Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química Geral
  4. História da Tabela Periódica

História da Tabela Periódica

Na química, os elementos estão dispostos em uma tabela, os critérios usados para organizar os elementos foram estabelecidos com o decorrer do tempo. Um importante passo foi dado no ano de 1869, através do professor da Universidade de São Petersburgo (Rússia), Dimitri Ivanovich Mendeleev (1834-1907), ele escreveu um livro sobre os elementos conhecidos até aquela época. Na época foi constatado cerca de 63 elementos, e Mendeleev os organizou em função da massa atômica de seus átomos, estabelecendo assim as famílias e grupos.

O trabalho desse cientista foi muito importante, a prova disso é que a base classificação periódica atual é a tabela de Mendeleev, com a diferença de que as propriedades dos elementos variam periodicamente com seus números atômicos e não com os pesos atômicos, como era a classificação feita pelo cientista.

A Tabela Periódica atual é formada por 118 elementos distribuídos em 7 linhas horizontais, cada uma sendo chamada de período. Os elementos pertencentes ao mesmo período possuem o mesmo número de camadas de elétrons.

Mas como será que as pesquisas de Mendeleev levaram a um modelo de tabela?
Mendeleev sentiu a necessidade de organizar seus dados de Química Inorgânica e começou a colecionar todas as informações sobre os elementos conhecidos na época. Os dados eram anotados em cartões, que eram fixados na parede de seu laboratório, esse quebra-cabeça deu origem a uma Tabela na qual os elementos foram dispostos em filas horizontais, de acordo com as massas atômicas crescentes, e colunas verticais, com elementos de propriedades semelhantes.

No ano de 1869 Mendeleev apresentou à comunidade científica a sua lei periódica dos elementos, ele deixou posições vazias na sua tabela dedicadas a elementos que eram desconhecidos. Com o passar dos anos a Tabela Periódica surgia devido à crescente descoberta de elementos químicos e das suas propriedades, os quais necessitavam ser organizados segundo as suas características.

O nome "Tabela Periódica" é devido à periodicidade, ou seja, à repetição de propriedades, de intervalos em intervalos.

Com esse esboço, podemos então concluir que a Tabela Periódica não foi simplesmente inventada, mas foi criada a partir de poucos elementos e da sua investigação, a partir daí foi sendo cada vez mais aperfeiçoada e completada com elementos que eram descobertos, e comparados aos que já existiam.
Conhecendo a Tabela periódica brincando.
Conhecendo a Tabela periódica brincando.
Publicado por: Líria Alves de Souza
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
A Química é uma ciência teórica e experimental
Introdução à Química
Aqui você encontrará uma introdução à Química, com a definição dessa ciência, quais são seus ramos de estudo e seu papel em nossa sociedade.
A gasolina não se mistura com a água, porque elas são, respectivamente, apolar e polar
Determinação de polaridade por meio das nuvens eletrônicas
A polaridade das moléculas pode ser determinada pela quantidade de pares eletrônicos e de átomos iguais ligados ao átomo central.
Localização dos calcogênios na tabela periódica
Calcogênios
Clique e conheça o que são os calcogênios por meio da distribuição eletrônica e das características gerais desse importante grupo da tabela periódica.
Elementos de transição na tabela periódica
Distribuição eletrônica dos elementos de transição
Aprenda a realizar a distribuição eletrônica dos elementos de transição e saiba quais são as principais diferenças entre os elementos representativos.
Equações Químicas
Equações Químicas, ácido clorídrico, Equação Química equilibrada, balanceamento de equações, produtos, reagentes, coeficiente estequiométrico, estado físico do átomo participante, Catalisadores, aquecimento, reação reversível.
Forças intermoleculares e estado físico da matéria
Como a mudança de temperatura interfere na união entre moléculas?
Que propriedades você usaria para identificar que líquido é esse?
Propriedades Gerais e Específicas
Entenda a diferença entre propriedades físicas gerais e específicas da matéria.