Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História Geral
  3. Idade Antiga
  4. Civilização Grega
  5. Os governos tirânicos de Atenas

Os governos tirânicos de Atenas

Durante o período arcaico, observamos que as transformações econômicas de Atenas induziram a uma série de conflitos políticos entre os tradicionais aristocratas e outros grupos da sociedade ateniense. Comerciantes enriquecidos, artesãos, pequenos proprietários e cidadãos endividados reivindicavam a ampliação da participação política ou a quebra de antigas leis que beneficiavam estritamente as parcelas mais enriquecidas da população de Atenas.

Nesse contexto, os reformadores Drácon e Sólon empreenderam medidas que abriram caminho para o atendimento de uma boa parte dessas reivindicações. A adoção de leis, o fim da escravidão por dívidas e a reorganização das assembleias foram pontos significativos nesse processo de transformação. Contudo, essas transformações atingiam diretamente o interesse dos eupátridas, mas também não atendiam prontamente os defensores de mudanças políticas mais profundas.

Foi nesse contexto que os governos tirânicos apareceram na cidade-estado de Atenas. O primeiro a chegar ao poder foi Pisístrato (561 – 527 a.C.), que tinha grande prestigio junto às classes populares da região. Em seu governo, impôs a divisão das grandes propriedades e a distribuição de terras para aqueles que tivessem poucas posses. Além disso, estabeleceu várias obras públicas que deram emprego aos atenienses e organizou diversos eventos esportivos e religiosos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dada a morte de Pisístrato, o governo ateniense foi delegado para seus filhos Hípias e Hiparco. O governo de ambos seguiu um tom moderado, sem muitas ações de impacto. Entretanto, em 514 a.C., a morte de Hiparco pelas mãos de um aristocrata acabou fazendo com que Hípias empreendesse diversas ações de perseguição contra as elites da cidade. Seu comportamento acabou promovendo a sua expulsão de Atenas, no ano de 510 a.C..

Tempos depois, Iságoras assumiu o posto de tirano restabelecendo os antigos privilégios dos aristocratas atenienses. Suas ações acabaram acendendo uma violenta reação dos populares na cidade. Visando manter-se no cargo, Iságoras convocou os espartanos para intervirem na cidade, mas acabaram sendo expulsos pelos atenienses. Nessa nova situação de conflito, o aristocrata Clístenes acabou mobilizando o apoio necessário para que ascendesse ao poder a fim de desenvolver uma ordem política democrática à cidade.

Por Rainer Sousa
Mestre em História
Equipe Mundo Educação

Os governos tirânicos antecederam a instalação da democracia em Atenas.
Os governos tirânicos antecederam a instalação da democracia em Atenas.
Publicado por: Rainer Gonçalves Sousa
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Cretenses
Acesse e descubra detalhes dos cretences, civilização antiga que habitou a ilha de Creta. Entenda como se estabeleceram lá, e conheça o seu modo de vida.
O período helenístico foi marcado pelo contato da cultura grega com outras civilizações.
Período Helenístico
O último período da história da antiga civilização grega.
As reformas empreendidas por Sólon ampliaram a participação política dos atenienses.
Os legisladores atenienses
A ação dos políticos que deram fim à tradição aristocrática em Atenas.
Mestre de Platão, Sócrates teria inaugurado o período antropológico da filosofia grega.
Sócrates
Clique aqui e fique por dentro da história de Sócrates, um dos maiores filósofos da Grécia Antiga.
Os gregos organizavam vários cultos públicos em homenagem às suas divindades.
Religiosidade grega
Os traços que marcam a origem e o significado dos vários deuses adorados pelos gregos.
A arquitetura e a escultura grega assumiram diferentes traços ao longo de sua história.
Arquitetura e escultura grega
As características fundamentais desses dois campos da cultura grega.