Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química Geral
  4. Raio Atômico e Iônico

Raio Atômico e Iônico

No texto “Raio atômico: o tamanho do átomo” é bem explicado que o raio atômico (r) é basicamente a metade da distância (d) entre dois núcleos de átomos vizinhos, considerando-se os átomos como esferas. Mostrou-se também que o raio atômico é uma propriedade periódica que aumenta de cima para baixo e da direita para a esquerda na Tabela Periódica.

Agora, neste texto, vamos ver o que ocorre com o raio atômico quando o átomo perde ou ganha elétrons, isto é, quando se transforma em um íon. Se o átomo do elemento no estado fundamental perder um ou mais elétrons, ele ficará com uma carga positiva (porque os elétrons são negativos) e será chamado de cátion. Caso contrário, se o átomo ganhar um ou mais elétrons, ele ficará com a carga negativa e será denominado ânion.

Observe como ocorre a variação do tamanho do raio atômico em cada caso:

  • Raio atômico em relação ao raio do cátion:

Raio atômico em relação ao raio do cátion

O raio atômico diminui quando o átomo se transforma em um cátion porque ele perdeu elétrons e sua carga nuclear efetiva (Zef) aumentou. A carga nuclear efetiva corresponde à carga nuclear, isto é, o número de prótons, menos a blindagem que é exercida pelos elétrons intermediários, que ficam entre o núcleo e os elétrons da camada mais externa.

Zef = prótons – elétrons intermediários

Por exemplo, considere o átomo de sódio no estado fundamental. Ele possui 11 prótons e 11 elétrons, sendo que esses elétrons estão distribuídos em três camadas eletrônicas da seguinte forma: 2 – 8 – 1.

Átomo de sódio

Visto que os elétrons intermediários são 2 – 8, isto é, 10, então temos que a carga nuclear efetiva do sódio é de +1:

Zef = + 11 – 10
Zef = +1

Já o átomo de cloro possui uma carga nuclear efetiva maior, pois ele também possui três camadas eletrônicas, mas tem 17 prótons e 17 elétrons no estado fundamental, sendo a sua distribuição eletrônica igual a 2 - 8 – 7:

 Zef = + 17 – 10
Zef = +7

Quanto maior a carga nuclear efetiva, maior será a atração do núcleo sobre os elétrons e menor será o raio. Nos exemplos acima, o cloro tem o raio atômico menor que o do sódio.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Relação entre carga nuclear efetiva e tamanho do raio atômico

Agora pense, por exemplo, no caso de o átomo de sódio perder seu elétron na camada de valência, tornando-se um cátion. Nesse caso, a sua carga nuclear efetiva irá aumentar e, consequentemente, o seu raio atômico irá diminuir:

 Zef = + 11 – 2
Zef = +9

  • Raio atômico em relação ao raio do ânion:

Raio atômico em relação ao raio do ânion

Neste caso, a carga nuclear efetiva não se altera. Veja o caso do cloro, por exemplo: digamos que ele receba um elétron, ficando com oito elétrons em sua camada de valência e se tornando um ânion. Ainda assim a camada de blindagem continuaria a ser - 10 e a carga nuclear continuaria igual a + 17, dando um valor para a carga nuclear efetiva de +7, o mesmo valor do seu estado fundamental.

No entanto, o núcleo do ânion acaba sendo parcialmente blindado e seu raio aumenta. A entrada de um elétron no último nível do cloro, onde antes havia apenas 7, provoca a expansão do nível. A repulsão elétrica aumenta e os elétrons se afastam, ocupando um espaço maior e resultando em um raio atômico maior.

Assim temos, resumidamente:

Raio do cátion < raio do átomo < raio do ânion

  • Raio de íons isoeletrônicos:

Relação entre raios iônicos de íons isoeletrônicos

Íons isoeletrônicos são aqueles que possuem a mesma quantidade de elétrons e, consequentemente, a mesma quantidade de camadas eletrônicas.

Assim, o que vai diferenciar um do outro é a quantidade de prótons que há no núcleo, isto é, o número atômico. Com o aumento no número atômico, a carga nuclear efetiva diminuirá e o raio será maior.

Por exemplo, conforme já mencionado, a carga nuclear efetiva do cátion sódio (11Na+1) é de +9. Agora comparemos com o ânion fluoreto (9F1-) que, assim como o cátion sódio, também possui 10 elétrons distribuídos em 2 camadas eletrônicas. Veja a sua carga nuclear efetiva:

 Zef = + 9 – 2
Zef = +7

Observe que a carga nuclear efetiva do fluoreto é menor que a do cátion sódio. Com base nisso, concluímos que o raio iônico do fluoreto é maior.

O tamanho do raio atômico muda se ele ganhar ou perder elétrons
O tamanho do raio atômico muda se ele ganhar ou perder elétrons
Publicado por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça
Assista às nossas videoaulas
Assuntos relacionados
Compostos iônicos
Conheça mais sobre os compostos iônicos e suas características e como a força de atração entre os íons explica as propriedades desses compostos.
A densidade do ouro à 25°C é 19,3 g/cm3.
Densidade
Densidade, sólidos, líquidos, gramas por centímetro cúbico, substância, massa, volume, água, álcool etílico, alumínio, chumbo, diamante, leite integral, mercúrio.
Granito: mistura heterogênea de pedras.
Misturas Homogêneas e Heterogêneas
Misturas Homogêneas, Misturas Heterogêneas, sistemas, granito, quartzo, feldspato, mica, ar, fase, solução, substância pura, moléculas, componentes, sais minerais, composto.
Modelo atômico de Bohr.
O átomo de Bohr
Niels Bohr, átomo de Bohr, física atômica, átomo estável, modelo atômico sistema planetário, camadas da eletrosfera, níveis de energia, camadas eletrônicas, energia dos elétrons, modelo atômico de Rutherford, átomo em estado excitado.
Átomo de Rutherford
Modelo atômico de Rutherford, placa fluorescente, núcleo, carga positiva, elétrons, eletrosfera, massa do átomo, partículas alfa, partículas beta, raios gama, lâminas de ouro, Ernest Rutherford, experimentos científicos, elemento radioativo, Polônio, radioatividade.
O tipo de ligação química que forma os compostos é que determina suas propriedades
Ligações Químicas
Entenda por que os átomos reagem entre si, originando as ligações químicas. Veja também o que diferencia as principais ligações, que são: ligação iônica, covalente e metálica.
A água destilada é formada só por H2O, sendo uma substância pura. Porém, outros “tipos de água” são misturas porque possuem substâncias dissolvidas
Substâncias e Misturas
Entenda qual é a diferença entre substâncias e misturas. Veja também o que são substâncias simples, substâncias compostas, misturas homogêneas e misturas heterogêneas.
O conteúdo energético de cada um dos elétrons de um átomo é caracterizado por quatro números quânticos
Os Quatro Números Quânticos
Entenda como é feita a determinação dos quatro números quânticos dos elétrons de um átomo.
O tamanho de um átomo é influenciado pela quantidade de prótons e elétrons existente na sua composição
Raio iônico
Clique e conheça a influência da perda e do ganho de elétrons em um raio iônico.
O cimento é composto por um óxido que apresenta na sua constituição o metal alcalinoterroso cálcio
Metais alcalinoterrosos
Conheça as principais características e utilizações dos metais alcalinoterrosos!
Modelo atômico representando os componentes de um átomo de Nitrogênio
Nitrogênio
Clique e conheça tudo sobre o elemento Nitrogênio, bem como as formas em que ele pode ser encontrado na natureza.
Concepção artística de um processador quântico.
Computador quântico
Você já ouviu falar sobre computação quântica? Ao que tudo indica, no futuro, teremos computadores baseados nas propriedades quânticas da matéria, como nos spins dos elétrons, nos níveis de energia dos átomos e, até mesmo, no plano de polarização dos fótons de luz. Saiba mais sobre as características dessa incrível tecnologia emergente.
As duas formas alotrópicas do enxofre (rômbico e monoclínico) podem ser encontradas em locais propícios a erupções vulcânicas
Alotropia do Enxofre
Conheça como ocorre a alotropia do enxofre, resultando no enxofre rômbico e no enxofre monoclínico.
A medida da temperatura é uma propriedade intensiva
Propriedades intensivas e extensivas
Conheça o que diferencia as propriedades intensivas e extensivas e como algumas delas podem ser usadas para identificar as substâncias.