Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Classe de palavras
  4. Verbo
  5. Minuciosidades relativas ao verbo haver

Minuciosidades relativas ao verbo haver

Uma das particularidades inerentes ao verbo haver revela-se pelo fato de ele ser classificado como impessoal, no sentido de denotar tempo decorrido. Logo, tornam-se perfeitamente compreensíveis e adequados enunciados semelhantes a esses abaixo descritos:

Há dois dias não falo com você.

Há dez anos não passamos férias juntos.


Em se tratando dessa particularidade, há outra de notável relevância – razão pela qual se torna digna de nossa atenção. Estamos nos referindo ao tempo verbal que, de acordo com a forma pela qual é expresso, adquire acepções semânticas distintas. Por esse motivo ele deve ser adequadamente empregado, independentemente da circunstância comunicativa: quer seja por meio da oralidade, quer da escrita.

Mediante ambos os exemplos, constatamos que o verbo haver, ora expresso no presente do indicativo (há), mantém o aspecto pontual em que se decorre a ação, ou seja, as ocorrências se deram, respectivamente, dois dias e dez anos antes do momento da enunciação (o momento em que foi proferido o discurso). Nesse caso, vale ressaltar que o emprego de tais colocações se encontra adequado, tendo em vista o padrão formal da linguagem.
Mas se em vez de empregarmos o presente, estivéssemos empregando o pretérito imperfeito do indicativo, como em:

Não falava com você havia dois dias.

Não passávamos férias juntos havia dez anos.


Percebemos, pois, que quando o verbo “haver” está expresso em tal tempo (havia), o outro verbo do qual se compõe o período também se flexiona, perfeitamente constatável por meio das formas “falava e passávamos”.
Nesse caso, atribui-se à ação um aspecto durativo, própria do tempo em questão (pretérito imperfeito), isto é:

A ação de não falar com você durou dois dias.

A ação de não passarmos férias juntos durou dez anos.


Mediante tais pressupostos, temos subsídios suficientes para daqui em diante empregarmos a forma verbal devidamente correta.

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
De acordo com o tempo verbal em que é expresso, tal verbo adquire diferentes nuances de significado
De acordo com o tempo verbal em que é expresso, tal verbo adquire diferentes nuances de significado
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Assuntos relacionados
Transitividade verbal
A transitividade, intransitividade do verbo e verbo de ligação.
O modo imperativo se forma do presente do indicativo e do presente do subjuntivo
Como se forma o modo imperativo?
Compreender com se forma o modo imperativo é essencial em determinadas circunstâncias comunicativas. Atenha-se aqui alguns pressupostos!
A formação dos tempos derivados do pretérito perfeito do indicativo se encontra relacionada a critérios específicos
Tempos derivados do pretérito perfeito do indicativo
Os tempos derivados do pretérito perfeito do indicativo estão submetidos a pressupostos específicos, preconizados pela gramática normativa. Conheça-os!
O sentido expresso pelo verbo haver é de “entender-se”
Usos do verbo Haver
Saiba como o verbo haver pode ser utilizado em diferentes funções na construção do significado enunciativo.
Os tempos do indicativo
Saiba mais sobre o emprego do modo indicativo.
O modo subjuntivo, imperativo e as formas nominais dos verbos auxiliares
Aprimore seu conhecimento no que tange a estas ocorrências!
Tanto a regência nominal quanto a verbal trata da relação que se estabelece entre termos em um dado contexto oracional
Regência nominal e regência verbal
Aprofunde seus conhecimentos acerca da regência nominal e da regência verbal. Clique e confira!