Semente

A semente é uma estrutura que confere grande vantagem adaptativa aos grupos vegetais que a possuem, uma vez que atua como dispersora.

As sementes são estruturas extremamente importantes para a sobrevivência das plantas no ambiente terrestre. Elas são responsáveis por proteger o embrião, além de garantir a dispersão das espécies pelo ambiente.

Plantas com sementes surgiram há aproximadamente 365 milhões de anos, no período Devoniano. O surgimento das sementes conferiu vantagem evolutiva para muitas espécies, uma vez que elas são mais resistentes que os esporos das espécies ancestrais. As sementes podem ficar dormentes por um período de tempo superior ao dos esporos, além de apresentarem um suprimento nutricional que proporciona ao embrião a energia necessária para sobreviver em condições adversas.

A semente e suas partes

A semente é o óvulo desenvolvido e fecundado, ou seja, contém o embrião. Ela é formada basicamente por três partes básicas: embrião, suprimento nutricional e revestimento protetor.

Nas gimnospermas, o óvulo é constituído pelo nucelo, que contém o megagametófito (formado por tecidos nutritivos e arquegônios), e pelo tegumento que o envolve. Nesse grupo de plantas, o óvulo, após fecundação, desenvolve-se, e o tegumento forma o revestimento protetor da semente.

Nas angiospermas, o processo de fecundação é mais complexo. O zigoto origina o embrião; o núcleo primário do endosperma origina, após várias mitoses, o endosperma (tecido que acumula reservas); por fim, os tegumentos do óvulo formam o revestimento protetor da semente (testa da semente). O embrião maduro dessas plantas é formado por um eixo e cotilédones, que podem apresentar-se em número de dois (eudicotiledôneas) ou apenas um (monocotiledônea)

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Pode-se perceber, portanto, que a semente das gimnospermas e a da angiospermas diferenciam-se em razão da origem do material nutritivo. Nas gimnospermas, a reserva é proveniente do gametófito feminino; nas angiospermas, sua origem é do endosperma.

Dispersão de sementes

As sementes são as unidades de dispersão das plantas e, para exercerem seu papel, contam com uma variada gama de estratégias. Algumas sementes, por exemplo, são transportadas pelo vento; outras, pela água ou por organismos vivos. Existem ainda aquelas que são literalmente lançadas para fora do fruto por meio de processos explosivos.

As sementes transportadas pelo vento são leves e normalmente possuem estruturas que auxiliam o voo, tais como as alas. As sementes que são levadas pela água possuem tecidos que armazenam ar, permitindo assim a flutuação e impedindo que essa substância cause danos ao embrião. As sementes que são transportadas por animais podem ter estruturas que facilitam a adesão (nos pelos, por exemplo) ou ainda contar com frutos deliciosos que servem de alimento para algumas espécies.

A semente garante nutrientes para o embrião
A semente garante nutrientes para o embrião
Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

As sementes são importantes estruturas reprodutivas que garantem, por exemplo, a proteção do embrião. Essa estrutura surgiu, primeiramente, no grupo das:

a) algas.

b) briófitas.

c) pteridófitas.

d) gimnospermas.

e) angiospermas.

Questão 2

(FUVEST) Uma pessoa, ao encontrar uma semente, pode afirmar, com certeza, que dentro dela há o embrião de uma planta, a qual, na fase adulta,

a) forma flores, frutos e sementes.

b) forma sementes, mas não produz flores e frutos.

c) vive exclusivamente em ambiente terrestre.

d) necessita de água para o deslocamento dos gametas na fecundação.

e) tem tecidos especializados para condução de água e de seiva elaborada.

Mais Questões
Assuntos relacionados
As briófitas são plantas pequenas e delicadas que vivem em ambientes úmidos e sombreados
Briófitas
Clique aqui e saiba mais sobre a estrutura e o ciclo reprodutivo das briófitas.
Fotossíntese
Que tal aprender sobre fotossíntese, o processo que ocorre em plantas, principalmente nas folhas, e em outros organismos? Entenda seu funcionamento e sua importância!
As araucárias são exemplos de gimnospermas que ocorrem no Brasil
Gimnospermas
Clique aqui e aprenda mais sobre as gimnospermas, plantas que apresentaram a semente como novidade evolutiva.
Plantas carnívoras realizam movimentos násticos
Movimentos vegetais
Que tal aprender um pouco sobre movimentos vegetais? Apresentaremos neste texto o que são movimentos vegetais e trataremos dos seus principais tipos: tropismo, nastismo (movimentos násticos), heliotropismo (rastreamento solar) e tactismo. Leia o texto e conheça um pouco mais sobre esses importantes movimentos.
Hidatódio
Tecidos de Excreção
Os tecidos de excreção expelem substâncias inúteis ou até mesmo nocivas às plantas. Confira!
Morfologia estomática, apresentando ostíolo fechado.
Estômatos
Fatores que regulam a abertura e o fechamento do ostíolo.
Cada cacho da pupunheira possui até cem frutos
Pupunheira
Planta típica da região amazônica de bastante interesse econômico.
As angiospermas são plantas que possuem flores
Nova classificação das angiospermas
Entenda a nova classificação das angiospermas e conheça as principais características do grado ANITA, magnolídeas, monocotiledôneas e eudicotiledôneas.
As angiospermas são o único grupo de plantas que apresenta a dupla fecundação
Dupla fecundação
Compreenda o processo de dupla fecundação, um evento típico das angiospermas que envolve dois gametas masculinos.
Flor e fruto: estruturas encontradas unicamente nas angiospermas.
Angiospermas
Angiospermas: plantas que formam flores verdadeiras e frutos.
A samambaia pertence as pteridófitas
Pteridófitas
Pteridófitas, classificação das Pteridófitas, características das Pteridófitas, a reprodução das Pteridófitas, a estrutura das Pteridófitas, a importância das Pteridófitas.
Alporquia: tipo de reprodução assexuada.
Reprodução assexuada nas angiospermas
Vantagens e exemplos da reprodução assexuada em angiospermas.