Estados Unidos no século XIX

Durante o século XIX, os Estados Unidos passaram por uma série de transformações, como a marcha para o oeste e a Guerra Civil Americana ou Guerra de Secessão.
Ilustração das diligências atacadas por indígenas americanos durante a “marcha para o oeste”
Ilustração das diligências atacadas por indígenas americanos durante a “marcha para o oeste”

Após conquistar sua independência no final do século XVIII, os Estados Unidos da América consolidaram-se como Estado-nação e passaram por grandes transformações durante o século XIX. Entre as mudanças ocorridas, destacou-se a grande expansão territorial que o país sofreu, seja pela compra de territórios, seja pela guerra.

Expansão territorial

Ao conquistar sua independência – oficialmente declarada em 1776, mas somente reconhecida pela Inglaterra em 1783 –, os Estados Unidos estabeleceram-se como uma república, adotando o sistema federalista que estipulava a autonomia dos estados americanos. Os primeiros presidentes da história norte-americana atuaram visando, principalmente, à consolidação política dessa nação.

No processo de independência, os Estados Unidos garantiram, a partir do Tratado de Paris de 1783, a posse das regiões a oeste dos Montes Apalaches. A ocupação dessas regiões foi motivo de atrito entre colonos e britânicos, pois a Coroa inglesa havia proibido a apropriação desses locais para evitar conflitos com as nações indígenas.

Com a independência e o fim da proibição inglesa, os americanos iniciaram uma intensa migração para ocupar esses locais. O território americano passou por outras alterações, como a compra da Luisiana dos franceses em 1803, a compra da Flórida dos espanhóis em 1819 e a compra do Alasca em 1867.

Durante esse processo expansionista, os grandes perdedores foram os nativos americanos que habitavam as terras a oeste das Treze Colônias originais. Os americanos, na busca desenfreada para ocupar essa região, dizimaram milhares de indígenas, apossaram-se de suas terras e destruíram seu modo de vida.

Um dos grandes exemplos dessa dizimação foi o Massacre de Sand Creek, no qual mais de 150 indígenas do povo cheyenne foram mortos por tropas do exército americano. Entre os mortos, havia um grande número de mulheres e crianças. Outros povos como os sioux e apaches também foram vítimas da expansão territorial do “homem branco”.

Além desses meios usados para atingir o aumento do território, os Estados Unidos entraram em guerra com o México pela disputa da região do Texas, no período entre 1846 e 1848. Durante a chamada Guerra Mexicano-Americana, o México foi derrotado e obrigado a ceder territórios que hoje correspondem ao Texas, Novo México, Arizona, Califórnia, Colorado, Utah e Idaho.

Essa expansão territorial americana, durante o século XIX, foi justificada por uma ideologia conhecida como Destino Manifesto. Formulada a partir do artigo de um jornalista chamado John O’Sullivan, essa concepção defendia a ideia de que os Estados Unidos eram uma nação predestinada por Deus para realizar as conquistas de novos territórios e formar uma grandiosa nação. Essa ideologia legitimava ainda a violência cometida contra os indígenas no oeste.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A ocupação do oeste americano coincidiu com a descoberta de ouro em locais como a Califórnia e Dakota do Sul. Esse acontecimento deu início a uma verdadeira corrida pelo ouro, e milhares de pessoas mudaram-se à procura de enriquecimento pela mineração. Em muitos casos, essas ocupações levaram a conflitos com os indígenas.

O governo americano incentivava esse processo migratório com ações como a Lei do Povoamento (Homestead Act), de 1862, a qual tinha a intenção de garantir a posse do oeste para a população branca. Essa lei definia que qualquer cidadão americano a partir de 21 anos poderia comprar terras nessa região por um preço baixíssimo, desde que habitasse a terra durante cinco anos.

Guerra de Secessão

O século XIX, na história dos Estados Unidos, também foi marcado pela Guerra de Secessão que aconteceu entre 1861 e 1865. Os Estados do Norte e do Sul do país possuíam características e interesses totalmente distintos, que se chocavam, por exemplo, na questão do uso da mão de obra escrava. Esse desentendimento ampliou-se com a ocupação do oeste americano.

Os estados sulistas queriam estender o uso da mão de obra escrava para os novos territórios, enquanto os nortistas eram contrários a essa proposta. Isso levou a combates localizados no estado do Kansas, por exemplo, e, quando Abraham Lincoln – considerado um abolicionista pelos sulistas – foi eleito presidente, os sulistas optaram pelo separatismo.

Em dezembro de 1860, o primeiro estado sulista declarou a secessão e foi acompanhado por outros estados. A guerra começou quando as tropas confederadas (sulistas) atacaram as tropas da União (nortistas) em abril de 1861, em Fort Sumter. Esse conflito estendeu-se até 1865 e encerrou-se com a derrota e reintegração dos sulistas à União. O saldo da guerra foi de 600 mil mortos.

Uma das grandes transformações que a Guerra da Secessão trouxe aos Estados Unidos foi a abolição da escravidão no país, por meio da determinação do presidente Abraham Lincoln, em 1863, com a guerra ainda em curso. A abolição da escravidão nos Estados Unidos foi ratificada em 1865, quando a 13ª Emenda Constitucional proibiu oficialmente o uso de escravos nos Estados Unidos.

Após a guerra, os estados sulistas passaram pela reconstrução, devido a toda a destruição causada pela guerra, e foram gradativamente recuperando seus direitos políticos nos Estados Unidos. A sociedade sulista reagiu com indignação ao fim do trabalho escravo, e isso levou ao surgimento de grupos segregacionistas, como o Ku Klux Klan, que perseguiam a população afro-americana.

Publicado por Daniel Neves Silva
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Abraham Lincoln
Clique no link e acesse para ter detalhes da vida de Abraham Lincoln, o presidente dos Estados Unidos que aboliu a escravidão em seu país.
Destino Manifesto: uma das mais importantes doutrinas de toda a cultura norte-americana.
Destino Manifesto
Uma doutrina de importância fundamental para a compreensão dos EUA.
James Monroe foi presidente dos EUA e estabeleceu uma doutrina que promoveu a não interferência europeia no continente americano, no século XIX.
Doutrina Monroe
Acesse o site e conheça mais sobre a Doutrina Monroe. Veja quais foram os seus objetivos e acompanhe as suas consequências na política americana do século XIX.
Estados Unidos são a nação mais influente do mundo na política, economia, gastronomia e na cultura.
Estados Unidos
Descubra mais sobre os Estados Unidos. Conheça sua história, população e cultura. Saiba qual é a sua capital e quais as cidades mais conhecidas no país.
Canhão “dictator” (ditador), utilizado pelas tropas da União durante o Cerco a Petersburg, entre 1964 e 1865
Guerra de Secessão
Saiba mais sobre a Guerra de Secessão, conflito que causou 600 mil mortes nos Estados Unidos entre 1861 e 1865.
Selo retrata a Festa do Chá de Boston, episódio em que colonos destruíram caixas de chá no porto dessa cidade*
Independência dos Estados Unidos
Entenda o processo de independência dos Estados Unidos, realizado pela elite colonial insatisfeita com a metrópole.
Ku Klux Klan
Saiba mais sobre a Ku Klux Klan, organização supremacista e terrorista que surgiu na segunda metade do século XIX.
O confronto entre colonos e índios no Velho Oeste americano era constante
Marcha para o Oeste nos EUA
Saiba mais sobre a formação da América do Norte compreendendo alguns aspectos da Marcha para o Oeste nos Estados Unidos.
George Washington foi o primeiro presidente dos Estados Unidos
Origem do sistema presidencialista nos Estados Unidos
Saiba como ocorreu a origem do sistema presidencialista nos Estados Unidos e entenda por que o sistema de representação nesse país é um dos mais complexos do mundo.
Manifestação pelos direitos civis dos negros nos EUA*
Segregação racial nos Estados Unidos
Saiba como teve início a segregação racial nos Estados Unidos e em que contexto ela ocorreu!
video icon
Biologia
Sustentabilidade, degradação ambiental e a responsabilidade humana
Queimadas e incêndios florestais, desmatamento intenso para a atividade agropecuária e avanço cada vez maior das áreas urbanas têm gerado uma situação de degradação ambiental com prejuízos possivelmente irreversíveis. O planeta tem dado sinais de desgaste ambiental e cada vez mais fica evidente que devemos buscar um modo de vida sustentável. As discussões sobre isso são urgentes para um mundo cada vez mais devastado pelo ser humano. Assista ao nosso vídeo para entender melhor o assunto!

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Guia de Profissões
Publicidade e Propaganda
Que tal conhecer um pouco mais sobre as funções de um publicitário?
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Português
Preposições
Vamos aprender mais sobre essa classe conectiva de termos?