Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Classe de palavras
  4. Pronomes
  5. Pronome átono no início de oração

Pronome átono no início de oração

Para dar início à discussão que ora se apresenta, analise alguns trechos de uma música, conhecida por muitos:

Me chama - Lobão

Chove lá fora
E aqui tá tanto frio
Me dá vontade de saber...

Aonde está você?
Me telefona
Me Chama! Me Chama!
Me Chama!...

Nem sempre se vê
Lágrima no escuro
Lágrima no escuro
Lágrima!...

Tá tudo cinza sem você
Tá tão vazio
E a noite fica
Sem por que...

[...]

No refrão dessa letra reside o ponto central de nossa conversa, uma vez que, como você pode perceber, há orações iniciadas com pronome oblíquo átono, demarcadas por “me chama”/ “me telefona”. Diante de tal ocorrência emerge um aspecto relevante: se estamos submetidos a um conjunto de pressupostos preconizados pela gramática, estariam os exemplos mencionados adequados a esse conjunto de regras?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Vale dizer que na oralidade isso ocorre frequentemente, mesmo porque poucos usuários diriam “Dê-me um abraço”, em vez de “Me dê um abraço”. É natural, mas o que ocorre é que em se tratando da linguagem escrita, o correto é optarmos por fazer uso da ênclise (dê-me um abraço). Em se tratando de letra musical, artistas, bem como poetas, usufruem da licença poética, ou seja, mesmo que cometam “alguns desvios”, tal prática é aceitável.

Mas vamos supor que você queira que o pronome não se desloque da posição primeira (antes do verbo). Como agir assim sem que nenhuma infração seja cometida ao molde padrão da linguagem? É simples, coloque antes o pronome pessoal do caso reto, o qual atuaria como sujeito da oração. Assim, em vez de dizer “Me deu um beijo e saiu”, prefira dizer:

Ela me deu um beijo e saiu.

Aí sim, você contínua fazendo uso da próclise e agindo corretamente mediante a posição de usuário do sistema linguístico.

Segundo as normas gramaticais, o uso de pronome átono no início de oração não é aconselhável
Segundo as normas gramaticais, o uso de pronome átono no início de oração não é aconselhável
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Assuntos relacionados
Os pronomes demonstrativos de reforço são representados por alguns advérbios e pelas palavras “mesmo” e “próprio”
Pronomes demonstrativos de reforço
Alguns advérbios e as palavras “mesmo e próprio” atuam como pronomes demonstrativos de reforço. Confira os pressupostos que os norteiam!
Há uma diferença entre os pronomes substantivos e os pronomes adjetivos. Estes acompanham o substantivo e aqueles o substituem
Pronomes substantivos e Pronomes adjetivos
Os pronomes substantivos substituem o substantivo e os pronomes adjetivos acompanham o substantivo. Confira aqui alguns pressupostos!
Os pronomes oblíquos átonos são: me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, os, as, lhes
Pronomes oblíquos átonos
Conheça quais são e como fazer o uso adequado dos pronomes oblíquos átonos.
Pronomes Pessoais
Descubra quais são as classificações dos pronomes pessoais e quando utilizar cada um deles. Entenda a diferença entre caso reto e caso oblíquo.
Colocação pronominal
Clique aqui e saiba em que consiste a colocação pronominal!
O uso do “lhe”
O emprego do pronome lhe e situações que causam dúvidas.
O uso do pronome “cujo” se encontra submetido a critérios específicos
Uso do pronome cujo
Alguns aspectos linguísticos incidem no uso do pronome cujo, manifestado, sobretudo, na linguagem escrita. Saiba mais sobre esse assunto ao clicar aqui!