Whatsapp icon Whatsapp

Mistura de soluções de mesmo soluto

A mistura de soluções de mesmo soluto é caracterizada pelo aumento da quantidade de solvente e soma da quantidade de soluto das soluções misturadas após o procedimento.
Mistura de soluções de sulfato de cobre II (CuSO4)
Mistura de soluções de sulfato de cobre II (CuSO4)

Uma solução é uma mistura homogênea (apresenta uma única fase/ aspecto visual), na qual temos a presença de um material (soluto) dissolvido em outro (solvente). Um exemplo de solução é a adição do cloreto de sódio (NaCl) à água (H2O).

É muito comum prepararmos soluções no dia a dia, bem como realizarmos a mistura de uma com outra. Misturar duas soluções é o ato de colocar duas ou mais soluções em um mesmo recipiente. Se essa mistura envolver soluções que apresentam o mesmo solvente e o mesmo soluto, a realização desse procedimento será chamada de mistura de soluções de mesmo soluto.

Um exemplo de mistura de soluções de mesmo soluto é quando colocamos duas soluções aquosas (apresentam água como solvente) de cloreto de sódio em um mesmo recipiente, como representado a seguir:

Representação de uma mistura de soluções de mesmo soluto
Representação de uma mistura de soluções de mesmo soluto

Analisando a imagem, podemos observar que, quando realizamos uma mistura de soluções que apresentam o mesmo soluto e o mesmo solvente, estamos apenas realizando um aumento da quantidade do solvente e do soluto, não sendo observada nenhuma outra modificação.

Na representação a seguir, temos a indicação da quantidade de soluto e solvente em cada recipiente. Observe o resultado final dessa mistura:

Representação de uma mistura de soluções de mesmo soluto com valores
Representação de uma mistura de soluções de mesmo soluto com valores

Observa-se que a primeira solução apresentava 50 mL de solvente e 30 gramas de soluto, enquanto a segunda apresentava 100 mL de solvente e 20 gramas de soluto. Ao misturar as duas, o volume resultante foi de 150 mL e a quantidade de NaCl passou a ser 50 gramas.

Dessa forma, podemos afirmar que, quando realizamos uma mistura de soluções que apresentam o mesmo soluto e o mesmo solvente, vamos ter como resultado uma soma dos volumes das soluções misturadas e uma soma das massas (quantidades) dos solutos misturados.

Volume final = volume da solução 1 + volume da solução 2

Massa do soluto final = massa do soluto da solução 1 + massa do soluto da solução 2

Por meio desses dados, é possível realizar ainda o cálculo da concentração tanto das soluções que serão misturadas (soluções iniciais) quanto da solução resultante da mistura (solução final). As modalidades de concentração mais utilizadas são a concentração comum e a molaridade, que apresentam as seguintes fórmulas:

  • Concentração comum

C = m1
        

C = concentração comum;
V = volume da solução;
m1 = massa do soluto.

Exemplo: Uma solução de 200 mL com 20g de NaCl é misturada com outra de 400 mL e 80 g de NaCl. Quais são as concentrações comuns dessas soluções?

m1 = 20g
V = 200 mL

C1 = 20
       200

C1 = 0,1 g/mL

m1 = 80g
V = 400 mL

C2 = 80
      400

C1 = 0,2 g/mL

 

  • Molaridade

M = m1
        
M1.V

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

M = Molaridade;
V = volume da solução (em Litro);
M1 = massa molar do soluto.

Para calcular a molaridade de duas soluções que foram misturadas, basta utilizar a fórmula da molaridade (transformando o volume fornecido de mL para litros e dividindo por 1000) para cada solução da seguinte maneira:

m1 = 20g
V = 200 mL : 1000 0,2 L
M1 = 58,5 g/mol

M1 =    20   
       58,5.02

M1 = 20
11,7

M1 = 1,70 mol/L

m1 = 80g
V = 400 mL : 1000 0,4 L
M1 = 58,5 g/mol

M2 =    80   
       58,5.0,4

M2 = 80
23,4

M2 = 3,41 mol/L

 

Para calcular a concentração comum da solução final a partir das concentrações e volumes fornecidos por um exercício, utilizamos a seguinte fórmula:

C1.V1 + C2.V2 = CF.VF

C1= Concentração da solução 1;
C2= Concentração da solução 2;
CF= Concentração da solução final;
V1= Volume da solução 1;
V2= Volume da solução 2;
VF= Volume da solução final.

Já para calcular a molaridade da solução final a partir das concentrações e volumes fornecidos por um exercício, utilizamos a seguinte fórmula:

M1.V1 + M2.V2 = MF.VF

M1= Molaridade da solução 1;
M2= Molaridade da solução 2;
MF = Molaridade da solução final.

Agora veremos exemplos de cálculos envolvendo as misturas de soluções de mesmo soluto:

Qual é a molaridade de uma solução de NaOH formada pela mistura de 60 mL de solução 5 mol/L com 300 mL de solução 2 mol/L de mesma base?

Passo 1: Dados do enunciado

V1 = 60 mL
M1 = 5 mol/L
V2 = 300 mL
M2 = 2 mol/L

Passo 2: O volume da solução final é determinado pela soma dos volumes das duas soluções:

VF = V1 + V2
VF = 60 + 300
VF = 360 mL

Passo 3: A concentração da solução final após a mistura será determinada por meio dos dados na seguinte fórmula:

5.60 + 2.300 = MF.360
300 + 600 = MF.360
900 = MF.360
900 = MF
360
MF = 2,5 mol/L

Observação: Um detalhe importante é o de que a concentração da solução final após uma mistura de soluções de mesmo soluto sempre terá um valor intermediário em relação ao das soluções que foram misturadas. O exemplo acima nos mostra exatamente esse fato.

Qual será o volume de uma solução de hidróxido de sódio 60 g/L que deve ser misturado a 300 mL de uma solução 80g/L de mesma base a fim de torná-la uma solução 72 g/L?

Passo 1: dados do enunciado

V1 = ?
C1 = 60g/L
V2 = 300 mL
C2 = 80 g/L
CF = 72 g/L

Passo 2: O volume final é determinado pela soma dos volumes das duas soluções:

VF = V1 + V2
VF = V1+ 300

Passo 3: O cálculo do volume da solução 1 será feito por meio da fórmula a seguir. Mas, atenção: o VF será substituído por V1 + 300

60.V1 + 80.300 = 72.(V1 +300)
60V1 + 24000 = 72V1 + 21600
24000 – 21600 = 72V1 + 60V1
2400 = 12V1
2400 = V1
  12
V1 = 200 mL

Publicado por Diogo Lopes Dias
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Concentração Comum
A concentração comum (C) é uma grandeza quantitativa que relaciona a massa do soluto que está presente em determinado volume da solução.
Concentração em mol/L
A concentração em mol/L é a relação existente entre o número de mol do soluto em um litro da solução.
Soluções
Clique aqui e fique por dentro do nosso conteúdo sobre soluções! Aproveite e teste seus conhecimentos respondendo a exercícios sobre o tema!
video icon
Professora ao lado do texto"Verbos irregulares".
Português
Verbos irregulares
Sabendo que o estudo de verbos não é uma tarefa fácil, nesta videoaula esclareceremos as formas de flexão dos verbos irregulares, ou seja, aqueles que, ao serem conjugados, apresentam alteração em seu radical ou em sua terminação. Não deixe de assistir!