Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Sintaxe
  4. Regência nominal e regência verbal
  5. Um só complemento para distintas regências

Um só complemento para distintas regências

Atendo-nos aos enunciados que seguem, eis que algumas considerações se mostram como relevantes. Assim, vejamos:

Conheci e gostei de Luciana.

Entrei e saí do carro.

Ao analisarmos os complementos dos verbos conhecer e gostar, constatamos que ambos pertencem a regências distintas, haja vista que o primeiro se classifica como transitivo direto (quando conhecemos, conhecemos alguém), e o segundo pertence à categoria dos transitivos indiretos, pois quando gostamos, gostamos de alguém.    

Quanto ao segundo enunciado, atestamos que tais verbos requerem complementos distintos, uma vez que entramos em algum lugar e saímos de um local qualquer. Nesse sentido, ao recorrer ao padrão formal da linguagem, algumas reformulações devem ser feitas, sendo elas manifestadas por:

Conheci Luciana e gostei dela.
Entrei no carro e saí dele.

Entretanto, mesmo em se tratando do que proferem os preceitos gramaticais (os quais revelam ser necessário o uso de ambos os complementos), o português brasileiro nos revela que quando houver uma menção anterior, não se faz necessário repetir o complemento, haja vista que ele existe, porém implícito. Trata-se de uma comodidade linguística, a qual confere tão somente agilidade ao enunciado. Aspecto esse perfeitamente constatável quando analisamos enunciados como estes firmados a seguir:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A que horas chega à empresa? - Chego (à empresa) às 7h.

Será que ele irá gostar deste presente? – Acho que gostará (deste presente).

Assim, tanto na linguagem literária, quanto na linguagem expressa no dia a dia, é bastante comum constatarmos o uso de verbos que apesar de serem constituídos de regências distintas são expressos com apenas um complemento. Cabe ressaltar ainda que dessa construção abreviada se serviram alguns dos melhores escritores da língua.
 

Apesar do que afirmam os preceitos gramaticais, o uso de verbos com regências distintas, mas com um só complemento, torna-se perfeitamente aceitável
Apesar do que afirmam os preceitos gramaticais, o uso de verbos com regências distintas, mas com um só complemento, torna-se perfeitamente aceitável
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Assuntos relacionados
Regência Verbal de alguns verbos
Esclarecimentos sobre a regência correta de alguns verbos que geram dúvidas.
A regência é demarcada pelo sentido que representa
O verbo implicar – sentidos distintos implicam em diferentes regências
Norteie seu conhecimento acerca dessa ocorrência linguística!
O uso correto das preposições refere-se a uma característica relacionada à regência de verbos com sentido contrário
Regência de verbos com sentido contrário
Porventura, como anda sua competência linguística? Caso deseje aprimorá-la ainda mais, acesse e confira acerca da regência de verbos com sentido contrário.
A regência do verbo agradecer se demarca pelo fato de ele ser constituído de dois complementos: um objeto direto e outro indireto
Regência do verbo agradecer
Que tal conhecer a regência do verbo “agradecer”? Com certeza você não terá mais nenhuma dúvida em relação a esse fato linguístico, pois é só clicar!