Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História do Brasil
  3. Brasil Colônia
  4. Invasões francesas na colônia portuguesa

Invasões francesas na colônia portuguesa

As invasões francesas no Brasil ocorreram em alguns momentos da história colonial, sendo que houve tentativas de colonização no Rio de Janeiro e em São Luís do Maranhão.

A divisão das terras que passaram a ser conhecidas durante as Grandes Navegações do século XV e XVI deixou de fora da partilha o reino francês. Quando foi estabelecido o Tratado de Tordesilhas, o rei Francisco I ironizou a decisão papal, pedindo o testamento de Adão para saber em qual cláusula ele havia dividido o mundo entre espanhóis e portugueses.

Na prática, a França passou a realizar comércio com os indígenas nas terras portuguesas, principalmente no litoral brasileiro, durante o século XVI e XVII. Durante dois momentos, os franceses tentaram estabelecer colônias no Brasil. Essas tentativas de colonização ficaram conhecidas como invasões francesas e ocorreram nas atuais cidades do Rio de Janeiro e em São Luís, no Maranhão.

Em 1555, Nicolas de Villegagnon desembarcou com dois navios na região da Baía de Guanabara e iniciou a constituição da França Antártica. O nome adotado se deu pelo fato de os franceses acharem que estavam próximos ao polo antártico. A colônia conseguiu o apoio dos índios tamoios, que os auxiliaram na exploração do pau-brasil em troca de artefatos produzidos na Europa, principalmente os de metal, como ferramentas. Outra característica da colonização francesa foi a convivência entre calvinistas franceses, os huguenotes, e católicos no entrave francês na Baía da Guanabara. Inicialmente amistosa, a convivência entre os adeptos dos dois tipos de cristianismo passou a sofrer percalços que resultaram no enfraquecimento da organização da França Antártica.

A reação portuguesa foi rápida, pretendendo impedir que a França Antártica se consolidasse em terras da coroa lusitana. Em 1560, sob o comando do governador-geral da colônia brasileira, Mem de Sá, a França Antártica foi destruída.

Quadro O último tamoio, de Rodolfo Amadeo (1857-1941), retratando o fim das guerras entre os indígenas e portugueses
Quadro O último tamoio, de Rodolfo Amadeo (1857-1941), retratando o fim das guerras entre os indígenas e portugueses

Mas os portugueses não tiveram que enfrentar apenas os franceses nesses confrontos. A Confederação dos Tamoios foi formada em 1564 por indígenas das tribos dos tupinambás, aimorés e termiminós para enfrentar os portugueses, que os aprisionavam para escravizá-los, e as demais tribos que apoiavam os lusitanos, como os guaianazes. Como os franceses eram também inimigos dos portugueses, houve uma aliança entre a Confederação dos Tamoios e os ocupantes franceses. Os conflitos superaram no tempo o fim da França Antártica, estendendo-se até 1567. A fundação da cidade de São Salvador do Rio de Janeiro foi uma das consequências da invasão francesa no litoral sul do Brasil.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Com a derrota no Rio de Janeiro, os franceses passaram a realizar investidas no litoral nordestino. Entre 1612 e 1615, eles tentaram realizar a construção de uma nova colônia, a França Equinocial. A construção do forte de São Luís, comandada por Daniel de La Touche, deu início à fundação da cidade de São Luís, nome escolhido em homenagem ao monarca francês que foi canonizado. A segunda invasão francesa ocorreu no momento em que estava em vigor a União Ibérica, o que levou a uma ação conjunta entre portugueses e espanhóis para expulsar novamente os franceses da colônia brasileira.

Após essas derrotas, os franceses partiram para colonizar o território hoje conhecido como Guiana Francesa. No continente americano, eles criaram ainda entraves coloniais nas Antilhas e na América do Norte, nos territórios onde hoje estão Canadá e EUA. Além disso, foi estimulada pelo governo francês a prática de pirataria no oceano Atlântico, com saques a diversos navios e pontos comerciais nas colônias americanas. Duas dessas investidas ocorreram novamente no Rio de Janeiro, no século XVIII. Em 1710, os portugueses conseguiram conter os corsários franceses que tentaram saquear a cidade. Mas, em 1711, os portugueses não lograram o mesmo êxito e foram obrigados a pagar como indenização uma alta quantia para terem o Rio de Janeiro de volta.

Mapa francês feito durante a colonização da França Antártica
Mapa francês feito durante a colonização da França Antártica
Publicado por: Tales dos Santos Pinto
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios

Questão 1

(Fuvest-SP) Sobre a presença francesa na Baía de Guanabara (1557-1560), podemos dizer que foi:

a) apoiada por armadores franceses católicos que procuravam estabelecer no Brasil a agroindústria açucareira.

b) um desdobramento da política francesa de luta pela liberdade nos mares e assentou-se numa exploração econômica do tipo da feitoria comercial.

c) um protesto organizado pelos nobres franceses huguenotes, descontentes com a Reforma Católica implementada pelo Concílio de Trento.

d) uma alternativa de colonização muito mais avançada do que a portuguesa, porque os huguenotes que para cá vieram eram burgueses ricos.

e) parte de uma política econômica francesa levada a cabo pelo Estado com o intuito de criar companhias de comércio.

Questão 2

Os franceses – traficantes de especiarias e negociantes de pau-brasil – percorreram desde os primeiros tempos o litoral da América portuguesa. Expedições anteriores haviam deixado alguns homens, conhecidos por truchements, ou seja, intérpretes, entre os indígenas, com os quais faziam alianças, servindo de intermediários para o negócio das especiarias. A expedição de Villegagnon tinha projetos mais duradouros, embora possa ser inserida no mesmo movimento de disputa pelo comércio ultramarino. Eram cerca de 600 colonos, entre mercenários e aventureiros. Entre eles, encontrava-se um ministro católico, André Thevet, que mais tarde escreveria um dos relatos sobre aquela experiência. (BICALHO, Maria Fernanda B. A França Antártica, o corso, a conquista e a “peçonha luterana”. In: Revista HISTÓRIA, São Paulo, 27 [1], 2008. p. 32.)

O trecho acima faz referência ao projeto denominado de “França Antártica”, que consistiu na ocupação da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, iniciado em 1550. Sobre esse processo, é correto afirmar que:

a) foi apoiado pelo governador-geral Mem de Sá.

b) foi desmantelado pelo Governo Geral da Colônia no ano de 1560.

c) resultou em um conflito sangrento entre os huguenotes franceses e os luteranos portugueses.

d) durou até o ano de 1808, quando a corte portuguesa desembarcou no Rio de Janeiro.

e) durou até 1822, quando o Brasil se tornou independente.

Mais Questões
Assuntos relacionados
Os feitos de Calabar incitam um acalorado debate historiográfico.
Domingos Fernandes Calabar
Um das mais polêmicas figuras da história colonial brasileira.
22 de abril – Descobrimento do Brasil
Clique aqui para saber sobre o descobrimento do Brasil. Entenda como os portugueses chegaram aqui, e veja se esse dia é considerado feriado nacional.
A extração do pau-brasil foi iniciada poucos anos depois dos portugueses terem chegado à América.
Exploração do pau-brasil
Clique aqui e saiba mais sobre como era a exploração do pau-brasil que acontecia no Brasil durante o século XVI. Entenda também o funcionamento das feitorias.
Ciclo do Açúcar
Entenda a importância que o açúcar possuía durante o Período Colonial, os principais motivos que deram fim à hegemonia da sua produção e como funcionavam os engenhos.