Whatsapp icon Whatsapp

Pronomes Possessivos

Os pronomes possessivos são pronomes que trazem a ideia de posse, associada às pessoas do discurso. Eles concordam em gênero e número com a coisa possuída.
Rapaz protegendo um bolo da namorada como representação dos pronomes possessivos, associados à ideia de posse.
Os pronomes possessivos estão associados à ideia de posse.

Pronomes possessivos são os pronomes que expressam ideia de posse. Para cada pessoa do discurso, há um pronome possessivo correspondente. No entanto, tais pronomes concordam em gênero e número com a coisa possuída. Na língua portuguesa, temos os seguintes pronomes possessivos: “meu”, “minha”, “teu”, “tua”, “seu”, “sua”, “nosso”, “nossa”, “vosso” e “vossa”.

Leia também: Quais são os pronomes pessoais?

Videoaula sobre pronomes possessivos

O que são pronomes possessivos?

Os pronomes possessivos são pronomes que estão associados à ideia de posse. São eles: “meu(s)”, “minha(s)”, “teu(s)”, “tua(s)”, “seu(s)”, “sua(s)”, “nosso(s)”, “nossa(s)”, “vosso(s)”, “vossa(s)”. Veja os exemplos:

Minha mala foi perdida no aeroporto.

Teu jeito me deixa tonto.

Ele e suas boas intenções não me interessam!

Sei que nossa maior virtude é a tolerância.

Fiquei triste quando vossa casa foi demolida.

Tabela de pronomes possessivos

Pessoas do discurso

Pronomes possessivos

Eu

Meu, minha, meus, minhas

Tu

Teu, tua, teus, tuas

Ele(s), ela(s)

Seu, sua, seus, suas

Nós

Nosso, nossa, nossos, nossas

Vós

Vosso, vossa, vossos, vossas

Emprego dos pronomes possessivos

Os pronomes possessivos concordam em número e gênero com a(s) coisa(s) possuída(s). Além disso, cada um deles está relacionado a uma pessoa do discurso.

Vejamos este exemplo:

Meu livro está sobre a mesa.

Nesse enunciado, o pronome possessivo “meu” faz referência à primeira pessoa do discurso “eu”. Portanto, o livro pertence ao enunciador, ou seja, aquele que pronuncia a oração.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Agora, note a diferença:

Teu livro está sobre a mesa.

Nesse caso, o pronome possessivo “teu” se refere à segunda pessoa do discurso “tu”. Assim, o livro pertence ao interlocutor, isto é, à pessoa com quem o enunciador da oração está conversando.

Veja agora este enunciado:

Diga-lhe que seu livro está sobre a mesa.

Nesse exemplo, o pronome possessivo “seu” está relacionado à terceira pessoa do discurso “ele”. Então, o livro pertence a uma terceira pessoa, ou seja, à pessoa de quem o enunciador da oração está falando.

Outro exemplo:

Nosso livro está sobre a mesa.

Agora, o pronome possessivo “nosso” está associado à primeira pessoa do discurso “nós”. Dessa forma, o livro pertence tanto ao enunciador quanto ao interlocutor dessa frase.

Por fim, lembremos que esse tipo de pronome concorda em gênero e número com a coisa possuída:

Meu livro está sobre a mesa.

Meus livros estão sobre a mesa.

Minha mesa está na sala.

Minhas mesas estão na sala.

Teu livro está sobre a mesa.

Teus livros estão sobre a mesa.

Tua mesa está na sala.

Tuas mesas estão na sala.

Diga-lhe que seu livro está sobre a mesa.

Diga-lhe que seus livros estão sobre a mesa.

Diga-lhe que sua mesa está na sala.

Diga-lhe que suas mesas estão na sala.

Nosso livro está sobre a mesa.

Nossos livros estão sobre a mesa.

Nossa mesa está na sala.

Nossas mesas estão na sala.

Importante: Vale lembrar que, em várias regiões do Brasil, é mais comum o emprego de “você” em vez de “tu”. Nesse caso, o pronome possessivo correspondente à forma de tratamento “você” é “seu”, “sua”, “seus”, “suas”, como é possível verificar neste exemplo:

Orlando, pegue sua mala e vá embora daqui.

Quais são as diferenças entre pronomes possessivos e pronomes demonstrativos?

  • Pronomes possessivos: são pronomes que estão relacionados à ideia de posse. Eles são: “meu”, “minha”, “meus”, “minhas”, “teu”, “tua”, “teus”, “tuas”, “seu”, “sua”, “seus”, “suas”, “nosso”, “nossa”, “nossos”, “nossas”, “vosso”, “vossa”, “vossos” e “vossas”.

  • Pronomes demonstrativos: são pronomes que têm a função de mostrar, apontar, indicar a posição de algo ou alguém em determinado espaço e tempo. Os pronomes demonstrativos são: “este”, “esta”, “estes”, “estas”, “esse”, “essa”, “esses”, “essas”, “aquele”, “aquela”, “aqueles”, “aquelas”, “isto”, “isso” e “aquilo”.

Veja também: Quais são os pronomes relativos?

Exercícios resolvidos sobre pronomes possessivos

Questão 1

(Facape)

EM DEFESA DOS ADJETIVOS

Muitas vezes nos mandam cortar nossos adjetivos. O bom estilo, conforme dizem, sobrevive perfeitamente sem eles; bastariam o resistente arco dos substantivos e a flecha

dinâmica e onipresente dos verbos. Contudo, um mundo sem adjetivos é triste como um hospital no domingo. A luz azul se infiltra pelas janelas frias, as lâmpadas fluorescentes emitem um murmúrio débil.

Substantivos e verbos bastam apenas a soldados e líderes de países totalitários. Pois o adjetivo é o imprescindível avalista da individualidade de pessoas e coisas. Vejo uma pilha de melões na bancada de uma quitanda. Para um adversário dos adjetivos, não há dificuldade: “Melões estão empilhados na bancada da quitanda”. Todavia um dos melões é pálido como a tez de Talleyrand quando discursou no Congresso de Viena; outro é verde, imaturo, cheio de arrogância juvenil; outro ainda tem faces encovadas e está perdido num silêncio profundo e fúnebre, como se não suportasse a saudade dos campos da Provença. Não há dois melões iguais. Uns são ovais, outros são bojudos. Duros ou macios. Têm cheiro do campo, do pôr do sol, ou estão secos, resignados, exauridos pela viagem, pela chuva, pelo contato das mãos de estranhos, pelos céus cinzentos de um subúrbio parisiense.

[...]

A ética também não sobreviveria um dia sem adjetivos. Bom, mau, sagaz, generoso, vingativo, apaixonado, nobre — essas palavras cintilam como guilhotinas afiadas.

E também não existiriam as lembranças não fosse pelo adjetivo. A memória é feita de adjetivos. Uma rua comprida, um dia abrasador de agosto, o portão rangendo que dá para um jardim e ali, em meio aos pés de groselha cobertos pelo pó do verão, os teus dedos despachados... (tudo bem, teus é pronome possessivo).

ZAGAJEWSKI, Adam. Piauí, n. 52, p. 47, jan. 2011.

O pronome possessivo “teus” pode ser classificado como:

A) Singular — 2a pessoa.

B) Plural — 2a pessoa.

C) Plural — 1a pessoa.

D) Singular — 1a pessoa.

E) Singular — 3a pessoa.

Resolução:

Alternativa B.

Em “os teus dedos despachados”, o pronome possessivo “teus” está no plural, pois concorda com “dedos”. Além disso, o pronome se refere à segunda pessoa do discurso “tu”.

Questão 2

Analise os enunciados a seguir e marque a alternativa em que o pronome oblíquo, em destaque, tem a função de pronome possessivo.

A) Pegue-me as mãos.

B) Pegue-a nas mãos.

C) Pegue-me com as mãos.

D) Pego-te com as mãos.

E) Pegue-as nas mãos.

Resolução:

Alternativa A.

Em “Pegue-me as mãos”, o pronome oblíquo “me” tem o mesmo valor semântico de “minhas”. De forma que essa frase pode ser assim reescrita: “Pegue as minhas mãos”. Já nas outras alternativas, o pronome oblíquo tem a função sintática de objeto direto do verbo “pegar”.

Publicado por Warley Souza
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Pronome Demonstrativo
Definição e emprego dos pronomes demonstrativos.
Pronome Relativo
Clique aqui e conheça a definição de pronome relativo, aprenda também quando empregá-lo!
Pronomes
Clique aqui e entenda o que são pronomes e qual é a sua função no enunciado. Saiba quais são os tipos de pronomes e veja alguns exemplos.
Pronomes Indefinidos e Interrogativos
Definição e emprego dos pronomes indefinidos e interrogativos.
Pronomes Pessoais
Descubra quais são as classificações dos pronomes pessoais e quando utilizar cada um deles. Entenda a diferença entre caso reto e caso oblíquo.
Pronomes de tratamento
Saiba como e em que situações utilizá-los corretamente!
Teu ou seu?
“Teu” faz referência à segunda pessoa do singular; e “seu”, à terceira pessoa.
video icon
Professor ao lado do escrito "Qual a diferença entre discurso e texto?".
Português
Qual a diferença entre discurso e texto?
Todo texto é um discurso. Mas e o contrário? Todo discurso é um texto? Nesta aula vamos acabar de vez com essa confusão e deixar bem claro quem é quem no universo textual.