Aclamação de Amador Bueno

Durante os séculos XVII e XVIII, a hegemonia da colonização portuguesa sob as terras brasileiras foi constantemente abalada. Nesse período, a debilidade econômica do Império Português pode ser justificada pela União Ibérica (1580 – 1640), período em que os espanhóis controlaram os domínios portugueses no Brasil.

Nesse intervalo de sessenta anos, muitos bandeirantes paulistas praticavam o apresamento e a comercialização de índios encontrados pelo interior do Brasil. Através dessa atividade, estabelecia-se uma atividade econômica que resolvia o problema da escassez de escravos africanos em território brasileiro.

Além disso, durante a União Ibérica, os bandeirantes paulistas constituíram outra rota de comercialização de índios que atendia a demanda por escravos dos colonizadores espanhóis da região do Prata. Por meio dessa rota, os bandeirantes ampliaram seus negócios conquistando um promissor mercado consumidor da mão-de-obra indígena.

Porém, com o fim da União Ibérica, o governo português veio a interromper o negócio estabelecido pelos bandeirantes. Portugal proibiu a escravização indígena buscando ampliar seus lucros ao, conseqüentemente, forçar os colonos a comprarem escravos africanos oferecidos pela administração colonial portuguesa.

Inconformados com essa exigência da metrópole, um grupo de bandeirantes paulistas resolveram armar um levante que exigiu o fim da proibição da escravização indígena. Buscando a vitória, os bandeirantes se dirigiram ao fazendeiro Amador Bueno, que também era a favor da escravização indígena.

Os bandeirantes paulistas convocaram Amador Bueno para que liderasse a revolta, aceitando o cargo de governador da província de São Paulo. Mesmo prestigiado pelos bandeirantes, Amador Bueno declinou a proposta por eles feita e jurou fidelidade ao governo português. De tal maneira, a revolta bandeirante perdeu sua sustentação.


Por Rainer Sousa
Mestre em História
Aclamação de Amador Bueno: a primeira das revoltas nativistas
Aclamação de Amador Bueno: a primeira das revoltas nativistas
Publicado por: Rainer Gonçalves Sousa
Assuntos relacionados
Revolta de Beckman
Entenda o que foi a Revolta de Beckman. Veja os detalhes sobre a situação do Maranhão no século XVII. Conheça as causas da revolta e saiba como foi o seu desfecho.
Pernambuco foi palco do conflito entre portugueses e senhores de engenho.
Guerra dos Mascates
Guerra dos Mascates, Conflitos coloniais, conflitos nativistas, crise do sistema colonial, decadência da economia açucareira, Recife, Olinda, senhores de engenho, comerciantes portugueses.
Pintura anônima do século XVIII, representando a Guerra dos Emboabas
Guerra dos Emboabas
Brasil Colônia, Revolta colonial, Movimentos Nativistas, Guerra dos Emboabas, bandeirantes, Minas Gerais, Manuel Nunes Viana, bandeirantismo, exploração aurífera.
Casas de Fundição, centro de tributação da colonização portuguesa.
Revolta de Filipe dos Santos
Revolta de Felipe dos Santos, Revoltas coloniais, exploração mineradora, Filipe dos Santos, Conde de Assumar, Vila Rica, Vila do Carmo, Pacto Colonial, Casas de Fundição.