Whatsapp icon Whatsapp

Modelo atômico e seu evolucionismo

Modelo atômico de Rutherford.
Modelo atômico de Rutherford.
Na Antigüidade, os gregos Demócrito de Abdera (420 a.C.) e Leucipo (450 a.C.) sugeriram modelos de átomos: eles afirmavam que a matéria era composta por pequenas partículas, que receberam a denominação de átomo, palavra que em grego significa indivisível. Este modelo é um modelo filosófico sem base experimental, sem forma definida e sem núcleo.

O átomo até chegar ao modelo atual, passou por modelos propostos por John Dalton, Joseph John Thomson, Ernest Rutherford e Niels Bohr.

Dalton propôs que o átomo consistia em uma esfera maciça, homogênea, indivisível e de carga elétrica neutra, já o físico inglês Thomson realizou experimentos com descargas elétricas de gases e concluiu que o átomo deveria ser uma pequena esfera positiva com elétrons de carga negativa incrustados na esfera. Esse modelo foi apelidado de “pudim de ameixas”.

Essas teorias atômicas propostas por Dalton e Thomson foram superadas em 1911 pelo modelo de Ernest Rutherford. Segundo ele, o átomo consiste em um núcleo pequeno que compreende toda a carga positiva e praticamente a massa do átomo, e também de uma região extranuclear, que é um espaço vazio onde só existem elétrons distribuídos. O núcleo atômico é uma partícula que tem uma massa maior que a do elétron, mas se tratando da carga, o núcleo e o elétron possuem cargas iguais, mas de sinais opostos. Os elétrons possuem carga negativa e o núcleo possui carga positiva. Essas observações sobre o núcleo atômico foram feitas por Rutherford em 1914, que mais tarde (ano de 1920) afirmou que essa carga positiva deve-se à presença de prótons, nome proposto por ele.

O átomo passou por um aperfeiçoamento em 1913, realizado pelo físico dinamarquês Niels Bohr, que estabeleceu o modelo de átomo como sistema planetário, que dividia a eletrosfera em sete camadas, chamadas atualmente de camadas de valência.
Publicado por Líria Alves de Souza
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Universo
A composição do Universo
Como é possível uma simples partícula formar tudo que existe?
Representação de um átomo e suas partículas
Cálculo das partículas atômicas
Clique e aprenda a realizar o cálculo das partículas atômicas, isto é, o número de prótons, nêutrons e elétrons!
A distribuição eletrônica em orbitais baseia-se no diagrama de Linus Pauling
Distribuição eletrônica em orbitais
Aprenda a realizar a distribuição eletrônica em orbitais a partir da forma fundamental que utiliza o diagrama de Linus Pauling.
Ilustração de átomo – corresponde apenas a um modelo, e não à realidade
Estrutura do átomo
Conheça a estrutura básica do átomo e quais são as suas principais partículas constituintes.
Exemplos de misturas gasosas
Misturas de Gases
Entenda mais a respeito do comportamento das misturas de gases por meio da Lei de Dalton das pressões parciais e da Lei de Amagat dos volumes parciais.
Que propriedades você usaria para identificar que líquido é esse?
Propriedades Gerais e Específicas
Entenda a diferença entre propriedades físicas gerais e específicas da matéria.
A água age como ácido ou base.
Água anfótera
Por que a água recebe este nome?
video icon
Filosofia
Fenomenologia de Merleau-Ponty
A Fenomenologia foi um movimento filosófico que visava a entender como o ser humano compreende o mundo a partir de sua própria percepção dos fenômenos. Maurice Merleau-Ponty aprofundou-se nos estudos do “pai” da fenomenologia, Edmund Husserl, e desenvolveu a sua própria vertente fenomenológica: a Fenomenologia da Percepção. Para saber mais sobre o assunto, confira nossa aula!

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.