Whatsapp icon Whatsapp

Alzheimer

Alzheimer, doença de Alzheimer ou mal de Alzheimer é uma doença degenerativa que apresenta como sintoma mais marcante a perda da memória. Não apresenta cura e afeta, principalmente, pessoas com idade acima dos 65 anos.

Quando ocorre antes dos 65 anos, é chamado de doença de Alzheimer de início precoce. Segundo a Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz), estima-se que existam no mundo cerca de 35,6 milhões de pessoas acometidas. Ainda de acordo com a associação, somente no Brasil existe cerca de 1,2 milhão de casos, a maior parte deles ainda sem diagnóstico.

Apesar de a doença não apresentar cura, o diagnóstico precoce é importante para que se controle o seu avanço, garantindo, desse modo, melhor qualidade de vida para o paciente e também para os indivíduos à sua volta. É importante salientar que a perda de memória, dificuldade de atenção e problemas na comunicação não devem ser encarados como transtornos inerentes à velhice, sendo fundamental procurar um médico quando esses sinais de alerta surgem.

Leia também: 1º de outubro – Dia do Idoso

O que é a doença de Alzheimer?

O Alzheimer é uma doença que não apresenta cura e é progressivo, ou seja, piora ao longo do tempo. Ele provoca lesões no cérebro do indivíduo, sendo as duas principais o surgimento de placas senis decorrentes do depósito de proteína β-amiloide e os emaranhados neurofibrilares. Outro achado nos cérebros desses indivíduos é a redução de neurônios e das sinapses, sendo observada uma progressiva redução do volume do cérebro.

Na doença de Alzheimer, observa-se o surgimento de placas senis decorrentes do depósito de proteína β-amiloide.
Na doença de Alzheimer, observa-se o surgimento de placas senis decorrentes do depósito de proteína β-amiloide.

Fatores de risco para o desenvolvimento do Alzheimer

Os fatores que desencadeiam a doença de Alzheimer não são bem conhecidos. O principal fator de risco para o desenvolvimento da doença é a idade. Após os 65 anos, o risco de apresentar a enfermidade dobra a cada cinco anos. Outros fatores de risco incluem o sexo (mulheres apresentam risco aumentado para o desenvolvimento da doença), histórico familiar da doença, hábitos de vida pouco saudáveis, hipertensão, diabetes, sedentarismo, obesidade e uso de cigarro.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por que a doença de Alzheimer recebe esse nome?

A doença de Alzheimer recebe essa denominação em homenagem ao primeiro médico que estudou e descreveu a doença em 1906: Alois Alzheimer.

Alois estudou uma paciente de 51 anos de idade que havia desenvolvido uma perda de memória progressiva e dificuldade de comunicação, compreensão e expressão. Após a morte da mulher, ele analisou seu cérebro e descreveu características que hoje são bem reconhecidas como indicadores da doença.

Quais são os sintomas do Alzheimer?

O sintoma inicial do Alzheimer é a perda da memória recente, sendo a memória mais remota preservada até estágios mais avançados da doença. Além da perda de memória, o indivíduo apresenta:

  • dificuldade de atenção para resolver cálculos e utilizar objetos comuns;

  • desorientação do raciocínio;

  • alterações comportamentais, tais como depressão, irritabilidade, alucinações, hiperatividade, transtornos de humor, perda de peso e insônia.

À medida que a doença progride, o indivíduo vai se tornando cada vez mais dependente de outras pessoas. Em estágios mais avançados, a pessoa pode ficar acamada e não ser mais capaz de cuidar de sua higiene e de sua alimentação, sendo fundamental o acompanhamento contínuo para que situações perigosas sejam evitadas.

Leia também5 problemas de saúde que mais matam no mundo

Quais são as fases do Alzheimer?

O Alzheimer pode ser dividido em três fases: leve, moderada e grave.

  • Fase leve: são observadas alterações como perda da memória recente, dificuldade para encontrar palavras e tomar decisões, perda de interesse por atividades de que gostava, desorientação no espaço e tempo, agressividade e depressão.

  • Fase moderada: há um comprometimento maior do indivíduo, o qual já não é mais capaz de cuidar da sua casa sozinho e de realizar atividades simples, como fazer compras. O cuidado com a higiene também é comprometido, e o indivíduo passa a necessitar de ajuda. Pode-se observar dificuldade para expressar-se e falar, mudanças no comportamento e alucinações. Nessa fase a perda de memória acentua-se e a pessoa acometida pode esquecer até mesmo o nome de pessoas próximas.

  • Fase grave: na fase grave da doença, o indivíduo passa a ter total dependência de outras pessoas, apresentando dificuldade para comer, prejuízo grave à memória, incapacidade de compreender o que ocorre ao seu redor, incontinência urinária e fecal e dificuldade de locomoção, sendo muitas vezes necessário o uso de cadeira de rodas ou o indivíduo ficar acamado.

Como é feito o diagnóstico do Alzheimer?

Na doença de Alzheimer, observa-se o comprometimento da memória.
Na doença de Alzheimer, observa-se o comprometimento da memória.

O diagnóstico do Alzheimer é feito por meio da análise dos sintomas apresentados pelo indivíduo e exames. Podem ser solicitados exames de sangue, tomografias e ressonância magnética do crânio. Apesar de não existir uma forma de diagnóstico específica para identificar o problema, a realização de alguns exames auxilia na exclusão de outras doenças que possam provocar os mesmos sintomas.

A pessoa com Alzheimer, como vimos, apresenta problemas de memória e também de linguagem. Esses sintomas, no entanto, são vistos, muitas vezes, como sinais comuns da velhice. O paciente, geralmente incapaz de perceber o que está acontecendo, não procura ajuda especializada e os familiares ignoram o problema. Com isso, o diagnóstico é feito tardiamente, o que pode fazer com que o tratamento tenha pouco resultado. Sendo assim, se surgir qualquer sinal de alerta, um médico deve ser procurado.

Leia também: Parkinson — doença crônica e progressiva que afeta o sistema motor

O Alzheimer tem cura?

O Alzheimer é uma doença degenerativa e progressiva que não apresenta cura. Entretanto, o tratamento pode retardar o avanço da doença e garantir uma melhor qualidade de vida ao paciente. O tratamento inclui tanto o uso de medicamentos específicos, como terapias não farmacológicas, quanto a realização de exercícios físicos e atividades que potencializem as habilidades cognitivas do indivíduo e o contato social. Esse último é muito importante para melhorar o relacionamento do paciente com Alzheimer e outras pessoas. Vale salientar que, em cada etapa do Alzheimer, o paciente necessita de cuidados distintos e, em estágio avançado, pode ser necessário o monitoramento constante do paciente.

Publicado por Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos Relacionados

1º de outubro – Dia do Idoso
Clique aqui e saiba mais sobre o Dia do Idoso e também sobre a Lei n°10.741, também conhecida como Estatuto do Idoso.
Problemas cardiovasculares estão entre as principais causas de morte no mundo.
5 problemas de saúde que mais matam no mundo
Descubra quais são os 5 problemas de saúde que mais matam no mundo e conheça um pouco mais a respeito de cada um desses graves problemas.
A figura mostra angioedema nos lábios, língua e olhos, e urticária pelo corpo – alguns dos sintomas apresentados pelo choque anafilático
Choque anafilático
Clique aqui e saiba o que é e quais são as causas e o tratamento do choque anafilático.
O cérebro é uma parte do encéfalo
Cérebro
Saiba mais sobre o cérebro, porção do sistema nervoso central que está relacionada com emoções, raciocínio e memória.
Desnutrição
Saiba mais sobre a desnutrição, uma grave problema de saúde pública. Neste texto falaremos a respeito das causas, sintomas e tratamento dessa condição.
Doença de Parkinson
Aprenda mais sobre a doença de Parkinson clicando aqui. Entenda o que é essa doença, suas manifestações clínicas e o tratamento disponível.
Hipertensão (pressão alta)
Você sabe o que é hipertensão? Clique aqui e compreenda melhor esse problema de saúde que pode levar até mesmo à morte.
Processos de memorização.
Memória
A memória é a capacidade de armazenar informações de modo que estas possam ser recuperadas quando buscamos recordá-las. Confira!
Os neurônios
Neurônio
Amplie seus conhecimentos a respeito dos neurônios, as unidades básicas do sistema nervoso. Confira as principais partes dessa célula, sua função e seus tipos.
Obesidade
A obesidade atinge cerca de 18 milhões de pessoas no Brasil. Clique aqui e aprenda mais sobre as causas e consequências desse problema de saúde.
A síndrome das pernas inquietas pode atrapalhar o sono das pessoas acometidas
Síndrome das pernas inquietas
A síndrome das pernas inquietas é caracterizada por movimentos incessantes dos membros inferiores dos acometidos. A síndrome das pernas inquietas ocorre mais em adultos.
video icon
Biologia
Febre amarela
A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus que é transmitido pela picada de mosquitos. É possível que a febre amarela se manifeste de forma assintomática, mas ela pode rapidamente evoluir e levar a pessoa à morte. Felizmente, já existe uma vacina contra a febre amarela, mas o avanço do desmatamento e o crescimento desordenado das cidades vêm causando novos surtos epidêmicos no Brasil.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas