Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Geografia
  3. Geografia humana
  4. Mortalidade Infantil

Mortalidade Infantil

Ausência de acompanhamento médico, deficiência na assistência hospitalar, desnutrição, deficit nos serviços de saneamento ambiental são algumas causas da mortalidade infantil.

A taxa de mortalidade infantil expressa o número de crianças de um determinado local que morre antes de completar 1 ano de vida a cada mil nascidas vivas. Esse dado é um indicador da qualidade dos serviços de saúde, saneamento básico e educação.

Entre as principais causas da mortalidade infantil estão a falta de assistência e de instrução às gestantes, ausência de acompanhamento médico, deficiência na assistência hospitalar, desnutrição, déficit nos serviços de saneamento ambiental, entre outros. A ausência de saneamento provoca a contaminação da água e dos alimentos, podendo desencadear doenças como a hepatite A, malária, febre amarela, cólera, diarreia, etc.

Conforme dados do Fundo de População das Nações Unidas (Fnuap), a taxa de mortalidade infantil mundial é de 45 óbitos a cada mil crianças nascidas vivas. Esses dados estão em constante declínio, visto que há 20 anos o número de mortes de crianças com menos de 1 ano era de 65 para a mesma quantidade de nascidas vivas.

Contudo, é importante destacar que essa redução não ocorre da mesma forma em todos os países. Nas nações desenvolvidas economicamente, a taxa de mortalidade infantil é muito baixa, sendo que algumas registram médias inferiores a 3 mortes para cada mil nascidos, como o Japão, Islândia, Finlândia, Suécia, Noruega e Cingapura. No Brasil, essa taxa é de 22 para cada mil nascidos.

Por outro lado, alguns países possuem taxas de mortalidade infantil altíssimas: Afeganistão (152), Chade (127), Angola (111), Guiné-Bissau (109), Nigéria (107), Somália (106), Mali (103) e Serra Leoa (102). Diante desse cenário, a Organização das Nações Unidas (ONU) incluiu a redução da mortalidade infantil entre uma das oito Metas de Desenvolvimento do Milênio.

Para que o objetivo seja alcançado, os países ricos devem contribuir para a estruturação das nações que enfrentam esse grande problema social, realizando a construção de hospitais, capacitação da equipe médica, educação familiar, subsídios para a alimentação adequada, saneamento ambiental, entre outros.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia

A redução da taxa de mortalidade infantil é uma das oito Metas de Desenvolvimento do Milênio
A redução da taxa de mortalidade infantil é uma das oito Metas de Desenvolvimento do Milênio
Publicado por: Wagner de Cerqueira e Francisco
Assuntos relacionados
As taxas de natalidade e de mortalidade representam a dinâmica da população mundial.
Taxa de natalidade e taxa de mortalidade
Saiba mais sobre taxa de natalidade e taxa de mortalidade. O texto a seguir irá auxiliá-lo na compreensão desses indicadores de desenvolvimento humano e mostrará como são calculados. Além disso, será evidenciada a importância dessas taxas para a análise do crescimento populacional e da qualidade de vida.
Assentamento de trabalhadores rurais
Reforma Agrária
Reforma agrária, O que é Reforma agrária, Quais são os objetivos da Reforma agrária, As características da Reforma agrária, As dificuldades da Reforma agrária, Reforma agrária e elite.
Pôr-do-sol nas Ilhas Cayman.
As últimas colônias do mundo
As últimas colônias do mundo, Quais são as últimas colônias do mundo, Quais nações detêm território de colônias, Quais são os territórios colônias, O que impede a independência das últimas colônias do mundo.
O processo de globalização tem contribuído para o aumento das desigualdades sociais.
Reflexos da globalização no mundo
Como esse processo tem interferido na vida das pessoas?
Vista da favela da Rocinha, a maior do Brasil segundo o IBGE
Favelização
O processo de favelização, suas causas e consequências.