Whatsapp icon Whatsapp

Rebeliões Nativistas

As revoltas nativistas revelam a insatisfação dos colonos com alguns pontos do pacto colonial.
As revoltas nativistas revelam a insatisfação dos colonos com alguns pontos do pacto colonial.
Durante muito tempo, as rebeliões coloniais acontecidas no Brasil foram interpretadas por meio de parâmetros que escapavam da natureza assumida pelas experiências que foram historicamente desenvolvidas. Ainda hoje, sabemos que algumas pessoas aprendem ou interpretam as rebeliões coloniais em bloco, julgando, quase sempre, todos os eventos como uma prova incontestável do desejo e da luta pela romântica e patriótica autonomia política da nação.

De fato, várias revoltas, motins e conspirações marcaram o nosso passado colonial e revelavam a insatisfação dos colonos e a dificuldade de controle por parte das forças metropolitanas. Contudo, dizer que eles lutavam pela autonomia do nosso povo ou defendiam a construção de uma nação autônoma incorre em um grande equívoco. Afinal de contas, as ideias de povo ou nação brasileira nem sequer eram debatidos nos meios intelectuais da época.

Observando os primeiros conflitos ocorridos na colônia, observamos que a intenção fundamental era a de promover algumas mudanças nas exigências e práticas impostas pela metrópole. Em nenhum momento, as primeiras grandes revoltas, acontecidas entre os séculos XVII e XVIII, pretendiam extinguir o pacto colonial ou estabelecer a independência da América Portuguesa. Com isso, temos mais um argumento que vai contra a tradicional interpretação dada aos levantes decorridos no período colonial.

Conhecidos como revoltas nativistas, esses movimentos tiveram início no século XVII, momento em que diversas regiões da colônia enfrentavam sérias dificuldades econômicas provenientes da crise da economia açucareira. Adentrando o século XVIII, vemos que essas rebeliões persistem com a rigorosa fiscalização imposta por Portugal nessa mesma época. Entre as maiores rebeliões nativistas destacamos a Revolta de Beckman (1684), a Guerra dos Emboabas (1708), a Guerra dos Mascates (1710) e a Revolta de Filipe dos Santos (1720).
Publicado por Rainer Gonçalves Sousa
Assista às nossas videoaulas

Artigos de Rebeliões Nativistas

Aclamação de Amador Bueno: a primeira das revoltas nativistas
Aclamação de Amador Bueno
Aclamação de Amador Bueno, bandeirantismo, União Ibérica, Revoltas Nativistas, 1641, escravização indígena, domínio espanhol, revoltas coloniais, comercialização de escravos.
Pintura anônima do século XVIII, representando a Guerra dos Emboabas
Guerra dos Emboabas
Veja quais foram as causas da Guerra dos Emboabas. Conheça mais a respeito do desenvolvimento do conflito e de suas consequências para o Brasil Colônia.
Guerra dos Mascates
Acesse o site e conheça mais sobre a Guerra dos Mascates. Acompanhe o desenrolar desse conflito e as consequências para a Capitania de Pernambuco e sua economia.
Revolta de Beckman
Entenda o que foi a Revolta de Beckman. Veja os detalhes sobre a situação do Maranhão no século XVII. Conheça as causas da revolta e saiba como foi o seu desfecho.
Casas de Fundição, centro de tributação da colonização portuguesa.
Revolta de Filipe dos Santos
Revolta de Felipe dos Santos, Revoltas coloniais, exploração mineradora, Filipe dos Santos, Conde de Assumar, Vila Rica, Vila do Carmo, Pacto Colonial, Casas de Fundição.
video icon
Biologia
Equinodermos
Nesta videoaula, você conhecerá todas as características dos equinodermos, um dos grupos com mais características semelhantes às dos cordados. Os equinodermos são representados pelas famosas estrelas-do-mar, ouriços, pepino-do-mar, entre outros.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Genitive Case
É hora de aperfeiçoar sua gramática na Língua Inglesa. Assista!
video icon
Videoaula Brasil Escola
Sociologia
Democracia racial
Você sabe o que significa democracia racial? Clique e nós te ensinamos!
video icon
Tigres Asiáticos
Geografia
Tigres Asiáticos
Assista à nossa videoaula sobre os Tigres Asiáticos, e conheça as razões do desenvolvimento rápido desses territórios.