Whatsapp icon Whatsapp

Alelos letais

Alelos letais são genes que podem levar seu portador à morte. Existem alelos letais que se comportam de maneira recessiva e aqueles que se comportam de maneira dominante.
Os alelos letais causam a morte de seu portador
Os alelos letais causam a morte de seu portador

Denominamos de alelos letais os genes que causam a morte de seu portador. Esses alelos foram descobertos por Lucien Cuenot (1866-1951), um biólogo que analisou o cruzamento de camundongos em 1904. Nesses cruzamentos, o número de descendentes não obedecia aos resultados esperados de acordo com Mendel, o que gerou dúvidas no pesquisador.

Nos cruzamentos realizados por Cuenot em camundongos de pelagem amarela, os resultados eram 2/3 amarelos e 1/3 de camundongos cinza, mas o esperado era 3:1. O pesquisador concluiu que, em homozigose, o amarelo poderia ser letal e todo indivíduo amarelo era obrigatoriamente heterozigoto. Cuenot testou sua hipótese com outros experimentos e confirmou sua ideia.

Alelos letais completos e semiletais

Podemos classificar os alelos letais em dois grupos com base na época de manifestação do problema: letais completos e semiletais. Os alelos letais completos são aqueles que causam a morte de seu portador antes da idade de reprodução. Já os semiletais são aqueles que permitem a sobrevivência do portador por muitos anos, indo além da idade reprodutiva.

Alelos letais recessivos

Os alelos letais recessivos provocam a morte quando se apresentam em homozigose. A morte ocorre na fase em que o produto desse gene faz-se necessário. Se o gene em questão for responsável pela síntese de uma determinada proteína na primeira infância, por exemplo, o organismo virá a óbito nesse momento.

Como exemplo de alelo letal recessivo, podemos citar a cor do pelo de camundongos, que pode ser aguti ou amarelo. Para a coloração, o alelo amarelo é dominante, e o aguti é recessivo. Quando o alelo para a cor amarela apresenta-se em homozigose, o camundongo morre antes do nascimento. Nesse caso, percebe-se que um mesmo alelo atua de duas formas distintas: é dominante quando se refere à cor do pelo, mas recessivo com relação à letalidade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Alelos letais dominantes

Diferentemente dos alelos letais recessivos, os alelos letais dominantes não precisam aparecer aos pares em um organismo. A presença de apenas uma cópia do alelo já é suficiente para causar a morte do organismo.

Um importante exemplo de alelo letal dominante pode ser observado na doença de Huntington. Nessa doença, observa-se uma progressiva degeneração de nervos e motora que afeta, entre outras partes, a fala e a deglutição. É muito comum a instabilidade emocional do paciente, sendo frequentes relatos de depressão. Geralmente o início dos sintomas começa por volta dos 40 anos de idade e, como um único alelo é suficiente para determinar a doença, um filho de um doente possui 50% de chance de herdar o alelo letal.

Os alelos letais dominantes são, normalmente, removidos de uma população, pois geralmente a morte ocorre antes mesmo de o indivíduo deixar descendentes. No caso da doença de Huntington, como os sintomas só surgem em uma idade que muitos já constituíram família, a doença continua a ser passada de uma geração para outra.

Publicado por Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos Relacionados

A doença de Huntington é causada por um gene defeituoso no cromossomo quatro
Doença de Huntington
Você já ouviu falar em Doença de Huntington? Compreenda um pouco mais sobre esse distúrbio!
Os genes são porções de DNA contidas nos cromossomos
Genes e cromossomos
Aprenda mais sobre genes e cromossomos, dois conceitos que são relacionados entre si e essenciais para a compreensão dessa parte da Biologia.
Os cromossomos apresentam genes que determinam nossas características
Homozigoto e heterozigoto
Entenda o significado dos termos homozigoto e heterozigoto e amplie seus conhecimentos em Genética, a ciência que estuda a hereditariedade.
video icon
Biologia
Transgênicos
Se tornou bastante comum a utilização de alimentos transgênicos em nossa alimentação. Alguns produtos são produzidos com uma grande eficiência e conseguimos quase que 100% de aproveitamento graças a processos de transgenia, o debate sobre a segurança desses produtos ainda é muito grande e está longe de uma conclusão. Mas a verdade é que transgênicos estão mais presentes em nossas vidas do que imaginamos.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.