Whatsapp icon Whatsapp

O “povo brasileiro” no Segundo Reinado

O “povo brasileiro” no Segundo Reinado consistia em um conceito e em uma realidade difícil de se realizar, dadas as amplas contradições que o país apresentava.
No Segundo Reinado, regido por Dom Pedro II, buscou-se no Brasil a construção de uma “identidade nacional”
No Segundo Reinado, regido por Dom Pedro II, buscou-se no Brasil a construção de uma “identidade nacional”

Após a Independência do Brasil, em 1822, e a instituição do Império, com a Constituição de 1824 e o governo de D. Pedro I, um dos interesses mais patentes das elites políticas que arquitetaram a política nacional (entre esses “arquitetos” estava a figura expressiva de José Bonifácio de Andrada e Silva) era dar ao Brasil o caráter de Nação, isto é, o “rosto” de um país com um povo e uma cultura específicos. Essa pretensão fazia-se coerente, uma vez que o mundo ocidental vivia, em meados do século XIX, a explosão do Nacionalismo; e, no âmbito cultural, do Romantismo, que endossava os conceitos de povo e nação.

Durante o Período Regencial e o Segundo Reinado, que tiveram, guardadas as devidas críticas, o papel de manter a unidade nacional por meio, sobretudo, da preservação da unidade territorial, o projeto de construção da identidade do “povo brasileiro” pôde ser visto em vários setores, desde o cultural, com a poesia, o romance e as artes plásticas que tematizaram o indigenismo e os valores da sociedade tipicamente brasileira, até as ações políticas de fomento científico. Foi o caso das ações do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, o IHGB.

Entretanto, um dos problemas que a “construção do modelo de povo brasileiro” enfrentava nesse período era o fato de que, no Brasil, o processo de “aburguesamento” da sociedade ainda não tinha se efetivado. Para que o país, à época, formasse de forma genuína um “povo”, isto é, um corpo de cidadãos conscientes de seu protagonismo político, era necessário que a sociedade encarnasse efetivamente os valores burgueses, que se formam mediante o contato com o processo de industrialização e a formação de grandes centros urbanos e comerciais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O fato é que o Brasil, apesar de querer estar inserido no processo de absorção desses valores, era um país herdeiro de tradições aristocráticas, patrimonialistas e, em grande parte, absolutistas. Esses fatores provocavam a incompatibilidade entre os anseios de determinada elite política e a realidade da nossa formação histórica nacional.

O próprio imperador D. Pedro II possuía certa imagem de monarca, mas pretendia afastar-se do padrão faustuoso, do luxo aristocrático. Ao utilizar roupas burguesas, como terno, colete, gravata e cartola, Pedro II passava “ares de rei-cidadão”, como bem investiga a historiadora Lilia M. Schwarcz em seu livro “As barbas do imperador”. Isso implicava uma contradição entre as funções de um rei herdeiro de uma casa aristocrática pré-napoleônica e absolutista. D. Pedro, em sua própria pessoa, encarnava as contradições de um país em construção.

Publicado por Cláudio Fernandes

Artigos Relacionados

O governo de Dom Pedro II, período de estabilidade e transformações.
A política do Segundo Reinado
Segundo Reinado, Brasil no século XIX, política no Segundo Reinado, a questão escravista, a política conciliatória de Dom Pedro II, o movimento abolicionista, a ascensão dos militares o fim do governo imperial.
Povo é um grupo que possui vínculo jurídico-político com o Estado, podendo ser nato ou naturalizado*
Diferença entre povo e nação
Clique aqui e entenda a diferença entre povo e nação, dois conceitos distintos e complementares para entender a população de um país.
Ilustração do século XIX retrata combate travado entre as duas forças durante a Guerra do Paraguai
Guerra do Paraguai
Clique e conheça as causas e os principais acontecimentos da Guerra do Paraguai (1864-1870), evento que trouxe mudanças aos países envolvidos.
Machado de Assis é um dos maiores nomes da Literatura brasileira.
Machado de Assis
Saiba como Machado de Assis saiu de uma origem simples, tornando-se um grande autor, precursor do Realismo e criador da Academia Brasileira de Letras.
Maria Leopoldina
Cliquei aqui para conhecer a vida de Maria Leopoldina, a primeira imperatriz do Brasil. Veja a contribuição dela para a realização da independência brasileira.
A organização do sistema eleitoral durante o período imperial.
O processo eleitoral no Brasil Império
A organização do sistema eleitoral durante o período imperial.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas