
Dos seus na lembrança,
Na voz do porvir.
Não cures da vida!
Sê bravo, sê forte!
Não fujas da morte,
Que a morte há de vir!

(Fragmentos)

Nacionalismo ufanista:

O nacionalismo é um dos traços essenciais da primeira geração do Romantismo brasileiro. Essa característica abriu um variado leque temático, entre eles o regionalismo, além de propiciar a pesquisa histórica, folclórica e linguística e o debate acerca dos problemas nacionais, posturas que evidenciavam o comprometimento dos escritores com o projeto de construção de uma identidade nacional em nossa literatura.

Minha terra!

(Gonçalves Dias)

(...)

E vendo os vales e os montes
E a pátria que Deus nos deu,
Possamos dizer contentes:
Tudo isto que vejo é meu!

Meu este sol que me aclara,
Minha esta brisa, estes céus:
Estas praias, bosques, fontes,
Eu os conheço — são meus!

Mais os amo quando volte,
Pois do que por fora vi,
A mais querer minha terra,
E minha gente aprendi.

(Fragmentos)

Embora Gonçalves de Magalhães seja considerado o introdutor do Romantismo no Brasil, foi Gonçalves Dias o responsável por implantar e solidificar a poesia romântica em nossa literatura. Sua obra, que abarca todas as características anteriormente citadas, é a realização do projeto de construção de nossa cultura. A poesia de Gonçalves Dias é voltada para os elementos genuinamente brasileiros, valorizando assim a natureza e o índio, sempre retratados por meio de uma linguagem simples e acessível, bem diferente da literatura proposta por seus antecessores do Barroco e do Arcadismo.

Publicado por Luana Castro Alves Perez
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

O Condoreirismo representa a terceira geração da poesia romântica
Condoreirismo
Entenda um pouco mais a respeito do Condoreirismo, uma vertente literária que surgiu entre as décadas de 1860 a 1870.
Euclides da Cunha foi um escritor pré-modernista brasileiro
Euclides da Cunha

Leia a biografia de Euclides da Cunha e saiba mais a respeito da vida e da obra do autor de Os Sertões, “a Bíblia da nacionalidade brasileira”.

Família de Botocudos em viagem, de Maximilian, 1815-1817. Aquarela do livro Reise nach Brasilien in der Jahren
Gerações do Romantismo no Brasil
Saiba tudo sobre a primeira, segunda e terceira geração do Romantismo!
Gonçalves Dias
Saiba quem foi Gonçalves Dias e de quais livros ele é autor. Entenda as características de suas obras e como elas influenciaram o romantismo brasileiro.
O Romance Urbano surgiu no início do século XIX, um período da Literatura brasileira que sucedeu o Condoreirismo e precedeu o Romance Indianista
Romance urbano
Leia este artigo e saiba tudo sobre o Romance Urbano, período da Literatura em que são retratados os costumes e valores da elite carioca.
A segunda geração do Romantismo no Basil, ou Ultrarromantismo, caracterizou-se pela temática pessimista
Segunda geração do Romantismo no Brasil
Conheça a segunda geração do Romantismo no Brasil e aprenda mais sobre os principais autores e sobre as características das obras desse período.
A revolta em relação à escravidão foi um dos temas principais dessa geração
Terceira Geração do Romantismo no Brasil
Conheça a Terceira Geração do Romantismo no Brasil e aprenda mais sobre os principais autores e como as obras desse período eram caracterizadas.
Álvares de Azevedo
Saiba quem foi Álvares de Azevedo e conheça as características de suas obras. Leia poemas e frases desse poeta a fim de compreender melhor sua literatura.
video icon
Enem
Como fazer a inscrição no Enem 2021
Vai fazer o Enem 2021 neste ano e quer tirar todas as suas dúvidas sobre a forma de se inscrever no exame mais esperado do ano? Então se liga e confira o passo a passo! Veja um passo a passo de como fazer a sua inscrição no Enem 2021.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas