Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Espanhol
  3. Los verbos en español

Los verbos en español

Os verbos (los verbos) são o elemento fundamental das orações em espanhol. Toda oração tem necessariamente um verbo conjugado. Podemos defini-los de acordo com seu significado, sua função e sua forma. Segundo seu significado, o verbo é uma classe de palavras que expressa um evento, uma ação, um processo ou um estado. Quanto a sua função, o verbo ocupa o lugar de núcleo do predicado, razão pela qual um verbo apenas pode constituir uma oração. Em relação a sua forma, o verbo é uma palavra flexiva, formada por uma parte principal chamada de raiz e por partes variáveis chamadas de desinências.

Leia também: Perífrasis verbales – as locuções verbais em espanhol

As três conjugações do verbo em espanhol

Os verbos dividem-se em três grupos chamados de conjugações, que são identificadas mediante a terminação dos verbos em sua forma infinitiva, não conjugada. Cada uma das conjugações tem suas próprias flexões, mas, geralmente, a segunda e a terceira são bastante parecidas. A maioria dos verbos é de primeira conjugação, a qual, além disso, é a mais regular das três.

Não existe nenhuma razão baseada no significado de um verbo que determine que ele pertença a uma conjugação ou a outra. Os verbos criados por neologismo em espanhol são, em sua maioria, de primeira conjugação.

Vejamos quais são as três conjugações e alguns exemplos de verbos que se enquadram nessas conjugações:

Conjugação

Exemplos

1ª – AR

amar, hablar, bailar

2ª – ER

comer, beber, temer

3ª – IR

vivir, subir, partir

 

Para aprender espanhol de modo efetivo, você precisa conhecer os verbos desse idioma e suas particularidades.
Para aprender espanhol de modo efetivo, você precisa conhecer os verbos desse idioma e suas particularidades.

A flexão verbal

Do ponto de vista morfológico, o verbo apresenta duas partes:

  • a raiz, que é a parte que nos fornece o significado do verbo da forma como podemos encontrá-lo no dicionário (informação lexical);

  • as desinências, que são partes variáveis que nos dão informações sobre a pessoa (primeira, segunda ou terceira), o número (singular ou plural), o tempo (pretérito, presente ou futuro) e o modo (indicativo, subjuntivo ou imperativo).

Num verbo como amas, é possível distinguir duas partes: am–, que é a raiz e cujo significado é “sentir amor por alguém ou algo”, e a desinência –as, que corresponde à segunda pessoa (pessoa) do singular (número) do presente (tempo) do indicativo (modo). Essa informação divide-se em duas partes menores, chamadas de morfemas, sendo que um deles corresponde à informação de modo e tempo (–a) e o outro à de pessoa e número (–s). Em alguns casos, no entanto, todas essas informações agrupam-se num único morfema, como acontece com o verbo ama, por exemplo.

A distinção entre as partes do verbo, que mencionamos acima, pode ser exemplificada nas tabelas abaixo, em que usaremos, além do verbo amar, os verbos comer e partir. Com isso ilustraremos o funcionamento das desinências também em outras conjugações verbais.

Pessoas verbais

Raiz verbal

Desinência de tempo/modo

Desinência de pessoa/número

yo

am–

o

am–

a

s

él/ella/usted

am–

a

Ø

nosotros/nosotras

am–

a

mos

vosotros/vosotras

am–

á

is

ellos/ellas/ustedes

am–

a

n

 

Pessoas verbais

Raiz verbal

Desinência de tempo/modo

Desinência de pessoa/número

yo

com–

o

com–

e

s

él/ella/usted

com–

e

Ø

nosotros/nosotras

com–

e

mos

vosotros/vosotras

com–

é

is

ellos/ellas/ustedes

com–

e

n

 

Pessoas verbais

Raiz verbal

Desinência de tempo/modo

Desinência de pessoa/número

yo

part–

o

part–

e

s

él/ella/usted

part–

e

Ø

nosotros/nosotras

part–

i

mos

vosotros/vosotras

part–

is

ellos/ellas/ustedes

part–

e

n


Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Verbos regulares e irregulares

Considerando que a formação de um verbo parte da junção de uma raiz e desinências que dão informações diversas sobre a realização da ação, devemos distinguir que há verbos que se ajustam perfeitamente aos modelos de conjugação vigente e aqueles que apresentam alguma alteração em sua conjugação. Os primeiros são chamados de verbos regulares, enquanto os segundos são denominados irregulares.

Os verbos regulares são formados pela raiz do verbo, extraída de sua forma no infinitivo, e desinências, cujo padrão é fixo para todos os verbos que pertencem à mesma conjugação. Veja, por exemplo, as formas dos verbos cantar, beber e subir no presente do indicativo:

yo

canto

cantas

él/ella/usted

canta

nosotros/nosotras

cantamos

vosotros/vosotras

cantáis

ellos/ellas/ustedes

cantan

 

yo

bebo

bebes

él/ella/usted

bebe

nosotros/nosotras

bebemos

vosotros/vosotras

bebéis

ellos/ellas/ustedes

beben

 

yo

subo

subes

él/ella/usted

sube

nosotros/nosotras

subimos

vosotros/vosotras

subís

ellos/ellas/ustedes

suben


Compare esses verbos com as conjugações dos verbos amar, comer e partir, das tabelas do tópico anterior: as desinências são as mesmas entre os verbos pertencentes às mesmas conjugações.

Por outro lado, os verbos irregulares terão sempre alguma diferença, seja em sua raiz (entre o infinitivo e a forma conjugada) ou em suas desinências. Vejamos, por exemplo, o verbo andar no tempo pretérito:

yo

anduve

anduviste

él/ella/usted

anduvo

nosotros/nosotras

anduvimos

vosotros/vosotras

anduvisteis

ellos/ellas/ustedes

anduvieron


Agora vejamos quais são as formas de bailar, que pertence à mesma conjugação, no mesmo tempo verbal:

yo

bailé

bailaste

él/ella/usted

bailó

nosotros/nosotras

bailamos

vosotros/vosotras

bailasteis

ellos/ellas/ustedes

bailaron


Comparando a conjugação de ambos os verbos, fica evidente que andar apresenta irregularidades tanto em relação à raiz verbal quanto em relação às suas desinências, em todas as pessoas.

Agora usando verbos de segunda conjugação como exemplo, compare as formas verbais de temer, que é regular, e poner, que é irregular, ambos no tempo pretérito:

yo

temí

temiste

él/ella/usted

tem

nosotros/nosotras

temimos

vosotros/vosotras

temisteis

ellos/ellas/ustedes

temieron

 

yo

puse

pusiste

él/ella/usted

puso

nosotros/nosotras

pusimos

vosotros/vosotras

pusisteis

ellos/ellas/ustedes

pusieron


Faremos o mesmo com dois verbos de terceira conjugação: partir, regular, e decir, irregular:

yo

partí

partiste

él/ella/usted

part

nosotros/nosotras

partimos

vosotros/vosotras

partisteis

ellos/ellas/ustedes

partieron

 

yo

dije

dijiste

él/ella/usted

dijo

nosotros/nosotras

dijimos

vosotros/vosotras

dijisteis

ellos/ellas/ustedes

dijeron


Leia também: Verbo gustar - o verbo espanhol usado para expressar os gostos de alguém

Modos verbais

Os modos verbais são categorias relacionadas à atitude do falante diante das ações que está expressando. Essas ações podem ser reais, prováveis ou podem ser ordens. Esses significados são expressos em distintas desinências verbais. São três os modos verbais: indicativo, subjuntivo e imperativo.

O indicativo é o modo da afirmação e da realidade. Ele expressa o que acontece, o que aconteceu ou o que vai acontecer de fato, sem lugar a dúvidas, como na oração a seguir:

Voy a la farmacia.
(Vou à farmácia.)

O subjuntivo é o extremo oposto do indicativo, pois expressa dúvida, desejo, situações hipotéticas e possibilidades, como nesta oração:

Quizá esté en casa.
(Talvez esteja em casa.)

Por último, o imperativo indica ordens, proibições ou conselhos, como na oração a seguir:

Vuelva mañana, por favor.
(Volte amanhã, por favor.)

Tempos verbais

O tempo de um verbo situa a ação que ele expressa em algum momento do passado, do presente ou do futuro. Dos três modos verbais que vimos até agora, o indicativo e o subjuntivo podem ser expressos em tempos diferentes.

A seguir descreveremos todos os tempos do modo indicativo, apresentando também todas as formas conjugadas dos verbos utilizados a cada exemplo.

Tempos verbais do indicativo no espanhol

  • Presente: expressa ações no momento em que se fala e ações que ocorrem com frequência. Exemplos:

María nunca desayuna por la mañana.
(Maria nunca toma café de manhã.)

yo

desayuno

desayunas

él/ella/usted

desayuna

nosotros/nosotras

desayunamos

vosotros/vosotras

desayunáis

ellos/ellas/ustedes

desayunan

 

  • Pretérito perfecto simple ou indefinido: é utilizado para se referir a ações passadas e concluídas.

Exemplos:

Mi hermano llegó ayer.
(Meu irmão chegou ontem.)

yo

llegué

llegaste

él/ella/usted

llegó

nosotros/nosotras

llegamos

vosotros/vosotras

llegasteis

ellos/ellas/ustedes

llegaron

 

  • Pretérito perfecto compuesto: expressa uma ação passada, mas pertencente à mesma unidade de tempo tomada como referência (dia, semana, mês, ano etc.) ou uma ação passada que ainda influi sobre o presente.

Exemplos:

Hoy he visitado a mi abuela.
(Hoje visitei minha avó.)

yo

he visitado

has visitado

él/ella/usted

ha visitado

nosotros/nosotras

hemos visitado

vosotros/vosotras

habéis visitado

ellos/ellas/ustedes

han visitado

 

  • Pretérito imperfecto: é o tempo verbal que dá informação sobre o contexto em que se realiza a ação principal, expressa pelo pretérito simples. Também descreve rotinas no passado.

Exemplos:

Yo vivía solo cuando conocí a mi esposa.
(Eu morava sozinho quando conheci minha esposa.)

yo

vivía

vivías

él/ella/usted

vivía

nosotros/nosotras

vivíamos

vosotros/vosotras

vivíais

ellos/ellas/ustedes

vivían

 

  • Pretérito pluscuamperfecto: é utilizado para expressar ações passadas anteriores a umaação que já está no passado. É formada pelo verbo haber conjugado no presente do indicativo mais o verbo principal no particípio.

Exemplos:

Cuando llegué a casa, Marcos ya había salido para la escuela.
(Quando cheguei em casa, Marcos já tinha saído para a escola.)

yo

había salido

habías salido

él/ella/usted

había salido

nosotros/nosotras

habíamos salido

vosotros/vosotras

habíais salido

ellos/ellas/ustedes

habían salido

 

  • Futuro simple: expressa ações posteriores ao momento em que se fala.

Exemplos:

La semana que viene te enviaré un correo.
(Semana que vem te enviarei um e-mail.)

yo

enviaré

enviarás

él/ella/usted

enviará

nosotros/nosotras

enviaremos

vosotros/vosotras

enviareis

ellos/ellas/ustedes

enviarán

 

  • Futuro compuesto: funciona como o pretérito pluscuamperfecto, mas aplicado ao futuro, pois expressa uma ação futura anterior a outra mais à frente no tempo. Também é formado pelo verbo haber, desta vez conjugado no futuro simples, mais o particípio do verbo principal.

Exemplos:

Al final de la película ellos habrán resuelto el crimen.
(No final do filme eles terão resolvido o crime.)

yo

habré resuelto

habrás resuelto

él/ella/usted

habrá resuelto

nosotros/nosotras

habremos resuelto

vosotros/vosotras

habréis resuelto

ellos/ellas/ustedes

habrán resuelto


Tempos verbais do subjuntivo no espanhol

  • Presente: utilizado para expressar ações hipotéticas e possibilidades.

Exemplos:

Quizás Juan venga mañana.
(Talvez o Juan venha amanhã.)

yo

venga

vengas

él/ella/usted

venga

nosotros/nosotras

vengamos

vosotros/vosotras

vengáis

ellos/ellas/ustedes

vengan

 

  • Pretérito imperfecto: expressa possibilidades no passado e geralmente vai acompanhado do condicional, com emprego da conjunção si. Também pode denotar cortesia.

Exemplos:

Si fuera rico, me dedicaría exclusivamente al ocio.
(Se fosse rico, eu me dedicaria exclusivamente ao lazer.)

yo

fuera

fueras

él/ella/usted

fuera

nosotros/nosotras

fuéramos

vosotros/vosotras

fuérais

ellos/ellas/ustedes

fueran

 

  • Pretérito perfecto: em orações subordinadas, descreve ações finalizadas que ainda têm relação com a ação da oração principal.

Exemplos:

No creo que ellos hayan hablado aún sobre ese tema.
(Não acredito que eles já tenham falado sobre esse tema.)

yo

haya hablado

hayas hablado

él/ella/usted

haya hablado

nosotros/nosotras

hayamos hablado

vosotros/vosotras

hayáis hablado

ellos/ellas/ustedes

hayan hablado

 

  • Pretérito pluscuamperfecto: é utilizado para expressar ações que teriam acontecido ou poderiam ter acontecido no passado. Também é formado com o verbo haber, conjugado no presente do subjuntivo, mais o particípio do verbo principal.

Exemplos:

Habría hablado con Marta si la hubiera visto.
(Eu teria falado com a Marta se eu a tivesse visto.)

yo

hubiera visto

hubieras visto

él/ella/usted

hubiera visto

nosotros/nosotras

hubiéramos visto

vosotros/vosotras

hubiérais visto

ellos/ellas/ustedes

hubieran visto


O modo imperativo é o único que não tem tempos. Ele se divide em afirmativo e negativo. O imperativo afirmativo tem conjugações próprias, mas sua forma negativa é nada mais, nada menos que conjugações usadas no presente do subjuntivo, acompanhadas do advérbio no. Um exemplo de oração com imperativo afirmativo é a oração a seguir:

Abre la ventana, por favor.
(Abra a janela, por favor.)

Essa mesma oração pode transformar-se em negativa se acrescentarmos no à forma do presente do subjuntivo da segunda pessoa do singular do verbo abrir:

No abras la ventana, por favor.
(Não abra a janela, por favor.).

Veja, a seguir, todas as conjugações do verbo abrir no imperativo afirmativo:

abre

abra

él/ella/usted

abramos

nosotros/nosotras

abrid

vosotros/vosotras

abran

ellos/ellas/ustedes


Agora no imperativo negativo:

no abras

no abra

él/ella/usted

no abramos

nosotros/nosotras

no abráis

vosotros/vosotras

no abran

ellos/ellas/ustedes


Leia também: Verbos “tener” e “haber” em espanhol

Formas nominais dos verbos

As formas nominais dos verbos em espanhol são chamadas de formas no personales. Como o próprio nome indica, quando o verbo se encontra em alguma dessas formas, ele não está conjugado em nenhuma pessoa do verbo, ou seja, sua forma é fixa e invariável.

Usando os mesmos exemplos da seção anterior, vejamos quais são as formas nominais:

Infinitivo

Gerundio

Participio

cantar

cantando

cantado

comer

comiendo

comido

vivir

viviendo

vivido


O infinitivo é a forma canônica do verbo, a forma que o representa, e pode funcionar como um substantivo, quando acompanhado de artigo. O gerúndio é utilizado em formas compostas, combinado com o verbo estar. O particípio, como vimos, é utilizado em formas compostas, especialmente os pretéritos perfecto e pluscuamperfecto, e pode funcionar também como adjetivo. Para saber mais, leia: Infinitivo, gerúndio e particípio em Espanhol.

Outros tipos de verbos

Alguns dos vários tipos de verbos que constituem importantes subdivisões dessa extensa classe de palavras são os verbos reflexivos, defectivos e auxiliares.

Os verbos reflexivos estão relacionados a um sujeito que exerce e, ao mesmo tempo, recebe a ação do verbo. Um exemplo é o verbo afeitarse (barbear-se), que descreve uma ação segundo a qual o sujeito que se barbeia, barbeia a si mesmo. Segue uma oração de exemplo de uso desse verbo:

Todavía no me he afeitado esta semana.
(Esta semana ainda não fiz a barba.)

Os verbos defectivos são caracterizados por possuírem uma conjugação incompleta. Isso significa que eles não podem ser conjugados em todos os tempos, modos e pessoas, como os verbos regulares. Sua conjugação se limita a apenas algumas flexões verbais. O verbo haber, por exemplo, só pode ser conjugado na terceira pessoa do singular,quando utilizado com o sentido de “existir”, como na oração seguinte:

Cada día hay más alternativas en el mercado.
(A cada dia há mais alternativas no mercado.)

Os verbos auxiliares são utilizados na formação de tempos verbais compostos, como os pretéritos perfecto e pluscuamperfecto, que vimos acima. Neles o verbo haber não tem significado em si mesmo, mas apenas compõe a estrutura verbal. Os verbos auxiliares contêm as desinências de número e pessoa gramatical, ao passo que o verbo principal é sempre apresentado numa forma nominal (infinitivo, participio ou gerundio).

Verbos mais usados em espanhol

Segue uma lista com 20 dos verbos mais usados no dia a dia dos falantes de espanhol:

Espanhol

Português

hablar

falar

comer

comer

vivir

viver

estar

estar

ser

ser

tener

ter

poner

por

tomar

tomar

dar

dar

ir

ir

decir

dizer

hacer

fazer

poder

poder

querer

querer

abrir

abrir

beber

beber

buscar

buscar

cerrar

fechar

comenzar

começar

comprar

comprar


Exercícios resolvidos

1. Leia a seguinte citação:

Varias veces la familia ha procurado que mi tía explicara con alguna coherencia su temor a caerse de espaldas.” (Julio Cortázar. Historia de cronopios y de famas)

O tempo verbal destacado acima é o pretérito perfecto de indicativo, forma composta utilizada para

a) criar um marco contextual à proposição.

b) apresentar uma ação passada como centro de interesse do enunciado.

c) expressar que uma ação é anterior à outra ação passada.

d) indicar que uma ação passada ainda segue vigente no presente do enunciado.

e) demonstrar que se trata de uma ação mais recente que outra ação ocorrida no passado.

2. Considere a seguinte oração:

Si vosotros hubieran sabido la contestación, estamos seguros de que nos la habrían dicho.

Determine respectivamente o tempo verbal destacado:

a) pretérito perfecto de subjuntivo

b) pretérito pluscuamperfecto de indicativo

c) pretérito imperfecto de indicativo

d) pretérito imperfecto de subjuntivo

e) pretérito pluscuamperfecto de subjuntivo

Respostas

1. d, pois essa corresponde a uma das funções do pretérito perfecto do indicativo.

2. e, pois o pretérito pluscuamperfecto do subjuntivo é formado pelo verbo haber conjugado no presente do subjuntivo e pelo particípio do verbo principal. 

Publicado por: Diego Guimarães Gontijo
Assuntos relacionados
Los sustantivos en español
Aprenda sobre os substantivos em espanhol (los sustantivos en español), os critérios pelos quais sofrem flexões e os tipos em que se dividem.
Las formas no personales del verbo (infinitivo, gerundio y participio)
Infinitivo, gerúndio e particípio em Espanhol
Antes de aprendermos os tempos verbais, os modos e suas conjugações, é importante conhecer também as formas não pessoais do verbo, pois elas estão presentes nos nossos enunciados cotidianos. São elas: o infinitivo, o gerúndio e o particípio. Venha aprofundar seus conhecimentos em Espanhol com o nosso texto!
O verbo ser é usado em diferentes situações comunicativas
El verbo ser en español (presente de indicativo)
Dúvidas na hora de conjugar e usar o verbo ser em espanhol? Agora é a hora de aprender! Venha conhecer as características desse verbo irregular que, assim como o verbo estar, é um dos verbos essenciais para a aprendizagem e para a comunicação na língua espanhola.
O verbo gustar e seu equivalente no português, gostar, possuem a mesma carga semântica, mas se usam de forma distinta
Usos del verbo gustar
Aprenda a usar o verbo gustar (gostar) e a expressar gostos.
Aprenda as diferenças entre “Tiene” e “Hay” em espanhol!
Verbos “Tener” e “Haber” em Espanhol
Aprender a diferença entre os verbos “tener” e “haber”, em espanhol, torna-se essencial para a comunicação, pois eles não são usados como sinônimos, o que acontece na língua portuguesa. Para não cometer equívocos, devemos ter bastante atenção na hora de usá-los. Aprenda como utilizá-los de forma correta!