Whatsapp icon Whatsapp

Ciclo reprodutivo das pteridófitas

O ciclo reprodutivo das pteridófitas, assim como o de outras plantas, apresenta uma fase haploide e outra diploide.
A samambaia é um exemplo de pteridófita
A samambaia é um exemplo de pteridófita

As pteridófitas são plantas vasculares sem flores, sementes ou frutos. Como exemplo de pteridófitas, podemos citar as samambaias e avencas, vegetais bastante utilizados para ornamentação. Além da aplicação ornamental, muitas pteridófitas são utilizadas como medicinais e bioindicadoras.

As pteridófitas, em virtude da ausência de grãos de pólen, apresentam uma grande dependência de água para a reprodução. Assim sendo, são espécies encontradas em locais geralmente úmidos. Além disso, outro ponto importante no que diz respeito ao seu ciclo de vida é o esporófito como fase dominante.

Ciclo reprodutivo das pteridófitas

O ciclo de vida das pteridófitas, assim como o de outros vegetais, apresenta uma fase haploide (n) e uma fase diploide (2n). A fase de esporófito é dominante e diploide, enquanto a fase de gametófito é haploide e de curta duração.

As pteridófitas podem apresentar dois tipos de ciclo de vida: a homosporia e a heterosporia. Nas pteridófitas homosporadas, é produzido um tipo de esporo que germina e dá origem a gametófitos bissexuados. Já nas pteridófitas heterosporadas, são produzidos esporos diferenciados (micrósporos e megásporos), os quais germinam e dão origem a gametófitos de sexos separados (microgametófitos e megagametófitos).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como a maioria das pteridófitas são homosporadas, descreveremos o ciclo desse grupo, mais especificamente o ciclo da samambaia.

Observe o ciclo de vida de uma samambaia
Observe o ciclo de vida de uma samambaia

Na folha das samambaias (2n) existem soros, estruturas especializadas que aparecem como pequenos pontos pretos na superfície foliar. Nesses soros, os esporos (n) são produzidos por meiose. Após a liberação dos esporos, eles caem em um local propício e germinam, formando um gametófito bissexuado (n), verde e com formato semelhante a um coração. Além dessas características, é possível observar a presença de rizoides que garantem a permanência do gametófito no substrato.

O gametófito apresenta arquegônios, nos quais é possível observar a oosfera, e anterídeos, que são responsáveis pela produção de vários anterozoides. Na presença de água, o anterozoide flagelado nada até encontrar a oosfera. Ocorre, então, a fecundação e um zigoto é formado (2n). O embrião inicia seu desenvolvimento, necessitando do gametófito apenas por um pequeno período de tempo. O embrião forma, então, um esporófito (2n), que se enraíza no solo e dá início a um novo ciclo.

Publicado por Vanessa Sardinha dos Santos
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Quais características permitiram que as plantas conquistassem o meio terrestre?
Plantas e o meio terrestre
Compreenda como as plantas conseguiram se desenvolver no meio terrestre.
Pteridófitas
Descubra mais sobre as pteridófitas lendo nosso texto. Apresentaremos aqui as características básicas desse grupo, sua reprodução e classificação.
video icon
Matemática
Função Linear
Nesta aula veremos a relação que existe entre a função linear e a função afim. Além disso, resolveremos um exercício-modelo utilizando a construção e interpretação da função.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
videoaula brasil escola
Química
Cinética química
Se ainda tem dúvidas quanto a velocidade das reações, essa videoaula é para você!
video icon
videoaula brasil escola
Português
Redação
Entenda como realizar argumento por causa e consequência com a nossa aula.
video icon
videoaula brasil escola
História
Crise de 1929
A quebra da bolsa de valores de Nova Iorque afetou não só os EUA, como o mundo. Entenda!