Titulação ácido-base

Quando os cientistas precisam determinar a concentração em mol/L (em quantidade de matéria) de alguma solução, costuma-se usar uma técnica de análise volumétrica denominada titulação, ou mais especificadamente, titulação ácido-base.

Esse método é feito colocando-se para reagir uma solução a qual se sabe a concentração, que é denominada de titulante, com a solução a qual não se sabe a concentração, que é denominada de titulado. Uma dessas soluções é uma base, enquanto a outra é um ácido.

A reação que ocorre entre um ácido e uma base é denominada neutralização, pois o pH costuma ficar neutro ou próximo disso, o que equivale a um pH igual a 7. Quando um ácido reage com uma base, água e um sal são formados. É preciso saber equacionar esse tipo de reação para os cálculos usados na titulação, conforme será mostrado mais adiante.

Com a adição de um indicador ácido-base, observa-se quando a reação se completa, atingindo o ponto de equivalência ou ponto de viragem. É possível saber quando isso ocorre e parar a reação, porque a cor da solução sofre uma mudança brusca na presença de um indicador ácido-base, em virtude da variação do pH.

No entanto, embora o ponto de equivalência indique o térmico da titulação, nem sempre os volumes das soluções que são utilizadas resultam em uma solução final neutra, com pH igual a 7. 

Veja o passo a passo de como costuma ser feita uma titulação ácido-base em laboratório:

  1. Com o auxílio de uma pipeta, transfere-se um volume conhecido do titulado para um erlenmeyer;
  2. Adicionam-se poucas gotas de algum indicador ácido-base, como a fenolftaleína, ao titulado;
  3. Completa-se o volume de uma bureta com a solução titulante;

Colocando-se o titulante na bureta para realizar a titulação

  1. Monta-se uma aparelhagem semelhante à mostrada abaixo:

Esquema de aparelhagem para titulação

  1. Inicia-se a reação abrindo vagarosamente a torneira da bureta para que, gota a gota, o titulante caia sobre o titulado. Enquanto uma das mãos permanece sobre a torneira (para que, se for preciso, ela seja fechada imediatamente), a outra mão fica agitando o erlenmeyer para que a reação ocorra em toda a extensão da solução que está sendo titulada;

 Na imagem abaixo, temos um balão de fundo chato no lugar do erlenmeyer:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O titulado precisa ser agitado durante o processo de titulação ácido-base

  1. Quando a cor do titulado muda bruscamente, fecha-se a torneira da bureta, pois a reação se completou;

Por exemplo, se o indicador usado foi a fenolftaleína e o titulado era inicialmente uma solução de ácido clorídrico (HCl), a solução com o indicador estava incolor. Mas, no ponto de viragem, a solução passa para a cor rosa.

  1. Agora, basta ler o volume de titulante que foi necessário para neutralizar o titulado, equacionar a reação que ocorreu e, com os outros dados em mãos, fazer as contas para descobrir a concentração do titulado.
  • Cálculos para determinar a concentração do titulado:

Por exemplo, digamos que colocamos 5 mL do titulado, sendo uma solução de HCl de concentração desconhecida no erlenmeyer, e usamos como titulante uma solução básica de NaOH, com concentração conhecida de 0,1 mol/L. Ao final da titulação, lemos na bureta que o volume gasto da solução de NaOH foi de 50 mL.

Portanto, nossos dados são:

MHCl = ?
MNaOH = 0,1 mol/L
VNaOH = 50 mL = 0,05 L
VHCl = 5,0 mL = 0,005 L

A reação de neutralização que ocorreu foi a seguinte:

HCl + NaOH → NaCl + H2O

Veja que a proporção estequiométrica é de 1 : 1, ou seja, uma molécula de ácido reage com exatamente uma de base: nHCl =nNaOH .

Sendo M = n/V → n = M . V, temos a seguinte relação:

MHCl . VHCl = MNaOH . VNaOH
 MHCl . 0,005 L = 0,1 mol/L . 0,05 L
MHCl = 0,005 mol
              0,005 L
MHCl = 1,0 mol/L

Portanto, a concentração inicial da solução de HCl, nosso titulado, era de 1,0 mol/L.

Na titulação, usa-se uma solução com concentração conhecida, que fica na bureta (ilustração), para descobrir a concentração de outra solução
Na titulação, usa-se uma solução com concentração conhecida, que fica na bureta (ilustração), para descobrir a concentração de outra solução
Publicado por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Lista de Exercícios

Questão 1

(Fuvest-SP) O rótulo de um produto de limpeza diz que a concentração de amônia (NH3) é de 9,5 g/L. Com o intuito de verificar se a concentração de amônia corresponde à indicada no rótulo, 5,0 mL desse produto foram titulados com ácido clorídrico de concentração 0,100 mol/L. Para consumir toda a amônia dessa amostra foram gastos 25,0 mL do ácido.

Com base nas informações fornecidas:

I - Qual a concentração da solução, calculada com os dados da titulação?

II – A concentração indicada no rótulo é correta?

                    I / II

a) 0,12 mol/L / sim

b) 0,25 mol/L / não

c) 0,25 mol/L / sim

d) 0,50 mol/L / não

e) 0,50 mol/L / sim

Questão 2

(UFPI) Desejando-se verificar o teor de ácido acético (CH3COOH) em um vinagre obtido numa pequena indústria de fermentação, pesou-se uma massa de 20 g do mesmo e diluiu-se a 100 cm3 com água destilada em balão volumétrico. A seguir, 25 cm3 desta solução foram pipetados e transferidos para erlenmeyer, sendo titulados com solução 0,100 mol/L de hidróxido de sódio, da qual foram gastos 33,5 cm3. A concentração em massa do ácido no vinagre em % é:

(Massa molar do ácido acético = 60 g/mol).

a) 4,0%
b) 3,3%
c) 2,0%
d) 2,5%
e) 0,8%

Mais Questões
Assuntos relacionados
Adição de água pura em uma solução ácida
Lei de Ostwald
Conheça a lei de Ostwald e aprenda a determinar a constante de ionização utilizando apenas a molaridade e o grau de ionização.
Seguindo qualquer caminho o destino é um só: princípio da Lei de Hess.
Lei de Hess
Qual a relação desta lei com a variação de entalpia em reações químicas?
Le Chatelier enunciou o princípio que leva seu nome, sobre perturbações em equilíbrios químicos.
O Princípio de Le Chatelier
O Princípio de Le Chatelier diz que quando se aplica uma força em um sistema em equilíbrio, ele tende a se reajustar procurando diminuir os efeitos da força.
Gay-Lussac estudou a variação da temperatura em relação ao volume de um gás com a pressão constante e criou a lei que leva seu nome
Transformação isobárica ou Lei de Gay-Lussac
Transformação isobárica ou Lei de Gay-Lussac: a pressão de determinado gás é mantida constante e a temperatura e o volume desse gás variam.
A temperatura de ebulição da água depende da pressão atmosférica exercida sobre a superfície do líquido
Variação da pressão atmosférica e ponto de ebulição
Entenda por que em lugares onde a altitude é menor, o ponto de ebulição da água também é menor.
Medição de pH de solução em laboratório com o uso de uma tira de indicador universal
Conceito de pH e pOH
Entenda o que é pH e pOH, como eles podem ser calculados e determinados para cada solução e como eles indicam se o meio é ácido ou básico.
A velocidade das reações é um fator importante a ser estudado
Velocidade das reações químicas
Faça uma introdução ao estudo da Cinética Química por meio deste artigo sobre a velocidade das reações químicas.
Soluções
Clique aqui e fique por dentro do nosso conteúdo sobre soluções! Aproveite e teste seus conhecimentos respondendo a exercícios sobre o tema!
Representação esquemática da primeira lei de Gay-Lussac
Leis de Gay-Lussac
Clique e conheça como são aplicadas as duas leis de Gay-Lussac, a lei da transformação isocórica e a lei das proporções volumétricas.
O estudo da velocidade das reações se baseia na análise gráfica
Análise Gráfica da Velocidade das Reações
Veja um estudo de como é realizada a análise gráfica da velocidade das reações e passe a compreender melhor os gráficos usados na Cinética Química.