Regência do verbo insistir

Insistindo no fato de que você precisa se tornar um (a) conhecedor (a) dos aspectos que norteiam a língua que falamos, vamos a mais um deles, um tanto quanto familiar: a regência do verbo insistir.

Sempre quando você insiste, o faz em prol de algo, não é verdade?

Essa pista é suficiente para reconhecermos que tal verbo se apresenta como transitivo indireto, e, como tal, precisa de um complemento. Mas qual seria ele (ou eles)? Para analisarmos melhor, eis alguns enunciados: 

Pedro insiste em ser meu amigo.
Meus primos insistiram para que eu ficasse um pouco mais.
Não insista mais nesta ideia absurda!

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Constatamos que em dois deles o verbo se mostrou regido pela preposição “em”, e apenas em um pela preposição “para”. 

Por essa razão é que devemos estar atentos a este detalhe: como se trata de um verbo transitivo indireto, ele precisa estar acompanhado de seu respectivo complemento, no caso, a preposição que lhe é cabida.

Mas, como sabemos, a depender do contexto comunicativo, alguns verbos transitam entre regências distintas, como ocorre com este em estudo. Assim, ele pode se apresentar também como intransitivo, ou seja, não necessitar de nenhum complemento, como em:

Mostre que você luta pelos seus objetivos, por isso insista!

No estudo da regência do verbo “insistir”, constatamos que ele se apresenta como transitivo indireto, bem como intransitivo
No estudo da regência do verbo “insistir”, constatamos que ele se apresenta como transitivo indireto, bem como intransitivo
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte
Assuntos relacionados
Regência Verbal de alguns verbos
Esclarecimentos sobre a regência correta de alguns verbos que geram dúvidas.
A regência é demarcada pelo sentido que representa
O verbo implicar – sentidos distintos implicam em diferentes regências
Norteie seu conhecimento acerca dessa ocorrência linguística!
Conhecer a regência do verbo lembrar: sinal de competência linguística
Regência do verbo lembrar
Amplie sua competência linguística, conhecendo aqui a regência do verbo lembrar!
<p>O verbo “induzir” tem origem no latim <em>inducere</em> e pode apresentar diferentes significados</p>
Regência do verbo “induzir”
Dúvidas verbais: Clique e confira uma explicação simples e eficiente sobre a regência do verbo “induzir”.
Na oração acima, o verbo responder pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “ser responsável”
Regência do verbo “responder”
Saiba como se constrói a regência do verbo responder, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na frase, o verbo “chamar” é transitivo indireto, tem o sentido de “recorrer” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo chamar
Saiba como se constrói a regência do verbo chamar, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “interessar” pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “importar”
Regência do verbo “interessar”
Saiba como se constrói a regência do verbo “interessar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “visar” é transitivo indireto, possui o sentido de “ter por objetivo” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo visar
Saiba como se constrói a regência do verbo “visar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa, tais como mirar, apontar, dar visto, ter em vista etc. Por esses diversos sentidos, ele pode ser classificado como um verbo transitivo direto ou um verbo transitivo indireto acompanhado da preposição “a”.
Atribui-se uma singular importância a tal fato linguístico
A regência verbal constituída de pronomes relativos
Constate acerca de algumas elucidações pertinentes a esse caso!
O uso correto das preposições refere-se a uma característica relacionada à regência de verbos com sentido contrário
Regência de verbos com sentido contrário
Porventura, como anda sua competência linguística? Caso deseje aprimorá-la ainda mais, acesse e confira acerca da regência de verbos com sentido contrário.