Whatsapp icon Whatsapp

Muriqui-do-norte

Os muriquis-do-norte são primatas arborícolas que se movimentam rapidamente pela floresta com a ajuda de seus braços logos e cauda preênsil. Foto de P
Os muriquis-do-norte são primatas arborícolas que se movimentam rapidamente pela floresta com a ajuda de seus braços logos e cauda preênsil. Foto de P

Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Infraordem: Platyrrhini
Família: Atelidae, Gray, 1825
Subfamília: Atelinae, Gray, 1825
Gênero: Brachyteles, Spix, 1823
Espécie: Brachyteles hypoxanthus (Kuhl, 1820)

O muriqui-do-norte, também conhecido como mono ou mono-carvoeiro, é um primata endêmico da Mata Atlântica dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. No passado ocorria também na Bahia, mas atualmente encontra-se extinto neste Estado. É o maior primata das Américas, podendo pesar até cerca de 15 kg.

Muriqui

O muriqui-do-norte não apresenta dimorfismo sexual, tanto em relação ao tamanho corporal quanto à dentição. A distinção entre machos e fêmeas é feita pela observação da genitália, que pode ser facilmente distinguida. Os machos adultos apresentam testículos relativamente grandes e as fêmeas adultas possuem clitóris proeminente. Diferenças também podem ser percebidas entre um indivíduo e outro, sendo possível distingui-los. Esses primatas, quando adultos, apresentam certa despigmentação no pelo da região da face e da genitália, gerando padrões diferentes entre os indivíduos.

São primatas arborícolas diurnos e capazes de se movimentar rapidamente entre as árvores, principalmente em virtude de seus longos braços e cauda preênsil (capaz de se agarrar a alguma coisa, no caso, aos troncos das árvores). São animais sociais e vivem em grupos com vários machos e várias fêmeas, não apresentando hierarquia social. Possuem baixa agressividade e têm o hábito de se abraçarem.

Geralmente, tornam-se maduros sexualmente a partir do 5º ano de idade. Normalmente, as fêmeas migram para outros grupos sociais com 6 anos para se reproduzir e têm primeiro filhote por volta dos 9 anos. Elas geram um filhote por gestação, que normalmente dura por volta de 7 meses e ocorre a cada três anos. Ao nascer, o filhote é carregado pela mãe até o desmame.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A dieta dessa espécie é composta principalmente de frutos e folhas, mas também consomem brotos, flores e cascas de árvores.

De acordo com a Lista Oficial da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, estabelecida pela instrução normativa n° 3, de 27 de maio de 2003 e editada pelo Ministério do meio Ambiente (Brasil/MMA, 2003), os muriquis-do-norte encontram-se criticamente ameaçados de extinção. Este grau de ameaça está relacionado à sua distribuição geográfica restrita, com habitat muito fragmentado, com continuada fragmentação na extensão de ocorrência e no tamanho populacional, além da previsão de redução em 80% da população em três gerações em razão da diminuição de habitat e caça humana.

Segundo o Plano Nacional para a Conservação dos Muriquis, elaborado pelo ICMBio, em 2011, as principais ameaças à espécie são a perda de vegetação nativa e fragmentação de habitats, queimadas, perda da qualidade de habitats, caça para consumo humano, caça para criação doméstica, tráfico, comercialização, turismo de natureza e doenças.

Fontes:

JERUSALISNKY, L.; TALEBI, M.; MELO, F. R. (Eds.). 2011. Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Muriquis. Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

BRASIL/MMA. 2003. Instrução normativa n° 03, de 27 de maio de 2003: Lista Oficial das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção. Ministério do Meio Ambiente (MMA), Brasília. Diário Oficial da União – Seção 1 101: 88–97.

Publicado por Flávia de Figueiredo Machado

Artigos Relacionados

Ararinha azul (<i>Cyanopsitta spixii</i>): espécie que se encontra criticamente em perigo de extinção.
Animais Extintos
Ação predatória e a extinção de animais silvestres.
A aranha-caranguejeira não inocula veneno.
Aranha (Ordem Araneae)
Saiba as características das aranhas peçonhentas encontradas em nosso país.
 Araras costumam fazer seus ninhos em troncos ocos de árvores.
Arara (Família Psittacidae)
Você sabia que os casais de arara tendem a viver juntos por toda a vida? Clique aqui e veja mais características dessa ave.
Bois são castrados.
Boi (Bos taurus)
Clique aqui e conheça as diferentes partes do boi que são comercializadas.
Mula: fêmea resultante do cruzamento entre jumento e égua.
Burros e mulas (Gênero Equus)
Animais resultantes do cruzamento entre a égua e o jumento.
Achatina fulica e seus ovos.
Caramujo-africano-gigante (Achatina fulica)
Espécie exótica invasora, responsável por grandes impactos econômicos e ambientais.
Os coelhos podem apresentar diversas cores.
Coelho (Família Leporidae)
Coelho é o nome dado a alguns animais da Ordem Lagomorpha. Assim, coelhos não podem ser classificados como roedores, uma vez que não pertencem à Ordem Rodentia.
Corais: organismos formados por colônias de cnidários.
Corais (Classe Anthozoa)
Clique aqui e conheça as características dos corais e sua importante função ecológica.
Formigas-de-fogo (<i>Solenopsis invicta</i>).
Formiga (Família Formicidae)
Insetos sociais encontrados em quase todo o mundo.
Leão
Amplie seus conhecimentos sobre o leão aqui. Veja algumas características básicas desses animais, como habitat, alimentação e reprodução.
Macacos
Aprenda um pouco mais a respeito dos macacos clicando aqui. Entenda a que grupo esses animais pertencem, suas características e exemplos.
A superpopulação de pombos urbanos é um problema de saúde pública
Pombo doméstico (Columba livia)
Um pouco sobre a biologia dos pombos domésticos e o porquê de serem um problema de saúde pública.
Os tamanduás são animais que apresentam um focinho estreito e comprido.
Tamanduá
Você já ouviu falar a respeito do animal chamado tamanduá? Clique aqui e conheça mais sobre as três espécies de tamanduá existentes no Brasil.
O tatu-bola é o menor e menos conhecido tatu do Brasil
Tatu-bola
Conheça o tatu-bola, saiba sobre aspectos da biologia, hábitos e distribuição geográfica da mascote da Copa Mundial de 2014.
video icon
História
Guerra Guaranítica (1753-1756)
Assista à nossa videoaula para conhecer um pouco da história da Guerra Guaranítica (1753-1756). Confira também no nosso canal outras informações sobre o Período Colonial.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.