Whatsapp icon Whatsapp

O Capitalismo e a Sociedade de Consumo

A sociedade de consumo situa-se em uma perspectiva econômica que vem apresentando sinais de esgotamento, o que avoluma o número de críticas.
A sociedade atual encontra-se em um estágio altamente consumista
A sociedade atual encontra-se em um estágio altamente consumista

A sociedade de consumo é um termo bastante utilizado para representar os avanços de produção do sistema capitalista, que se intensificaram ao longo do século XX notadamente nos Estados Unidos e que, posteriormente, espalharam-se – e ainda vem se espalhando – pelo mundo. Nesse sentido, o desenvolvimento econômico e social é pautado pelo aumento do consumo, que resulta em lucro ao comércio e às grandes empresas, gerando mais empregos, aumentando a renda, o que acarreta ainda mais consumo. Uma ruptura nesse modelo representaria uma crise, pois a renda diminuiria, o desemprego elevar-se-ia e o acesso a elementos básicos seria mais dificultado.

Uma das grandes críticas ao sistema capitalista é a emergência desse modelo. Suas raízes estão vinculadas ao processo de Revolução Industrial, mas foi a emergência do American Way Of Life (jeito americano de viver) em 1910, nos Estados Unidos, que intensificou essa problemática. A consequência foi uma crise de superprodução das fábricas, que ficaram com grandes estoques de produtos sem um mercado consumidor capaz de absorvê-los, gerando a crise de 1929. Na época, para combater os efeitos da crise, o governo desenvolveu formas de intervir na economia e provocar o seu aquecimento em um plano chamado New Deal (Novo Acordo).


O cartaz expressa o American Way of Live, enquanto a população carece de recursos durante a crise

Consequentemente, para que as fábricas continuassem produzindo em massa e os produtos difundissem-se, foram estabelecidos modelos de desenvolvimento pautados na melhoria de renda e no crédito facilitado com o objetivo de ampliar ainda mais o consumo. Com isso, a crise econômica do século XX teve fim, mas uma problemática ainda maior se estabeleceu, pois o consumo pelo consumo é uma maneira contraditória e ineficaz de manter o desenvolvimento das sociedades. Tal dinâmica não se modificou mesmo com a retomada do modelo neoliberal a partir da década de 1970 em todo o mundo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As críticas sobre a sociedade de consumo direcionam-se não apenas pela perspectiva econômica, mas também pelo viés ambiental. Afinal, um dos efeitos do consumismo é a ampliação da exploração dos recursos naturais para a geração de matérias-primas voltadas à fabricação de mais e mais mercadorias. Estimativas apontam que seriam necessários quatro planetas e meio para garantir os recursos naturais para a humanidade caso todos os países mantivessem o mesmo nível de consumo dos EUA.

Com isso, há a devastação das florestas e o esgotamento até mesmo dos recursos renováveis, tais como a água própria para o consumo, as florestas e o solo. Além disso, os recursos não renováveis vão contando os dias para a escassez completa, tais como as reservas de petróleo e de diversos minérios utilizados para a fabricação dos mais diferentes produtos utilizados pela sociedade.

Um dos aspectos mais criticados no que se refere à sociedade de consumo é a obsolescência programada – ou obsolescência planejada –, que consiste na produção de mercadorias previamente elaboradas para serem rapidamente descartadas, fazendo com que o consumidor compre um novo produto em breve. Assim, aumenta-se o consumo, mas também aumenta a demanda por recursos naturais e maximiza a produção de lixo, elevando ainda mais a problemática ambiental decorrente desse processo.


A intensiva geração de lixo é um dos principais problemas da sociedade de consumo atual

Com isso, além da adoção de políticas sociais de controle ao consumismo exagerado, é preciso encontrar meios econômicos alternativos ao desenvolvimento pautado no consumo. Não obstante, faz-se necessária também a promoção de políticas de reciclagem, além da reutilização ou reaproveitamento dos produtos não mais utilizados, contendo, assim, a geração de lixo e a demanda desenfreada por matérias-primas.

Publicado por Rodolfo F. Alves Pena

Artigos Relacionados

A teoria do ecomalthusianismo relaciona o excesso populacional com o meio ambiente
Ecomalthusianismo
Entenda o que é o ecomalthusianismo, suas premissas básicas e as críticas direcionadas a essa teoria.
Lixo Urbano
O lixo urbano é um dos problemas ambientais ocasionados pelo aumento populacional. Confira!
A luta de classes seria a origem das grandes mudanças sociais
Luta de classes
Karl Marx identificou a luta de classes como o motor que gira a roda da história. Clique para entender mais sobre o assunto!
A influência geopolítica exercida pelos Estados Unidos e a União Soviética
Mundo Bipolar
A atuação de duas superpotências na política mundial.
A exploração da madeira é um exemplo da utilização dos recursos naturais
Recursos naturais
Entenda o que são os recursos naturais, quais são os seus tipos e as suas diferentes importâncias para a sociedade.
Regionalização Norte-Sul
Conheça as características da regionalização norte-sul que divide o mundo em países desenvolvidos e subdesenvolvidos.
Terceira Revolução Industrial é marcada pelo emprego de alta tecnologia nas indústrias.
Terceira Revolução Industrial
Aprenda mais sobre a Terceira Revolução Industrial. Descubra quando começou, quais foram os principais avanços desse período e o que é a Quarta Revolução.
Turismo
O que é turismo e como ele se classifica? Clique aqui e saiba mais sobre as atividades turísticas no Brasil e no mundo. Entenda como a pandemia afetou esse setor.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas