Eufemismo

Eufemismo é uma figura de linguagem, ou de pensamento, caracterizada por suavizar a informação de um enunciado. Portanto, é usado, principalmente, em contextos formais ou nas situações em que o enunciador pretende ser agradável, preocupado em não ofender interlocutores ou ouvintes. Assim, por exemplo, ele prefere dizer que determinada pessoa “passou desta vida para uma melhor”, em vez de falar que ela morreu.

Leia também: Hipérbole – figura de linguagem que expressa exagero proposital

Uso do eufemismo

O eufemismo é uma figura de linguagem, ou de pensamento, conhecida por sua característica de amenizar a informação. Desse modo, essa figura é usada quando o enunciador tem a intenção de ser agradável. Assim, em vez de utilizar palavras ou expressões desagradáveis, ele opta por substituir esses termos por outros equivalentes, porém destituídos de caráter grotesco, perturbador ou ofensivo. Basicamente, o eufemismo está associado a contextos sociais, religiosos ou morais.

Portanto, quando um médico diz que o paciente tem um tumor maligno em vez de câncer, ou uma repórter fala que determinada pessoa pública faltou com a verdade, em vez de afirmar que ela mentiu, ou, ainda, quando a morte de alguém é anunciada com expressões tais como “deu o último suspiro”, “partiu”, “descansou”, entre outras, estamos diante de eufemismos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplos de eufemismo

  • Ricardo é um boa-vida, não tem jeito.
    (Ricardo é um vagabundo.)

  • Pessoas da terceira idade sofrem com a estrutura das grandes cidades.
    (Pessoas velhas.)

  • Reconheço que minha filha é estressada com as pessoas.
    grosseira.)

  • João sempre foi “cheinho”, puxou ao pai.
    (João sempre foi gordo.)

  • Alejandro é limitado, mas não me importo com isso.
    (Alejandro é burro.)

  • Giovanna recusou-se a assinar a carteira de sua secretária do lar e, por isso, perdeu uma funcionária competente.
    (A carteira de sua empregada doméstica.)

  • O advogado foi acusado de subtrair bens alheios.
    (Acusado de roubar.)

  • Depois de gritar e quebrar copos e garrafas, o engenheiro foi convidado a retirar-se da festa.
    (O engenheiro foi expulso.)

  • Não fui feliz no exame da OAB.
    (Fui reprovado.)

  • Na casa do empresário, havia uma arma e também entorpecentes.
    (E também drogas.)

  • A dona da rede de supermercados foi acusada de enriquecer ilicitamente.
    (Foi acusada de roubar.)

  • Poucas pessoas reconhecem que gostam de ver filmes adultos.
    (Ver filmes pornográficos.)

  • O vereador foi preso por desvio de dinheiro.
    (Foi preso por furto.)

  • Lindomar foi para a cama no primeiro encontro.
    (Lindomar fez sexo.)

  • Depois de duas ou três garrafas, ficou alterado e começou a brigar com todo mundo.
    (Ficou bêbado.)

  • A crise atingiu, principalmente, os países emergentes.
    (Os países subdesenvolvidos.)

  • A atualização das tarifas de ônibus será feita na próxima semana.
    (O aumento de preço.)

  • Desde o primeiro encontro, eles queriam fazer amor.
    (Eles queriam fazer sexo.)

  • Os indivíduos da classe baixa perderam o pouco que tinham.
    (Os indivíduos pobres.)

Leia também: Paradoxo – figura de linguagem que expressa uma ideia contrastante e contraditória

O eufemismo atenua o sentido de uma mensagem.
O eufemismo atenua o sentido de uma mensagem.

Exercícios resolvidos

Questão 1 - Marque a alternativa em que se verifica a ocorrência de um eufemismo.

a) Meu filho é desprovido de inteligência, mas é uma pessoa generosa.

b) O circo chegou e trouxe com ele a grande e inesquecível alegria.

c) Os amigos dele são tão confiáveis quanto os ratos do esgoto.

d) Eleanor precisou chegar ao fundo do poço para reconhecer o erro.

e) Não se pode acreditar em todas as notícias que chegam até nós.

Resolução

Alternativa A. “Desprovido de inteligência” é eufemismo para “burro”.

Questão 2 - Leia este soneto do poeta português Luís Vaz de Camões:

Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
Alguma cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te,

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

Nesse poema, é possível identificar vários eufemismos. Sabendo disso, aponte a alternativa em que o verso destacado NÃO apresenta essa figura de linguagem:

a) “Alma minha gentil, que te partiste”
b) “Se lá no assento etéreo, onde subiste”
c) “Não te esqueças daquele amor ardente”
d) “Roga a Deus, que teus anos encurtou”
e) “Quão cedo de meus olhos te levou”

Resolução

Alternativa C. Podemos identificar os eufemismos: “partiste” (alternativa A), “assento etéreo” (alternativa B), “teus anos encurtou” (alternativa D) e “te levou” (alternativa E). Portanto, não apresenta eufemismo o verso da alternativa C. 

Publicado por: Warley Souza
Assuntos relacionados
Para ser agradável em situações desagradáveis, use a figura de linguagem litotes
Litotes: Figura de Linguagem
Conheça a figura de linguagem litotes e saiba ser agradável quando a situação não for das melhores.
Paradoxo
Entenda o que é o paradoxo. Conheça quais os tipos de paradoxo que existem, e saiba o que diferencia essa figura da linguagem da antítese.
Metáfora
Aprenda o que é metáfora e qual é o seu efeito no enunciado. Veja exemplos de uso dessa figura de linguagem e entenda por que é diferente da comparação.
Pleonasmo
Entenda o que é pleonasmo e conheça os tipos existentes dessa figura de linguagem. Saiba também a diferença entre pleonasmo e redundância.
A prosopopeia atribui características humanas a seres inanimados
Personificação (Prosopopeia)
Aprenda sobre a figura de linguagem chamada prosopopeia (também conhecida como personificação), que consiste em atribuir características humanas a seres inanimados ou irracionais. Saiba como esse recurso de estilo realiza a manipulação do campo semântico para que haja uma personificação a partir de expressões que remetam à figura humana.
A Hipérbole faz um exagero quando manipula o sentido das palavras
Hipérbole
Conheça a hipérbole, figura de linguagem que ocorre quando nos referimos a algo de modo exagerado. Esse recurso estilístico provoca alterações no campo dos significados (semântico), ou seja, há uma manipulação do sentido das palavras e das expressões. Saiba mais no texto!